sexta-feira, 20 de março de 2009

Gigolô brasileiro

Conheci faz pouco tempo um cara que tem mais ou menos a minha idade. Ele é engraçadissimo e é garoto (?) de programa só de velhinha. Ou seja, ele recebe pra assistir televisão abraçadinho, andar segurando a mão, jogar uma beribinha e eu acho que tem que ir ali dar uma furunfufada de vez enquando. Ele diz que é homem egípsio, adora uma múmia.
Passei dias pensando nisso, se o que ele fazia era sacanagem ou não e no final não cheguei a conclusão alguma.
Adorei o cabra! Adorei seu jeito simples e engraçado de ver a vida. Adorei sua escrotidão malaca. Adorei seu jeito politicamente incorreto.
Ou seja, sou atraída por esquisitices.
Dizem que os opostos se atraem, logo eu não sou esquisita.
Viu? Eu não sou estranha.
Você é que é estranho porque, se você me atrai, você deve ser estranho e epla lei dos opostos, eu sou " normal".
Sacou a lógica?
Maluco é você, caralho!
E o pior, você é maluco babante, sem novidade alguma ( atraio esse tipo de maluco também), o que me remete ao texto anterior.
Será possível uma maluquice nova, por obséquio??

4 comentários:

Georgiana disse...

Atraso mas eu dou uma passadinha por aqui. Tomei você como amiga, nesse mundo virtual. Embora seja você a falar da sua vida! Adorei o jogo de baralho. Quero aprender também essas paciências com o ser humano alheio. Também encontro gente esquisita, mas, acho que os mais esquisitos são os que querem parecer normal, não? bom final de semana

Emerson disse...

Os Opostos se distraem e os Dispostos se atraem!
Certo!

Arnaldo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arnaldo disse...

Nunca engoli muito esta história de que os opostos se atraem. Isso pode valer pra eletrostática ou magnetismo. Quando se trata de companheirismo e de amor, acho que o que une são as congruências, mesmo.

Gostar do mesmo tipo de música, de comida, dos mesmos filmes, discos e livros. Pouca coisa dá tanto prazer do que viver com uma pessoa assim. Neste aspecto, dei muita sorte.