sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Perfume " Corre atrás"

Eu continuo achando que ele tem esse nome por causa do seu cheiro medonho e que todo mundo quer correr atrás para lavar, de tão fedido.
Mas depois do episódio do cachorro agarrado na minha perna eu precisava fazer um outro teste e tasquei o fedidíssimo perfume do Pará e fui ao show.
Tava lá assistindo o show, toda serelepe.
Ninguém corria atrás de mim. Eu estava parada, sentada. Vai ver que é por isso, pensava eu.
Quando acaba o show, me chamam no cantinho e recebo um recado. Um tal senhor caquético, devia ter um cento e trinta anos, ficou encantado com a minha pessoa. Ficou doido. Louco pra tomar meio quilo de viagra e mandar ver. Doidinho pra ver o que a baiana tem.
Mas ele é aquele senhor de idade, aquele que estava com você na mesa? - pergunta eu, com aquela cara de " putamerda, véio é foda".
Era ele mesmo.
Acho que não vai ser possível.

Mas, se a gente quiser pensar positivo, melhorou, né? Saiu de cachorro de rua fedido para um senhor caquético, mas já é uma mudança positiva. Pelo menos é da mesma espécie que eu, já é um grande passo rumo ao acerto.
Só falta tirar uns trinta anos, diminuir a barriga, dispensar o viagra que daqui a pouco acerto na mosca. Tá quase calibrado esse perfume. Falta um tiquinho só.

Mas, agora lembrando daquela noite, teve um moço bem substancioso que me deu um güenta porreta do lado do balcão. "Vem cá dar um abraço caloroso que só beijinho não me satisfaz".
Ai, meus sais! E me deu uma fungada no cangote! E e pensei: virgecruz, vai sentir o fedor do perfume e vai cair pra trás.
Porra nenhuma, nem percebeu. Alguma coisa naquele olhar me lembrou o cachorrinho da rua.
Olhe, aquele ali até que é uma boa mira. Mas o perfume ainda não acertou a mão porque se aquele moço muito do substancioso corresse atrás de mim, logo atrás, viria a namorada dele, louca e loira, querendo enfiar o frasquinho do perfume no meu duodeno. Não seria assim tão divertido. E como tudo que entra tem que sair, não seria agradável também.
Um adendo. Homem, definitivamente, não presta mesmo.
Mas esses fatos indicam uma mudança que gera uma excelente expectativa.
Tê realmente acreditando que farei fortuna com o tal perfume " corre atrás". Vou revender para as encalhadas do sul e sudeste e manterei um harém masculino particular. Um sonho de consumo, confesso.
Já to até me imaginando...

8 comentários:

Claudia Lyra disse...

Sei lá, Tatiana... Cachorro, velho caquético, homem comprometido... esse perfume é muito perigoso!

Tatiana disse...

É, Claudia
Ainda não deu assim, 100% certo.

Anna disse...

um harém particular e uma firma de direito pra cuidar dos processos por causa da revenda desse produto de altissima periculosidade...kkk nem sei se é assim q se escreve...kkk
mas ó, traz ele qq dia pra eu fazer um teste drive, eu te dou uma receitinha caseira da nossa bruxa miga yo, tiro e queda, ou a gente mistura os dois kkk
beijo!
parabéns ai pelos textos.
como alegra meu dia!

Anônimo disse...

Tatiana,
Eu quero fazer parte do seu harém, posso?
Sou muito maleável, me encaixo em qualquer lugar, não sou ciumento e lavo louça.
Um negocio da China?
Posso?

Anderson-kbça disse...

Tatiana, começo a achar que é a dosagem do "corre atrás", acho que você começa a acerta a mão.

Vai fundo, que dizer nem tanto... ah sei lá.

abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Tatiana,
O perfume fez tudo isso , é? Puxa!
Beijão

Impresssões Digitais disse...

Desde quando vc precisa desse cheiro? Acho q deveria é ter um perfuminho "Sai de Mim", para emergências, rs...
Gostei de sua visita. Legal q vc gostou do texto.Tem um novo lá q acho q vc vai curtir.
Apareça sempre. A casa é sua, afinal já lhe disse que vc é a madrinha do blog.
E madrinha entra sem bater.

Anônimo disse...

Querida, apesar da superlotação, adorei te ver sábado.

Vou te mandar os textos.

beijos beijos.
Má F.