quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Entrevista com Taïs Reganelli


Começa hoje uma série de entrevistas com meus amigos, artistas ou não.
Hoje teremos a graciosa presença de Taïs Reganelli que faz dupla com seu irmão Henrique Torres, tem um cd chamado " MPB e Companhias" e é uma figura adorável.
Eu já publiquei aqui que nós éramos a Fada Má e a Bruxa Boa. Eu, a Bruxa Boa, é lógico. Mas eu falo isso porque ela tem uma carinha de gente boa, de boazinha! E é realmente, mas tem um outro lado, um humor afiado, ferino que eu adoro!
É minha amiga querida que aceitou meu convite para aparecer aqui e abrir seu coração. Canta lindamente com sua voz de pluma, é lindíssima e uma criatura muito engraçada. Mas acha que não é.
Nossa entrevista foi feita pelo MSN e está na íntegra. Tirei os excessos de ha ha ha ha ha e rsrsrsrsrsrs. Mas rimos muito, é bom esclarecer.
Para quem quiser conhecer, ouça aqui.


Como você se vê? Como você se definiria para alguém que não te conhece?

Como alguém complicado de se conviver

Por quê?
Talvez mimada. Não gosto de ser contrariada e sou meio direta pra algumas coisas - vulgo grossa.

Mas você passa uma impressão de ser tão doce e delicada. É espontâneo ou é um personagem?
Eu sei ser doce e na hora em que sou doce eu realmente acredito que sou. Não é fingimento.
É um pouco de marketing pessoal.

Falando de música, especificamente. Como você se define? Canto com sinceridade. Gosto muito de cantar. Acho minha voz pequena mas afinada. A minha sorte é ter um timbre aveludado, porque com os agudos que eu uso eu poderia ser muito mais irritante.

Você gosta de se ouvir?
Às vezes. Depende da gravação... da música. Tem umas que eu falo:"olha! que lindo!", outras eu quero me esconder.

Eu entendo perfeitamente!! Uma pergunta mais íntima. Você daria para o Chico Buarque?
Chico é quase um fetiche nacional, eu diria. Eu acho que se ele me desse mole, eu pegava!.
Hoje em dia não. Ele ficou meio babão e eu já fui mais apaixonada por ele. Eu tinha um altar no meu quarto. LPs, todos os CDs, compactos, livros, recortes... fotos.
(ai que medo de ele ler isso e eu me arrepender de dizer que não )

Vamos torcer para que isso não chegue nele!!
( risos nervosos)

Você tem outros talentos artísticos? Se não fosse cantora gostaria de seguir uma carreira " normal" ?
Estilista. Mas mudo de idéia a todo momento. Queria saber costurar, fazer minhas roupas.
mas também tenho fascínio por nutrição.

Eu já vi seus desenhos e eu acho seu traço lindo. Quem fez as ilustrações do seu primeiro cd foi você mesma. Não tem vontade de mostrar esse lado para mais pessoas?
Tenho vergonha e me acho pouco criativa nesse lado artístico. Difícil desenvolver uma idéia. Consigo mais executar alguma coisa com uma idéia pronta. Não tenho grandes sacadas, acho que um artista plástico precisa ser original. Penso isso da música também, mas na música não me acho comum.

Você é muito crítica com você mesma?
Nossa, demais. Mas não luto contra. Acho uma merda mas não tento melhorar.

E o que você ouve atualmente em tua casa? Que tipo de som, que compositores?
Você!

Não vale puxar saco!!!!
A Talita que mora comigo só te ouve!!!

Ai que delícia!
Eu não aguento mais.

Mas se Talita está fora, o que você ouve?
Quando sobra um espaço no som ouço Dante Ozzetti. Há meses que ouço o cd dele e não canso. "Ultrapássaro"

E o meu já cansou...vai saber o que ele tem que eu não tenho...
Eu ouço você falar o dia inteiro. Cansei da sua voz. ( gargalhadas sádicas).
Brincadeira. Até porque o seu timbre falando é diferente do cantado. Pelo menos no cd não tem dislexia

Filha da puta!! ( gargalhadas que me fazem desequilibrar)

( explicação: eu vivo trocando letras, palavras e nomes das pessoas. Virou piada geral)

Quais são suas referências como cantora? Toda cantora cita Elis. Ela te influenciou?
Quando eu era pequena ouvia muita música brasileira boa, mas ouvia muita música européia também.
(Explicação: Taïs nasceu na Suíça quando seus pais precisaram sair do Brasil em exílio político. Foi alfabetizada em francês. Um nojo.)
Passei minha infância ouvindo flamenco porque eu dançava. Ouvia uns italianos que meu pai adorava, ouvia beatles. Um fato curioso é que eu não ouvia muita mulher cantar, não sei porquê. Não cresci ouvindo Elis, ela não é referência pra mim. Como cantora acho que foi bom, não criei vício. Muito fácil pegar trejeitos de vozes que você admira.

E hoje você se vê enquadrada dentro de alguma escola? Por exemplo, hoje temos as contraltos, mulheres de vozes fortes. Na década de 80 tivemos as cantoras-passarinhos, Ná Ozzeti, Vânia Bastos. Onde você se enguadra?
Não consigo me classificar. Fiquei aqui pensando e não cheguei numa conclusão. Sei que tenho voz pequena e fraca, não tenho potência de voz, mas ganho na emoção. O meu canal na mesa de som está sempre estourado porque ela é fraquinha e soprosa. Quando alguém usa meu microfone logo depois de mim fica super alto.
Imagino você usando o meu.

O que você acha mais desagradável na vida de cantora?
Várias coisas. Isso não quer dizer que eu não goste do que faço mas tem dia que é um saco.
Não gosto dos horários, não gosto de contratante desonesto, não gosto de bêbado pegajoso, não gosto de miséria com comida, não gosto de ser esquecida pelo garçom, odeio gente que não consegue sacar o tipo do seu repertório e logo depois de você tocar Luisa e Sem Fantasia te pede Bruno e Marrone. E isso acontece aos montes!
Mas tem gente chata que diverte a gente, principalmente aqueles que chegam com o bilhetinho com um pedido à la "virunduns", como "na pele da Ju" (la belle du jour) e "castor carente" (Tanto mar).

Qual foi a pior situação que você viveu, enquanto cantora?
Engolir mosquito, babar, tropeçar, engasgar, trocar letra... ihhh tanta coisa... mas eu disfarço bem. Faço cara de segura e quase ninguém percebe. Já entrou bichinho no meu nariz e fiquei espirrando. Mas o que mais acontece comigo é ter crise de riso. Eu sempre vejo cenas esdrúxulas e caio na gargalhada, sem pudor. Pro riso eu não me contenho.

O que é sucesso para você?
Viver bem do que se ama fazer. O que eu gostaria era de poder chegar numa cidade qualquer, fazer um show num teatro médio e ter um público certo. Como a Ná, a Ceumar. Ter um público cativo. Uma delícia.

Qual é seu sonho a médio prazo que ainda não realizou?
Exatamente esse. O de cantar por aí sem pensar se vai ter ou não gente pra ouvir, sem saber se vou ter prejuízo. E queria gravar com todo mundo. Adoro gravar. Com todo tipo de gente.

Você compõe. Como é a tua relação com o processo de composição?
Não sei, não sei mesmo. Compus muito pouco. Quando compus ou eu estava sofrendo ou estava muito feliz. As palavras não vêm, é uma dificuldade. Quando alguém começa é mais fácil, dou o rumo final, mas naõ é um processo fácil. Fico achando tudo besta e já dito.

Nós fizemos uma canção. Por minha máxima culpa, uma canção menor, que não é nada de mais, mas entendo que faz parte do processo ter canções menores. Já fez uma música que achou uma grande bosta e resolveu jogar fora???
Não concordo. Eu gosto do que você fez, mas ainda não entendi a linha melódica. Fiz uma merda, mas uma merda, mas uma merda tão grande e que foi musicada. Tive a pachorra de dar pro Nilson Ribeiro musicar. Morro de vergonha de ter passado adiante e de ter gasto uma melodia dele. HA HA HA HA HA
E quando eu rio no teclado, eu rio mesmo, viu? hahahaha

(Explicação: isso é verdade. Ela escreve ha ha hah e quando tá rindo mesmo. Eu vi e fiquei impressionada!)

Ainda tem cd para vender?
Ô. Uns 500, 400.

O que você acha de eu te chamar da cantora mais turca que eu conheço?
Por que turca?

Porque consegue imaginar teu aniversário no bar para cobrar covert dos amigos!
hahahahahahahahahahahahahahahahahaha
Ser cantora é dar a cara a tapa. Sempre que alguém criticar alguma coisa não estarei perto pra vetar. E a sua crítica é sempre engraçada. Mas ganhar um couvert extra, é ganhar um presente da aniversário
Se acha uma cantora com tino comercial??? Eu acho isso uma visão de empresária. Coisa rara no meio musical.
Eu sempre tive que correr atrás do talento do Henrique. Sempre achei ele muito mais talentoso que eu. Daí desenvolvi uma capacidade diferente, a de organizar, fazer marketing, relacionamento... mas isso aconteceu naturalmente. Eu gosto. Dá muito trabalho também. O site levou meses. Não foi eu que fiz mas passei todos os detalhes do que eu queria.

Você sofre com inveja e olho gordo?
Dá pra saber?

Quem sofre sabe, né?
Eu não sou santa mas sempre prefiro duvidar de uma maldade. Eu custo a acreditar que alguém não gosta de mim. Não por me achar ultra gostável mas sim por duvidar que umas pessoas não gostam de outras, apesar de eu não gostar de algumas.
Confuso?

Você prefere carne ou frango?
Essa foi a pergunta mais difícil até agora. Gosto de comer! Aliás, amo comer. Sou uma glutona que tem que pensar toda vez que vai comer pra não comer o mundo.

Massagem nos pés ou cafuné?
Cafuné pra tristeza e sono. Massagem nos pés depois da cantoria.

O que um homem tem que ter para chamar a sua atenção?
Um sorriso largo e sincero e alguma musicalidade.

A última:
Como gostaria que fosse lembrada, depois da sua morte?
Não vou morrer.
hahahahahah

16 comentários:

Lea Perroni disse...

Adorei!

Vivien disse...

Eu gosto muito de vários músicos de Campinas, acho que a gente tem um cenário bem bacana nesse sentido.
Eu fui no lançamento da Thais ( não consigo colocar o acento correto...) e Henrique, comprei cd, pedi autógrafo, no melhor estilo fazoca.
O segundo comprei no Franz ( boa dica, eles cantam alguns domingos).
Acho a dupla afinadérrima, com um gosto impecável. Gosto da produção deles e tinha até escrito um post sobre uma música específica, que adoro ( "Chuva") e peço sempre, sempre, sempre, mas ainda não publiquei.

Anônimo disse...

Haha...."Na Pele da Ju" foi a melhor! Adoro a Reiga....grande cantora e uma pessoa incrível. Adorei a entrevista.
bjos...

Anônimo disse...

Ah, o comentário acima é da Marina Franco, esqueci de assinar.
bjos.

Gika disse...

Essa menina é uma lindeza...pena que a gente não convive muito agora pq ela se mudou pra LONGE...AHAHAHA, e ando saindo pouco...=P. Mas morro de saudade dela.
Beijinhos

Zéfiro Encanado disse...

Super a idéia das entrevistas.
Deu vontade de ouvir o som da garota. Ela tem uma super pinta de ariana. Será?
Sugestão: põe um sonzinho dela aí para a gente ouvir.
Afinal seu blog está internacional e deixou de ser campineiro, onde os homens mentem tanto e dizem q nunca fizeram troca-troca.
A propósito vai uma frase genial de um amigo poeta da pesada:
-Quem nunca deu o cú é viado!

Tatiana disse...

Eu não sei colocar música no blog!!!!!!
Já pedi ajuda, jurei que me mataria engolindo o mouse e..nada! Nenhuma alma boa para me ajudar...
Bosta de vida...
Zefirento, compra o cd dela pelo sitem que está indicado.
E compra o meu tb...a gente manda em um pacote só e com autógrafos...

Tatiana disse...

Ahhh, masi um adendo.
Ela é de escorpião.

Marcus Steinmeyer disse...

hahahaha puta trampo.. ficar copiando e colando do msn pro word.. 16 horas de entrevista..hahahahaha

saudades.. bjs

Marcia Franco disse...

O JP dizia que a Thais cantava lindamente.E olha que ele manjava muito....Eu ainda não pude ouvi-la, mas o farei.Gostei muito da entrevista.Beijos
Marcia Franco

aline disse...

Ahahahahaha, adorei a idéia das entrevistas! Me diverti! Mas a melhor parte foi "Não vou morrer." Hahahahahaha!!

Mamy disse...

Olha! Eu também não vou morrer!! Que coincidência!!!
Amei a entrevista e, se um dia for a Campinas (o que talvez ocorra ainda esse ano), quem sabe não terei a oportunidade de conferir a dupla? E é claro que vou querer te aplaudir também, né?

Taïs Reganelli disse...

estou tão emocionada... rsrsrs tô adorando os comentários. tô aliviada também. ninguém xingou!
mil beijos.

Tatiana disse...

Imagine, meu bem, se alguém ia te xingar!
Você é OTEMA!

Silvia Daiane disse...

Adorei sua voz! Onde comprar????
Também tenho a voz pequena e fraquinha. Sei como é isso num mundo "masculino", rs. Mas gostei mesmo viu!
grande abraço

Tatiana disse...

Taïs,
Responde a moça porque eu acho que isso foi pra você...
Vende um cd para ela, vende um cd para ela!!