quinta-feira, 2 de fevereiro de 2006

Yemanjá

Hoje é dia de Yemanjá. Só me recordei disso porque fui ao blog de Claire.
Tenho uma forte ligação com este orixá.
Quando eu era criança e morava em Salvador eu queria ser filha de Yemanjá. Ela é linda, poderosa, a Rainha do mar, respeitada por todos, pelos marinheiros, tem uma festa linda. Eu sempre me pareci com a imagem que se vende da Yemanjá branca. Longos cabeloes escuros, peitos fartos. Eu queria ser uma filha de Yemanjá.
E eu pedia, com aquela força de menina que nem moça era ainda, para que ela me aceitasse.
Quando eu tinha uns 18 anos fui jogar búzios para saber quais seriam os orixás que tomavam conta de minha "cabeça". Não foi surpresa quando a velha negra me disse:
" Você é filha de Yemanjá com Ogum. Pode parecer Iansã, por esta força guerreira, mas isso vem de Ogum, orixá de guerra. Você é uma filha de Yemanjá e não deixe que ninguém bote a mão em sua cabeça."
E eu não deixei mesmo.
Fui outras vezes em outros lugares para jogar búzios e nunca falam os mesmo orixás. Sou um caso clássico de briga pelo controle de mim. O segundo orixá, Ogum, sempre é o mesmo, mas o que toma conta mesmo, sempre muda. Já saiu Iansã, Oxossi, Oxum Apará, até Exu ( neste caso, fui levada gentilmente para fora e nem cafezinho me ofereceram).
Eu acho que meu pedido de criança foi forte demais. Yemanjá em ouviu e veio para mais perto. Não sei se foi eu a responsável por tanta confusão, mas fiquei muito feliz por ter meu pedido escutado.
Eu nunca fui batizada em igreja católica. Sou pagã. Mas gosto de pensar que tenho como madrinha a linda Yemanjá e escolhi como meu padrinho Gabriel Arcanjo, o Guerreiro Celeste. Isso mesmo, essa miscelânia mística.
Cortei meus cabelos quase no pescoço no ano retrasado e hoje sinto muito falta daquele cabelão pesado. Parece que não sou eu que está aqui com tão pouco cabelo. Não consegui jogar os cabelos cortados no mar, mas fui a uma cachoeira e, como todo rio acaba desaguando no mar, deixei ali minha cabeleira decepada. Um presente para ela.
Hoje, dia de Yemanjá , eu faço uma promessa pública. Deixo meus cabelos passarem dos ombros, como sempre foram. Quero a benção de minha madrina-mãe. Quero que ela esteja do meu lado direito, o peito farto a me dar colo e do lado esquerdo quero estar à sombra das asas de São Miguel, meu anjo guerreiro, sua espada brilhando e afastando as minhas trevas.
Meu cabelo vai crescer bonito e forte e eu vou na beira do mar beijar os pés de minha mãe, cantando para ela minha música Mãe D'água.
Tá prometido.

7 comentários:

gika disse...

Lindo Tati.
Com Iemanjá e Arcanjo Gabriel ao seu lado nada lhe faltará. Fiz minhas oferendas à ela no ano novo. Meu barquinho foi aceito rapidinho, qdo vi estava longeee.
Bom sinal né...rs.
Beijos

Claire disse...

Olha que baiana esquecida...rs
Tudo bem, tive que lembrar a uma amiga minha, baiana também, normal...
Não fui à praia hoje, não deu, mas ela tá pertinho, tá aqui comigo sempre.
Quanto aos orixás, também não sei, cada um diz uma coisa diferente sobre mim também. Acho que acontece com todo mundo, não?
Vou ficando por aqui. Adorei os comentários.
Fica bem.
Beijão.

Andréa Reis disse...

Oi Tati
No ano passado deu uma "louca" em mim e cortei os cabelos bem curtos, curtos mesmo, "joãozinho", depois disso, fui mais 3 vezes cortar os cabelos para tentar me encontrar no espelho... tive que parar pois estava me dando uma vontade cada vez maior de passar a máquina para apagar tudo aquilo... hoje, às vezes gosto do que vejo no espelho, mas a maioria das vezes nem gosto de olhar no espelho. Junto com as saudades dos meus cabelos longos e a esperança de que cabelo cresce rápido, dentro de mim a certeza que "joãozinho" nunca mais!
Bjs
Andréa

Márcia Nestardo disse...

Olha Tatiana. Tenho essas informações desencontradas também. Mas no meu caso acredito que vai chegar o dia em que um orixá vai chegar de vez e nunca mais sair.
Tenho cá meus lances com a cabeça (só da louco no pedaço) e todo jogo me identifica com Yemanjá.
Mas travo minhas batalhas com fervor revolucionário, grito, bato, mordo... E nas horas mais desastrosas, chamo Iansã... e sinto que ela me escuta.
Sei lá.
Eles estão aí. Nós estamos aí.
Que sejam sempre bençãos.
Sempre, sempre...

Anônimo disse...

Fiz meu pedido hoje a yemanjar e sao Cipriano que se eu alcançar aos meus cabelos os deixarei novamente logos sem que ninguém alem de mim possa tocar e ao anunciar publico realizar a minha devoção

Juninho Mpb disse...

Você pode ter Yemanjá e Iansã. Yemanjá também pode ser brava, assim como a água que é calma mas basta um movimento ela se revolta e destrói tudo. Na dúvida saude as duas Odoya e Epahey Oya, mal você não estara fazendo. Axé para você irmã.

Juninho Mpb disse...

Você pode ter Yemanjá e Iansã. Yemanjá também pode ser brava, assim como a água que é calma mas basta um movimento ela se revolta e destrói tudo. Na dúvida saude as duas Odoya e Epahey Oya, mal você não estara fazendo. Axé para você irmã.