quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Entrevista com Bruno Ribeiro no banheiro feminino


Bruno Ribeiro é um cara corajoso porque topou ser entrevistado por cinco mulheres aos mesmo tempo. Eu, Taïs Reganelli ( cantora e compositora), Fernanda Dias ( também cantora e compositora), Marina Franco ( jornalista, escritora e atriz) e Lígia Moreli ( jornalista e cantora e uma futura entrevistada) entramos no msn e metralhamos o coitado por quase duas horas.
Foi divertidíssimo!
Bruno é jornalista aqui de Campinas, escreve sobre botecos, sobre música, é convidado pelas gravadoras para entrevistar grandes nomes da música popular, tem um livro sobre o samba campineiro chamado " A Suprema Elegância do Samba", editado pela Editora Pontes , é um tremendo de um letrista, parceiro meu ( ali do lado tem o samba Querido Amigo para se ouvir), da Fernanda Dias, do Adriano Dias, Edu de Maria, de um monte de gente. E ainda tem um blog maravilhoso que eu vou todo o dia.
É um cara que conhece muito de música, de cachaça, de futebol, escreve coisas que me faz chorar e, ainda, é muito bom dividir uma mesa de bar com ele.
Não foi uma entrevista normal, foi uma esculhambação generalizada e eu me esforcei para dar uma idéia do astral da entrevista. Segue aí, quase na íntegra.

21:30. Todos entram ao mesmo tempo no msn.

Lígia - Nossa, Tati,, você vai ter que organizar isso aqui, se não, vai ser difícil.
Tatiana- Tá todo mundo se entendendo aqui? Todo mundo vê todo mundo?
Lígia - Eu estou vendo todos. Falta a Marina,né?
Tatiana-Bruno? Cadê o Bruno?..Cade a Marina? Cade o entrevistado? Fugiu?
Bruno-Calma gente!!!! Uma de cada vez
Lígia -O Bruno vai ficar louco!
Bruno-Vamos organizar essa porra!!
Lígia - Ele já tá estressando antes da entrevista.
Tatiana-Fique calmo que tudo se organizará, estamos fazendo aquele alvoroço de chegada.
Bruno-Gente, me dá um minuto. Estou terminando um papo aqui, vou dispensar a menina
Tatiana- Vai mijar de nervoso? Dispensa essa vaca!
Lígia - Peraí aí que eu vou fazer xixi...
Fe-Olha, acabei de falar com o Zé, a Marina ficou presa no trabalho, mas tá voando pra lá. Chegando em casa, entra direto.
Bruno-Não põe cueca na conversa não!
Fe - É só calcinha, Bruno, só calcinha e vários tipos.
Tatiana- Eu to sem! ( gargalhadas)
Fe - Eu to com uma ótima.! Com um sorriso na bunda.
Lígia - A minha é de florezinhas, bem viada mesmo.
Bruno-Putz, vai ser foda!!
Tatiana -Vamos começar?
Fe-Espera o Bruno!!
Tatiana- Esperar o que Bruno? Por quê? Ele vai botar calcinha também?
Bruno-Assim não vai dar . Quando eu estiver digitando, não fiquem escrevendo, senão atrapalha. ok?
Fe- Já começou com exigências.
Lígia -Falou o machão
Fe- Assim não dá....assim não dá!
Tatiana- Macho é foda!
Taïs -Hummmm... frescura.


Tatiana -Bruno, uma coisa bem simples. Aquele papo de você se definir. Como é que você se vê?
Bruno - Essa pergunta é boa, mas é dificil de ser respondida. Eu nunca penso muito nisso, pra falar a verdade. Acho que as pessoas - todas as pessoas - são um amontoado de referências e valores, e essas coisas vão mudando e a gente vai mudando com elas. Então eu me vejo assim também, como uma pessoa que muda com o tempo. A única coisa que não pode mudar é o caráter. Eu me vejo como um cara de princípios.

Ligia – Essa sua coisa de ter princípios tem a ver com a tara que você nutre por morenas, ou você tem a crença da burrice loira? Explique isso pra gente.
Bruno -Boa pergunta. Eu não acho que as loiras sejam burras! Pelo menos não todas. Mas o fato é que as morenas sempre me pareceram mais inteligentes e muito mais sedutoras.

Lígia - Espero que isso não tenha sido só um agrado às entrevistadoras, a maioria morenas. Quer dizer, foi mal aí, Fê....rs
Fe - Quem disse que eu não sou morena?
Tatiana- Só se for nos pentelhos.
Bruno- A Fernanda é loira com cérebro de morena.
Taïs- Bondade.

Fernanda - E como vc acha que as pessoas te vêem? Você veste alguma máscara ou é sempre esse "cara de princípios"? Desenvolva seus princípios. Ah,e loira de cú é rola!!!
Tatiana - Que mimo de moça!
Bruno- Adoro mulheres que falam palavrão, Fernanda. Bem, eu sei lá como as pessoas me vêem. Nem fico pensando muito nisso. As pessoas nunca vêem a verdade dos outros. E eu me incluo nessa.


Taïs- O jornalismo é imparcial?
Bruno -Nunca! Isso é uma bobagem. E eu acho que será melhor quando parar de enganar o leitor com esse discurso de imparcialidade.

Taïs-Pra que lado você pende? Mente muito?
Bruno- Mentira e verdade são conceitos relativos, depende da sua ótica. Eu tenho a tendência de sair em defesa de quem não tem voz. Eu acho que o jornalismo deveria representar o segmento da sociedade que sempre esteve à margem, mas infelizmente a lógica do mercado acaba fazendo com que a gente escreva para quem pode pagar pela noticia.

Conversas em off-
Lígia - A réplica ficou melhor que a pergunta. Ele tá escorragadio pacas ,hein !O cara não é fácil.
Fe-Pois é. Fugiu. Não dá pra deixar não!
Lígia - Ele vai fugir em todas. É safo com as palavras, ainda mais escrevendo.
Tatiana- Taïs é terrivel.
Taïs -Era a intensão, mas precisava da pergunta.

Tatiana -Eu morro de inveja de você quando sei que está indo para o Rio, tudo pago para entrevistar alguém graúdo, um Chico Buarque, um Gil. Você tem vontade de dar uma de tiete? Pedir autógrafo? Tirar foto ou faz aquela linha..nem te ligo, meu filho?
Bruno- Não, nunca pedi autógrafo na minha vida. A gente se acostuma com isso.
Tatiana - Você é um nojo

Lígia - Você é louco pra fazer lista das 10 mais, 5 mais, adora fazer listas. Então vamos lá. Diga as cinco mulheres insuportáveis que você jamais comeria e as 5 que você daria o mundo pra comer.
Bruno- Bom, excelente pergunta. Mas eu não sei se deixaria de comer alguma mulher, a não ser que ela fosse feia ou chata demais. E já que vocês querem nomes, vou citar de cabeça cinco mulheres que batem um bolão: Camila Pitanga, Maryeva, Juliana Paes, Cleo Pires, Paloma Duarte, etc, etc. Mas, é claro, vocês são melhores do que elas.

(Conversas em off, enquanto ele digitava)
Taïs -Não quero entrar nessa lista. Nem pra sim e nem pra não!
Tatiana -Eu quero. Afinal, tô sem calcinhas! ( gargalhadas)
Fe- ha ha ha ha ha ha aha ha ha ha ha aha
Lígia - Putz, ele não vai ter coragem de incluir a gente. Só se tivesse bebido um pouquinho.Só falta ele falar que não daria o mundo pra comer ninguém....hehehehe
Tatiana- Pela demora para responder, ele tá comendo meio mundo!
Lígia -É, pelo jeito ele demora pra digerir.
Taïs -Tá pensando muito
Tatiana - Eta moço político do caralho!
Lígia - Diplomata.


Fe- Falando em comer...O que é para você considerado normal e o que você acha bizarro nesse universo? Você faria de tudo por prazer (o seu e/ou o dela)?
Bruno- Depende do que for esse tudo. Acho que só não toparia dividir a moça com outro cara.

Tatiana- Anões besuntados, você topa?
Bruno - Ah, Tatiana, vai se foder.
Tatiana -Na manteiga, ó que delícia!!

Fe -Por ciúme, por pensar em você com outro cara, por quê?
Bruno-Não, porque um cara pelado do meu lado estragaria o clima.

Taïs - Já que você é sempre a favor dos fracos, porque não ficaria com uma feia? Diria pra ela que é por isso, já que é franco?
Bruno -Claro que não diria, eu sou um gentleman, Taïs. E beleza é um troço relativo, não é mesmo?

Tatiana- Ele é inteligente
Lígia - Ah lá, o cara se safou de novo....
Taïs -Ele é safo
Lígia - Ele não vai se ferrar. Esqueçam
Fe- Eu não pensei nada. Vou fazer tudo na hora.
Lígia - Eu também não pensei muito não!
Tatiana- Ele é foda.


Tatiana- É difícil pra você ter que escrever sobre bares daqui da cidade? Tem bar que é uma merda mesmo?Você tem que ser muito criativo nos adjetivos?
Bruno - Sim, tem bar que é uma merda, mas se for muito ruim eu nem escrevo. Eu não sou obrigado a escrever sobre o que eu não quero.


Tatiana - Lígia, é tua, Tafarel!!
Taïs -Ai ai ai. Tô com fogo na piriquita. Quero falar!!! ( gargalhadas)
Fe-Tatiana, só você pra falar Tafarel. Me lembrou você pulando e gritando: Gerônimoooooooo!!!!
Tatiana -hahahahhahahahahhahahahha
Taïs - A risada de árabe da Tati de novo


Lígia - Como você, um cara que eu conheci louvando a vida de Vinícius de Moraes em verso e prosa, lida hoje com a fidelidade? Ela é automática, como dizem os românticos, ou ninguém é de ninguém? Ah, em tempo: você já foi fiel?
Bruno -Eu sou fiel, Ligia. E acho que Vinicius de Moraes também era fiel às mulheres que amou. A monogamia é um desafio à natureza humana, mas ao mesmo tempo é um pacto de honestidade que fazemos com a vida. Nós nascemos para ser amados e não apenas desejados sexualmente. A monogamia é uma escolha que você faz, afinal, não se pode ter tudo na vida. É dificil, mas não impossivel. A não ser que você seja Jean-Paul Sartre e tua companheira Simone de Beavouir, que saiam transando com todo mundo sem culpa ou ciúme. Eu digo isso, mas não é fácil para mim também, já pisei muito na bola.

Lígia- Com estas entrevistas, teu blog vai bombar de acessos.
Taïs - Lígia, os anos 80 te ligaram pedindo a gíria de volta. ( gargalhadas)
Lígia -Engraçadinha. Então se liga nessa, morou? vai ficar um ESTOURO!
Taïs Reganelli -Esta pequena é mesmo uma parada.
Lígia - Só falta a gente cantar Robertão.

Tatiana-Você já sofreu dor de corno? Já sofreu e tomou aquele porre? Chifrudo mesmo, coisa de traído?
Nunca me senti traído dessa forma que você coloca. Mas já chorei amores terminados e já tomei porres homéricos.

Fe- Você disse que nunca pediu autógrafo, que é acostumado com isso. Você é leitor e ouvidor. Você tem ídolos e/ou heróis? Quem são?
Bruno -Ídolos não, mas tenho heróis muito particulares. Meus heróis são aqueles que mostraram que é possivel passar por esse mundo sem olhar apenas para o próprio umbigo. O João Cantuária talvez seja o meu maior herói. Ele foi jogador do São Cristóvão, que é o time do bairro em que nasci. Ele morreu defendendo as cores do clube. Sabia que ia morrer se entrasse em campo (porque tava com a gripe espanhola), mas mesmo assim, entrou, deu o sangue pelo time e morreu. Esse cara é meu herói!

Marina -hahaha...João Cantuária é foda!
Lígia - Coisas de Bruno.
Tatiana - Vai pensando em alguma pergunta, Mariana, se não for fazer, passemos a bola para a Lígia.
Marina - Mariana é a tua vó.
Fe-hahahahhahahahhahahahha
Tatiana- Marina, Marina MARINA!!
Lígia - Marina morena Marina você se estressou ...
Fe-Ela é dislexica, gente....vamos vibrar....briva....vribra....vriba.... ( me imitando a abestalhada da Fernanda)
Tatiana - Lígia, boa!
Fe-Ela tá precisando escafiar umas fotos. Me disse outro dia!!

Taïs - O que você acha de Campinas, uma cidade com mais de um milhão de habitantes, possuir apenas 2 jornais? E que são comandados pelo mesmo grupo. E a gente ficar refém disso.
Bruno -Olha Taís, na verdade não são dois jornais, mas um só, já que fazem parte da mesma empresa. Eu acho que Campinas poderia ter outros jornais sim, mas isso depende de uma série de fatores que ultrapassam o meu conhecimento. Para nós, jornalistas, seria ótimo ter mais jornais. Isso representa mais emprego e aumentaria o nível das noticias.

Lígia -Bruno, na época da faculdade você andava com uma galera que era tida como intelectual e esquisita. Certa vez você me escreveu que, justamente por ser poeta, você vivia até mais intensamente do que muita gente. A tua vida é uma poesia, ou vice versa? Não sei se você tá lembrando disso que me escreveu certa vez, se justificando por ser "normal" como todo mundo.( risos)
Bruno-Ligia, eu repudio esse tratamento dado aos poetas e artistas. Para mim são pessoas comuns. O poeta não é superior, apenas é uma pessoa que escreve bem com uma sensibilidade apurada. Da mesma forma que um chef de cozinha é um trabalhador que sabe manipular os alimentos com sensibilidade apurada. O que quero dizer é que todo mundo pode ser especial naquilo que faz sem essa de ficar se achando foda só porque é artista. Aí o chuveiro queima e o poeta não sabe trocar o fusível. É lamentável. Se eu disse isso alguma vez, retiro o que disse. Eu repudio esse tipo de pensamento.

Taïs -Ele era maconheiro?
Lígia - Mas isso não era o pior....rs
Marina -Ele escreve pra caralho, não pára mais.
Tatiana -Verdade. Punheta com as letrinhas.
Lígia -Ainda mais quando eu toco nas feridas.
Tatiana -Sangrentas e purulentas.


Lígia - Mesmo porque, você tem dificuldades em trocar o chuveiro, né?

Bruno - Tinha, mas estou aprendendo. Quando se mora sozinho é isso. Tem que equilibrir teoria e prática senão você vira um inseto.

Marina -Bruno Ribeiro, olá, cheguei há pouco mas já estou gostando da brincadeira. Bem, na minha opinião, o seu senso estético, musical e até futebolístico remetem à décadas passadas. Você acha que nasceu na década errada?
Bruno- Não, eu nasci na década certa! O que ocorre é que certos valores, que considero importantes, estão caindo em desuso.

( um comentário meu - Mentira. Já vi o Bruno de sapato branco. Quem deste mundo, que não é médico, usa sapato branco??)

Tatiana -Te farei uma pergunta de foro íntimo. Me diga com toda a sua sinceridade típica:
VOCÊ DARIA PARA O CHICO BUARQUE??

Bruno -Nem que eu fosse viado! O Chico é um velho pelancudo, gente!
Tatiana- Se fosse bonitão você dava?
Lígia - Realmente ele deu uma caída.
Tatiana- Mas eu ainda dava pra ele. Socava viagra e mandava ver.

Fe-Um dia desses a gente se juntou e alem de fazer nossa primeira parceria, conversamos muito. Você me disse uma coisa que me identifiquei, e achei lindo. Me disse que é feliz e triste. Como você explica isso?
Bruno-Bom, eu acho que uma pessoa pode ser feliz e ser triste, porque tristeza não é sinônimo de infelicidade. A alegria é efêmera, mas a felicidade é um sentimento interior que resvala no eterno. Nossa, gastei o verbo! Gostou, Fer?

Fe- Adorei! E você me ajudou a me entender. De verdade
Bruno -Gracias.

Lígia -Começou a rasgação, hein?
Bruno -Ciumenta!
Fe -Coisas de parceiros.

Taïs -Qual a importância de Rubem Alves para a cultura brasileira?

( Uma explicação antes da resposta . Faz um tempinho, Bruno fez uma crítica do livro que o Rubens Alves tinha acabado de lançar. Falou algo assim, que ele estava se repetindo, não me lembro bem. Pois o outro não ficou puto da vida? Respondeu no mesmo jornal, quase chamou o Bruno de fedelho, quem era ele para criticar, essas coisas. Foi o maior auê, gente escrevendo pro jornal dando razão pro Bruno, outros para o Rubens Alves. Uma confusão da porra!)

Bruno -Nenhuma, mas ele tem os leitores dele, tudo bem.

Lígia - Amei. Taïs, você é foda.
Tatiana- Taïs é ótima
Fe -É ótema!
Tatiana-Cadê a porra da marina? Marina foi cagar, certamente.
Fe- Marina tem nenem, gente!
Tatiana-A gente sabe, mas temos que sacanear os ausentes.
Marina -Não fui cagar.
Tatiana - Eu sei, meu bem!
Marina- Fui deixar o João assistindo um filminho.
Fe - Não fui cagar é ótimo!!

Lígia -Bruno, aproveitando a deixa da rasgação do verbo, eu sei que você escreve muito bem, todos sabem, e sei também que esse deve ser um atributo e tanto na hora de conquistar a mulherada. Mas conte cá uma coisa: na hora H mesmo, você também faz poesia ao pé do ouvido?
Taïs -E broxa em seguida?
Faço antes e depois, mas durante não.

Lígia- Também, teria que ter muita concentração né?
Bruno -Seria ridiculo.

Marina- Bruno, qual a melhor coxinha que você já comeu?
Bruno - A do Bar Voga, bem engordurada. Isso se a pergunta não tiver duplo sentido, claro.

Lígia -Acho que tem hein....

Marina- E no sentido figurado?
Bruno - É sempre a da mulher que está comigo, Marina...

Lígia - Mas é picareta mesmo, hein!
Fe - Que bonito isso! Se fosse verdade seria lindo!

Tatiana - Dois peitos ou uma bunda?
Bruno- Uma bunda, claro!

Tatiana - Por quê?
Ora, sei lá eu. Herança portuguesa, talvez.
Tatiana -Além da sífilis, é claro
Bruno -Sim!

Lígia -Uísque ou caipirinha?
Bruno -Uísque. Nesse ponto não sou nacionalista.

Fe- Feijoada ou japonês?
Bruno-Feijoada. Mas gosto de comida japonesa também.

Taïs- Você é músico frustrado?
Bruno-Não, nunca quis ser músico.

Taïs- Mas é bom letrista.
Bruno - obrigado!
Tatiana - É mesmo.
Bruno -Vixe.

Taïs - Mão ou boca?
Tatiana- Taïs!!!!
Bruno - Nossa, que pergunta! Adoro as duas coisas!

Lígia -Sempre te vi como um cara de ideais e bandeiras. Como você se sente tendo deixado o Cupinzeiro, que era uma bandeira do samba pra você, e o partidão?
Bruno - Eu não deixei de acreditar nas duas coisas. Me afastei por vários motivos, mas o principal é que não sou uma pessoa que consegue trabalhar em grupo. Sou gregário, adoro pessoas, mas sou muito indisciplinado.

( Mais uma explicação: O Cumpinzeiro é um núcleo do Distrito de Barão Geraldo, em Campinas, que realiza rodas de samba na cidade e faz um trabalho de resgate e memória, principalmente do samba o paulista. E o Partidão é aquele mesmo)

Tatiana - Meu bem,não pergunto nada que preste hoje, mas eu quero saber uma coisa tua. Você é daqueles que não deixa passar a mão na sua bunda?
Bruno - Deixo passar, mas na superfície. Entendeu?

Tatiana- Careta. Sem profundidade nenhuma esse cara. Superficial.
Taïs - Que careta!

Fe -Falando de poesia. O que te inspira?
Bruno - Fer, o que me inspira é o cotidiano. Não consigo escrever quando estou na fossa ou me divertindo pacas. Eu me inspiro com uma noticia de jornal, um papo de esquina, um decote. Eu acho que o combustível dos meus textos está nessa vida banal, que a gente quase não percebe no dia a dia.

Taïs - Quem você mataria?
Bruno - Muita gente, Tais. Muita gente mesmo! O Paulo Maluf pra começo de conversa. O Agnaldo Timóteo. Enfim, se você quiser eu dou uma lista enorme.

Taïs -Você mataria mais do que comeria.( risos)
Marina -Aguinaldo Timóteo eu também mataria.
Taïs - Se entusiasmou mais com essa do que com a outra.

Lígia- E aquela lista das coisas mais odiáveis no mundo. Dá uma palhinha ?
Bruno -Nossa, Ligia, é tanta coisa! Eu odeio amigo secreto em churrascaria rodízio, gente que fala no cinema, odeio pegar fila. Cacetada, é muita coisa mesmo.

Marina-Que loucura você já fez por amor?
Bruno-Marina, eu não sei te dizer. Eu acho que a maior loucura foi ter amado mesmo. Quer coisa mais louca do que isso?

Marina -Ai que lindo! E alguém já fez alguma grande loucura por você?

Tatiana-Jesus, assim ele acaba com a gente.
Lígia - Nossa, deixou todas babando....
Tatiana -Poeta é foda, sabe usar a língua portuguesa, as palavras, né?
Bruno -Menos, meninas
Taïs - Também acho... hahahahha
Tatiana- Fica quieto, Bruno e só responde.
Bruno -Me perdi na respostas. Onde estava mesmo?

Marina-Alguém já fez alguma grande loucura de amor por ti?
Bruno -Já sim, Marina. Posso morrer feliz, eu acho.

Lígia - Fugiu hein...
Bruno- Quer exemplo?
Fe- Conta, conta, conta!
Marina-Pode dar detalhes? Sem citar nomes.Sem citar nomes, nem datas.
Lígia - Queremos os detalhes sórdidos.
Tatiana- Sim..sórdidos, sórdidos
Bruno -Uma moça que veio de avião, lá de Porto Alegre, para passar uma noite comigo, e embarcou no dia seguinte, porque ia se casar dois dias depois. ( risinhos felizes e escrotinhos)
Lígia - Nossa!
Marina -Nossa, que adúltera! Haha, adorei! Ordinária!

Taïs -Você não se considera traidor-cúmplice?
Bruno -Não, porque eu não conhecia o sujeito. Se eu fosse amigo dele, não aceitaria.

Lígia - É isso aí, Taïs. Afinal, ela foi ordinária, mas bem que você achou bonitinha, né?Perdoando o trocadilho.
Bruno -Próxima.


( Enquanto isso, nos bastidores da entrevista...)
Tatiana- A Marina fez as dela e eu faço a última, aquela da humanidade
Lígia -Beleza
Fe-Certo.
Marina -Finalizar com humanidade é tudo.
Taïs-Que babação!
Tatiana diz: ha ha ha ha haha
Lígia - Só falta mandar um beijo no coração no final da entrevista. ai, ai....Beijo no coração ninguém merece!
Taïs-Gay pacas.
Fe- Obrigado por vocês existirem! Isso pra mim é o pior!
Lígia Ou uma coisa xou da Xuxa, foi muito bom estar com vocêss.
Tatiana -Quanta merda!

Tatiana-Tá cansado?
Bruno- Eu não. E vocês?
Fe- Eu to adorando.
Tatiana-'Magina!!! Daríamos mais umas três entrevistadas em você , fácil.
Taïs -Foi legal.
Bruno -Foi bom pra vocês?
Marina-Foi bom pra você?
Tatiana-Tô até fumando um cigarrinho!
Lígia -Se eu fumasse, estaria tragando agora.
Fe- Nossa...eu já fumei uns três!
Bruno -Vamos sair? Tomar umas?
Tatiana - Bem, deixa eu acabar esta bagaça aqui. Calma. Tem mais uma pergunta.

Tatiana- Você ainda acredita em um mundo melhor? Acredita na humanidade?
Bruno -Claro! isso é tudo o que me move. E eu tenho certeza que o mundo, um dia, será o lugar ideal para todos os seres humanos viverem. Eu não estarei vivo para ver esse mundo, mas não importa. Fico feliz do mesmo jeito
.
Tatiana- Beleza, meu bem.
Encerrou-se

E ainda ficamos conversando pelo msn e combinando de nos encontrarmos para tomar umas cervas geladas e rir um pouco mais da vida.
E eu pensava com meu botões: vou me ferrar pra editar tanta conversa, tanto riso, tanta alegria.
Estávamos em um banheiro feminino mesmo.
Foi ótimo!

23 comentários:

Vivien disse...

Vamos lá, todas as entrevistas foram ótimas, mas essa chuuuuutou o pau da barraca. VCS SAO TERRIVEIS....RSRS..to engasgada de tanto rir, puuuuta que pariu....rsrsr
OUTRA COISA: Bruno, não sabia que era vc que tinha sido esculhambado pelo Rubem Alves, eu li isso, mas não sabia quem era o jornalista....e que critica...ele se repetindo?????!!!!!!...
magiiiiiiiiiiiiina....hehehehehehh....;0)

Tatiana disse...

Vivien,
Mulher quando se junta só sai merda!

Bruno Ribeiro disse...

Tatiana, vocês deveriam fundar um pasquim virtual. É o tipo de entrevista que faz uma falta danada hoje em dia!

Taïs Reganelli disse...

Ai, como fui cruel! rsrsrs
Desculpa...

Tatiana disse...

Foi nada! Foi massa!

aninha kaled disse...

ele é tudo mesmo!

Clélia Riquino disse...

Meninas,
Vocês metralharam o Bruno!!! Mas ele conseguiu sair ileso...
bjos,
Clélia

Anônimo disse...

atiana,

adorei a "entrevista" com Bruno,confesso que nao sabia da simplicidade e inteligencia dele,a unica coisa que sabia antes disso era só sua paixão pelos bares,pela musica e pela bohemia.

valeu nota 1000 pra voces,meninas cantoras,compositoras e muito intligentes.

bjs
Rui Monteiro

cynthia disse...

estou apaixonada!!!!

Tatiana disse...

Por quem? por mim, pela Tais, pela Marina, ela Lígia, pela Fernanda ou pelo Bruno???
ha ha ha ha ha ha ha ha

AleXXX disse...

Puts, cá com os meus botões, eu fico imaginando o fuá que deve ter sido o msn de vcs esse dia: quatro terríveis mulheres ao mesmo tempo (com direito a conversas paralelas) contra um pobre entrevistado. Mamãe!
Foi divertido!

Ricardo disse...

uma galera tida como intelectual e esquisita. e a gente achava que os esquisitos eram eles. intelectual a gente não achava que eram eles, achava que era a gente mesmo. (Ricardo, membro da galera tida como intelectual e esquisita)

Carlos disse...

Leio sempre todas reportagens do Bruno tanto do jornal, quanto da revista. Foi muito divertida essa entrevista e, como a Vivien disse "chutaram o pau da barraca" e ele "enfiou o pé na jaca" mesmo. (foi bom defensor de nossa categoria,rs).
Eu só gostaria de saber se nessas "via sacra" pelos bares ele perde o "rumo" mesmo, ou tá sempre sóbrio???

Bruno Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Shasça disse...

Gostei mais das entrevistadoras.
O entrevistado me parece meio xinfrim.
MAntenha o pique.
Bjs pra ti, minha cantora predileta.
Aliás, és a única cantora baiana de quem sou fã.

renata soares disse...

O Bruno é um grande cara! Sarrista, mas c/ um coração enorme!

Tatiana disse...

Shasça,
Bruno é tudo, menos xinfrim!
E vc é um cara muito do galanteador.
beijos...

Lígia Moreli disse...

Resposta para o Ricardo: o rótulo de turma intelecutal e esquisita não foi dado por mim, apenas o reproduzi. Não significa que eu concorde, ok? Agora, intelectuais, realmente, vocês são. Espero que esteja tudo bem contigo! Mande notícias!

quina vida disse...

vocês tratam bem os homens entrevistados. aliás tatiana, este coisa de ser entrevistado por mulheres pode virar um projetinho pra este blog né? um dia cinco mulheres entreistam um homem, outro cinco homens entrevistam meninas. beijo até.

Cristiano disse...

Assino embaixo com o Marcio...

André Julião disse...

Sensacional essa entrevista, tanto pelo conteúdo quanto pela forma - conversas paralelas etc.

Voltarei a mais esse blog campineiro. Quem sabe o meu não chega lá um dia?

Anônimo disse...

necessario verificar:)

Anônimo disse...

Ai...nada a ver eu só ler esta entrevista hoje.Dei várias gargalhadas...
Fiquei curiosa pra saber o que rolou com a muié de Porto alegre. Será que nasceu um poetinha mirim? kakaak