sábado, 9 de agosto de 2008

Aos encantados

Eram mais, mas eu só consegui identificar três.
Um elfo, uma bruxa e uma fada.
O elfo é diáfano como as águas que passam por dentro dele. É como o instante que antecede a queda d'água, o pretérito da cachoeira.
Tudo encharca, tudo nutre. Se quiser, alaga e mata.
Não sabe ainda que vê. Mas sente. Um que anda entre os mundos. Olhei pra ele e pensei " é de outro mundo, diferente do meu, mas ainda assim é de um mundo diferente. Interessante". E o elfo me olhava sem saber ao certo o que via porque ainda não sabe que é um elfo.

A bruxa já foi no reino de Hades, já acarinhou Cérbero, já pingou lágrimas amargas no caldeirão. Já foi Fênix, já viu Ícaro, dormiu com Perséfone. Acordou e conversou com o espelho. Sorriu pro vidro embaçado. Andou na beira do precipício com olhos vendados, dançou pra Mãe Terra em entrega honesta, curou com as ervas que têm no armário de sua alma. Atenta àquilo que não é dito. Olhos na beira do corpo.
Tem poder e força. Seu atame brilha na sua mão e ela não percebe. Ainda não. Mas só quem foi nas profundezas é quem realmente sabe renascer. A ela, um brinde. Pois eu reconheço.

A fada acha que é bruxa, mas é fada. Uma fada irriquieta, uma fada solar, cheia de riso, de virgulas, interrogações. Mas não é no caldeirão do mundo de uma bruxa que ela tem seu poder. Não. Ela é a fada do pirlimpimpim, do encanto que transforma o agora em uma coisa nova. Essa é a magia. A magia de ser. E é só sendo que ela faz o que as fadas fazem. Porque as fadas, diferente das bruxas, não precisam nada fazer. Elas são o encantamento. Elas são a magia. E são elas o grande presente dos céus para o mundo.
Minha fada-pirilampo ainda não sabe que nem todo mundo vê fadas. Mas isso não quer dizer que elas não existam. Minha fada-corisco acha que é bruxa mas na sua mão o que brilha é uma varinha de condão. Imensa. Brilhante. Cheia de intenção.
E quase virgem. Basta começar a somente ser.

Aos encantados da noite de ontem, mais um brinde.
Tem um lugar posto à minha mesa para vocês.
É sempre bom olhar os entre-mundos.
Me sinto menos só.

8 comentários:

Rodrigo disse...

Tatiana, te adicionei no orkut. Agora não sou um desconhecido, risos! Dei à cara para bater.

Beijo

Anônimo disse...

Eu queria ser chamado de " encantado" por você.
Quem sabe um dia me dá essa possibilidade.

Tatiana disse...

Rodrigo,
Já te dei oi por lá também!

Tatiana disse...

Anônimo,
Seria muito mais fácil se se identificasse.Por enquanto é só uma alma penada sem nome. É um tipo de encantado...viu só??

Juliana Hilal disse...

Oi Tati, ainda vamos conversar muito sobre isso.
Muito. Adorei.
Beijos

Menininha bossa-nova disse...

Ameeeeeeeei... é a primeira vez que gosto de ser chamada de fada... E eu sei que você diz com propriedade. Se você diz, eu acredito!!

Um beijão bem encantado!!

Tatiana disse...

Juliana
Conversaremos, pois...

Tatiana disse...

Menininha,

Tô " encantada"!
hahahahhahaha
Beijos