sábado, 5 de julho de 2008

Muito bem , Gafanhoto!

Eu adorava essa série. Uma das cenas que mais me impressionava era quando o Gafanhoto tinha que carregar um caldeirão cheio de carvão em brasa, segurando-o só com os pulsos e daí era marcado um dragão, um tipo de tatuagem. Achava aquilo impressionante.

Não sei por que, comecei a falar " muito bem , gafanhoto" pra um monte de gente que nem era nascida quando o seriado passava.

Quem ainda lembra disso, além de mim?

Para quem não sabe, seguem as explicações.

Kung Fu foi uma série de televisão estrelada por David Carradine, apresentada no período de 1972-1975. Conta-se que Bruce Lee queria o papel e, ao ser preterido por Carradine, aceitou trabalhar em Hong Kong, de onde retornaria para a América pouco tempo depois, transformado em astro cinematográfico do Kung Fu.

No filme piloto da série, é mostrado o aprendizado do monge Shaolin Kuain Chan Caine. Quando um de seus mestres favoritos (Mestre Po, um ancião cego e que apelidou Caine de gafanhoto) é assassinado, Caine se vinga e mata o assassino. Depois foge para América do velho oeste. Caine tem sua cabeça posta à prêmio pelo império Chinês, o que o obriga a estar sempre fugindo, de cidade em cidade, como o típico justiceiro solitário. Só que Caine não usa armas de fogo nem cavalo, se defendendo apenas com o Kung Fu. Intercalada às histórias do presente, mostram-se flash backs que contam os aprendizados dados por Mestre Po e Mestre Kahn à Caine, no templo Shaolin, sendo esta a maior novidade da série.


3 comentários:

Andréa Reis disse...

Claro que lembro. Achava o máximo o treinamento de ter que andar em um tapete de uma areia bem fina (na minha viagem era farelo de casca de arroz) até conseguir andar sem deixar as pegadas na areia... vivia treinando isso na praia, mas nunca consegui... até hoje sei que piso como um elefante!!!
Bjs

Tatiana disse...

Andréa, minha queridas
Isso! A areia! Lembrei da cena na hora que li o que você escreveu!!
Isso mesmo! Ainda tinha o negócio da areia!

Danny disse...

Eu não lembro do programa, mas conheço a expressão, né, Tatiana? Sem nem saber a origem dela! rsrs
Acontece!