domingo, 24 de fevereiro de 2008

Família

Família é uma coisa esquisita e surpreendente.
A gente não escolhe a primeira família, vem incluída no pacote do nascimento.
Ganhei, nesta vida, uma mãe virada na porra, sagitariana, animadíssima e com uma energia que faz inveja a muita gente. Muito da mulher que eu sou, eu devo a ela. Meu exemplo de força e otimismo.
Um pai que morreu super cedo e que me deixou na memória algumas imagens lindas e fortes. Ele no timão do catamarã com seu boné de " capitão" e cachimbo, fazendo a linha Lobo do Mar. Em uma roda de samba, cantando João Nogueira. Aquela sobrancelha que subia e indicava que a coisa estava ficando preta pro nosso lado.
Um irmão que quem ouve acredita que é parente do Príncipe Charles, tamanha a sua chiqueza. Imenso e lindo, coisa que me encheu muito o saco porque muitas moçoilas se aproximavam somente com a intenção de ficar perto dele e não de mim. Foi com ele que aprendi a bater e brigar como homem. Ou eu aprendia ou ele me dava cacetes realmente humilhantes. Como ele era realmente muito, muito maior que eu, desenvolvi as técnicas que uso até hoje quando alguém mais forte resolve brincar de brigar comigo. Dedo no olho, mordidas, chute no saco e meu golpe famoso e realmente eficaz: dedada no cu. Quem recebe, abandona a briga me xingando e dizendo que eu realmente brigo de forma baixa. Tudo culpa do meu irmão.
Uma irmã parecidíssima comigo. A mesma voz, quase. O mesmo senso de humor escrotinho e escrachado. Doida de pedra. Tanto que hoje ela se chama de "Estrela do Mar". Mudou de nome e viaja pelo Brasil com uma mochila nas costas. Acabou de me avisar que está em BH, passará pelo Rio e já, já aparece aqui em casa. Estrela do Mar, veja só.
Seu filho, meu primeiro sobrinho, é uma alma calma em uma família de gente apimentada. Não sei como ele saiu tão tranquilo, tão de paz. Galego como a minha irmã. E tão amado quanto meu filho. Vi literalmente nascer e chorei emocionada.
O segundo sobrinho nasceu no mesmo dia que meu pai e foi batizado com seu nome. Lindo. Não parece meu irmão e tem os olhos mais expressivos da família. Não vejo muito porque moramos em estados diferentes, mas ele já se comunica comigo via msn e eu morro de orgulho de ter um sobrinho tão cibernético e tão novinho.
O terceiro sobrinho, também filho de meu irmão, é o creco. O moleque é inteligente e bom com as palavras. Vai fazer meu pobre irmão pisar miudinho. Esperto. Levado. O cão de calçolão chupando manga. Adorei ele.
Daqui a pouco nasce mais um. Meu irmão realmente acreditou naquele negócio de " crescer e mutiplicai-vos". Tá se mutiplicando que é uma beleza!
E a família continua crescendo.
Meu filho mais velho daqui a pouco pode me dar netos. Espero realmente que demore porque eu não sei como seria ter uma criança me chamando de vovó.
Meu caçula nem começou a namorar, mas quando isso chegar, adotarei a sua escolhida e farei meu maravilhoso brigadeiro para adoçar a norinha e fazer a média.
E tem os amigos que são a família que escolhemos. Uma família imensa, essa minha.
Meus amigos e amigas que me acompanham nestes anos todos viajando sozinha pelo Brasil, que me deram comida quando a coisa tava preta, que cuidaram de mim quando eu estava na cama, que me levaram e buscaram da maternidade, que batiam palmas escandalosas nos shows, que invadiam minha cozinha, que gargalhavam comigo e de mim, que choraram em meu ombro e que tentavam me consolar quando eu chorava. Meus amigos. Alguns de mais de vinte anos, outros novos, mas sempre meus amigos.
E quando a gente se enrosca com o amado, a família dele vira, de certa forma, um pedacinho da nossa família. Dividimos almoços, juntamos as panelas, acompanhamos a vida dos outros com cuidado e atenção. Damos palpites, torcemos e rezamos por eles.
É, família é uma coisa muito estranha mesmo.
E hoje eu agradeço por esta minha família estranha e divertida.
Não dá para reclamar.

11 comentários:

Anônimo disse...

Família Linda! Benza Deus!
beijo, Tat!

mamão disse...

Assino o que o colega disse ai.
Eu é que queria uma desta.

mamão

mamão disse...

Cara,
teu blog é o máximo!!!!

Tatiana disse...

Mamão,
Brigada por esses comentários e pela visita.,
To indo ver o seu blog!!!

Tatiana disse...

Mamão,
Não dá para ir ao seu blog...
uma bosta isso

Tatiana disse...

Anônimo
Benza Deus mesmo, né?

Anônimo disse...

ush, Tat
esqueço de assinar quase sempre né...
sou eu a anônima lá do primeiro recadinho, tá...rs
Ana Paula Marsigli.

Tatiana disse...

ana,
eu sempre reconheço o seu sotaque...
hahahahahah

Vivien Morgato : disse...

delicia de texto e agora fiquei curiosa: escreve mais sobre a primeira família...Estrela do mar..bom,já deu pra sacar que histórias malucas não podem faltar pra quem se auto batizou assim..certo?
beijossss.

Vivien Morgato : disse...

delicia de texto e agora fiquei curiosa: escreve mais sobre a primeira família...Estrela do mar..bom,já deu pra sacar que histórias malucas não podem faltar pra quem se auto batizou assim..certo?
beijossss.

mamão disse...

sei lá o que houve
vou ver.