sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Eu tinha fechado as janelas e as portas de minha casa. Passado trancas, perdido as chaves dos cadeados. Saía e entrava de mim mesma pulando os muros e saltando os obstáculos. Fingia acessos e pontes mas, na verdade, o que eu tinha eram muralhas, portões impenetráveis e senhas indecifráveis.
Eu, um enigma que me devorava as carnes.
Mas o Tempo, o Senhor da Razão, o maior curador de todos, apodreceu os telhados e do mais alto dos céus penetrou na penumbra covarde de meu peito com seu falo luminoso e fecundo. E se fez a Luz. E se fez o Verbo. E se fez em mim aquilo que é o antes de tudo, que é a matéria intocável mais importante de todas as matérias nomeáveis. Trouxe à Luz as minhas sombras mais terríveis, meus fantasmas covardes e mesquinhos.
Ele.
O amor se chegou como um visitante tímido, mas que logo toma conta do seu espaço. Invadiu quartos, pendurou quadros em minhas paredes, quebrou os cadeados - órfãos de suas chaves desaparecidas, limpou os pés nos meus tapetes e molhou as plantas do meu quintal.
O amor se instalou como se nunca tivesse saído. Como se nunca tivesse morrido. Como se nunca tivesse sido desacreditado. Como se nunca tivesse penado por meus vãos da Alma, arrastando as correntes do meu passado morto.
Como todo deus, o amor definha quando não acreditamos mais nele.
E agora, ao meu lado, vive o Amor.
Para que nunca mais suma de mim. Para que nunca mais se obscureça. Porque, na verdade, ele nunca partiu. Só se escondeu dentro de mim.
E eu me escondia dele e vivia assombrada.
Não o exorcizei, somente deixei vingar outra vez.
E agora a pequena chama que bruxuleia ao meu lado, vela para que ele não perca o caminho de volta, quando precisar correr o mundo.
E eu o aguardo em uma casa iluminada, portas abertas, janelas sorrindo.
Sobre minha cabeça, um céu estrelado.
Sob a minha mão, a sua mão.
Só assim se é feliz.

4 comentários:

Anônimo disse...

Lindo!!!

Tatiana disse...

To emotiva hoje.
Cheia de palavras.
Cheia de coisa..sei lá...momento mulher...sei lá

Anônimo disse...

oi Tat!
é mais que um momento e mais que lindo. é sublime isso. amor e prosperidade.
=)
Ana Paula Marsigli.

Danny disse...

Será que eu ainda acredito nele?