sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Ainda o corre atrás

Ainda bem que tem gente que vê essas coisas acontecerem porque senão fica eu aqui passando por mentirosa.
Mas estava eu lá no meu botecão preferido, o City Bar, com dois amigos. Exatamente aqueles que eu disse uma vez que eram meus namorados, que éramos um casal a três. Mentira, óbvio, mas o povo acreditou e até hoje me acham modernérrima.
Pós show, nada melhor que uma cerva.
Estávamos lá, morrendo de rir, porque esse trio é realmente muito engraçado, quando me aparece um senhor muito do distinto, calça social, camisa de tecido, cabeleira branca. Distinto, mas um senhor mesmo. Ele chegou na mesa de um tal forma que eu pensei que ele fosse pedir o isqueiro emprestado. Prontamente estendi para ele antes que abrisse a boca.
Ele fala sei lá o que, nem entendi direito, porque pra mim ele tava era querendo roubar meu isqueiro e aquele isqueiro ele não levava não porque eu tinha acabado de roubar de alguém e estava mais preocupada em evitar essa perda.
Ele diz alguma coisa de deixar não sei o que ali e me entrega um cartãozinho.
Pensei:
- Tadinho, tá foda a vida mesmo. Veja só que situação, tão elegante, tão fino, aqui, pleno City Bar, a uma da manhã, entregando cartãozinho de empresa. Que coisa, né? Deve estar precisando mesmo dar uma agitada nos negócios. Porra, mas no City Bar?
Eu pensei isso em milésimos de segundos.
Aí eu li, assim meio de relance " empresa de desmumificação".
Ai, o filha da puta tem uma empresa de desmumificação e tá me entregando? Múmia é a mãe dele, esse velho escroto, vai chamar as tuas negas de múmia!
Isso tudo assim, um raio de pensamento. Cerveja na cabeça faz essas coisas.
O coroa vai embora e meu amigo diz assim, meio escabriado:
-Tem umas coisinhas escritas atrás.
A amiga louca pra ler.
-Mostra, mostra, mostra!
O amigo diz:
-Tá indo embora no maior carrão!
Eu leio o cartão. Na verdade era uma empresa de desumidificação e eu li errado, é claro. Não tô no Egito pra ter empresa de mesmumificação. Idiota, eu!
A maior xavecada, tipo torpedinho. Melhor, torpedão.
Eu fiquei tão nervosa que comecei a dar aquela minha famosa risada rouca de ogra. Râ Râ Rã Râ.
Nem consegui olhar pra trás pra ver se o coroa tava mesmo indo embora. Suei frio.
O amigo, é claro, tinha que esculhambar o coroa, dizendo que ele era a própria múmia em pessoa.
A amiga retrucando:
-Mas e se você estivesse acompanhada aqui? E se tivesse alguém aqui que fosse rolo teu? Não ia dar merda isso?
Eu pensei bem baixinho:
-Puta que me pariu, esse perfume "Corre Atrás" tá funcionando. Ainda não acertou a mira, mas tá ficando cada dia melhor.
Ê lerê que já, já eu caso e monto a franquia, fico rica e exporto para o mundo esse eficientíssimo perfume do Pará.
Mas terei que colocar um adendo , se continuar assim:
Perfume Corre Atrás.
Mas corre devagar porque só atrai velho e se correr rápido demais, mata os coroas de ataque cardíaco. Ou, no mínimo, dá uma lesão nas juntas que vai ser foda cuidar depois. Por isso, leve grátis uma tintura de arnica para dores musculares e luxações em geral.

Tô dizendo, vou ficar rica!

4 comentários:

Zéfiro, gargalhando disse...

Empresa de Desmumificação é do cacete!
Vc é uma lôca!
Estou chorando de rir.

Claudia Lyra disse...

Deus do ceú, Tatiana!!!! Você não só vai ficar rica vendendo esse perfume, como, também, vai dar o golpe do baú em algum coroa milhonário!

Anderson-kbça disse...

huahuahuaahuaa. bom, este caso está igual a mulher que não sabe cozinhar e fica tentando acertar o tempero. falta pouco, Tatiana. Falta pouco.

abraço

Tatiana disse...

Eu também acho, Anderson.
Tô quase lá!
hjaahha
Zéfiro, eu juro que não sei porque essas coisas acontecem comigo!!
MAs acontecem!

Claudia,
Eu não tenho natureza para golpe do baú. Posso unir o útil ao agradável. Mas só no útil, bem, só no útil é coisa de puta e eu não tenho estômago para isso não.
Acho que eu não aguento um negócio desse!