terça-feira, 31 de julho de 2007

Para você

Se eu pudesse, te daria de volta tudo aquilo que perdeu.
Em um lindo pacote prateado, meu presente para você hoje, seria uma honra nova e intacta.
Te daria a bondade que nasce de uma fonte incansável.
Te daria um farol para essa noite escura e esse mar turbulento.
Se eu pudesse, meu amor, te daria a coragem mais viva e colocaria em tuas mãos a espada sagrada para o correto combate e assim a tua luta não seria em vão.
Nos teu ombros descansaria o manto da justeza.
No teu peito, a generosidade mais fecunda criaria raízes.
Te daria também a vergonha porque, às vezes, só a vergonha é quem puxa as rédeas.
Mas infelizmente, não posso te dar aquilo que não é dado jamais.
Não se planta semente em solo estéril porque a semente não vinga quando o inverno se instala.
A minha honra de mulher não te serve.
Minha bondade de mulher não te cabe.
Meu farol é pequeno demais para tanta escuridão.
Minha coragem é minha e a minha espada tem a marca do suor dos meus dedos.
Minha generosidade está em um pote que nunca seca, mas agora está no limite do mínimo permitido. Tenho medo que me falte.
A única coisa que posso te dar é a minha vergonha. Essa sim é tão grande que me sobra ao ponto de não me fazer falta. Mas a vergonha é jogada em sua face sem cuidado porque a vergonha não permite dignidade nem a delicadeza de um presente arrumado.
Te dou a vergonha que sinto de ti para que faça dela a sua rédea.
E não espero um agradecimento sequer porque sei que também te falta a gratidão.
Te dou minha tristeza e decepção, sabendo que isso é só um souvenir que colocará na estante de tua alma e raramente descansará os olhos, mas mesmo assim te dou porque tristeza e decepção nunca me fazem falta.
E te dou com o coração aberto e não aceito recusas nem retribuições.
Agora minha vergonha, tristeza e decepção são suas. Faça bom proveito.

10 comentários:

Claudia Lyra disse...

Ai, Deus... queria tanto sua elegância. Queria também sua sensibilidade, seu discernimento, sua habilidade com os sentimentos... Mas isso também não tem como você me dar, né?

Tatiana disse...

Pra que eu te daria aquilo que você realmente já tem?
Presente repetido não tem graça...

Antonio disse...

sensibilidade e inteligencia d uma compositora....vc e´foda...

Emerson disse...

E isso ai querida, põe pra fora.
Aprendi com você. Não passe vontade de nada.
Sou seu fã.

Emerson disse...

Esqueçi de dizer.
Esse texto é fantástico, triste, surpreendente, forte e corajoso.
Parabéns.

Morena disse...

Minha, irmã, querida ... não se machuque mais ...
Você é maior que tudo.

Adriana disse...

Tati, que bom de sentir a nobreza da sua alma, voando entre suas palavras que, eu sei, são sinceras. É isso aí! No fundo, é esta a semente que você tem dentro de si, e não há como plantar fel, se o que você tem pra oferecer é mel. Tenho muita alegria por conhecer alguém assim, como você!
bjks admiradoras de Nini

Vivien disse...

Nossa...

Ana Paula disse...

foi muito bem dado e merecido.

Lord Broken Pottery disse...

Tatiana,
Saindo da emoção, e tentando ficar apenas no texto, no que dizem as palavras, emocionei-me com a força delas. Muito bom.
Beijo