sexta-feira, 27 de abril de 2007

E o público?

Etiqueta para freqüentadores de bar com música ao vivo.

1- Tá a fim de conversar com a galera, tá cheio de assunto pra botar em dia? Então fica lá longe do palco, lá na última mesa, assim não incomoda os músicos nem a música te incomoda. Todos ficam felizes.

2 -Nunca se mete a mão no instrumento do músico. Nunca. Agarrar o microfone e querer cantar junto é caso de morte super justificado. Se você é desafinado então, puxa vida! É verdade que no peito de um desafinado também bate um coração, mas aguentar na orelha, enquanto se trabalha, é o ó do borogodó. A não ser que seja teu pai, teu irmão, tua amiga do peito e do duodeno. Aí você pode fazer essa barbaridade. Mas é um mico danado. Karaokê serve para isso.

3- Quem leva criança pequena para bar tem que ficar de olho no seu rebento. Criança correndo, pisando em cabo, querendo agarrar o microfone é um terror. Já tive vontade de dar um chutão em um menino pentelho que achava que era cantor sertanejo. O pai achando o máximo e eu chamando por São Herodes.

4- Cara, o cantor está cantando. Muitas vezes cantando e tocando. Não dá para dizer tchau, apertar mão, responder. Pode parecer óbvio isso, mas tem gente que não se dá conta disso e fica com aquela mãozona parada na nossa frente. E ainda quer beijar! Quer dar bitoca! Depois você beija, outro dia você se despede. Mas durante a música, só de um thauzinho de longe. Tá bom, tá super bom!

5- O “Parabéns para Você”. Só perde para Chão de Giz no quesito música pentelha. Eu acho uma tristeza tocar parabéns para você. Detesto. Odeio. Mas toco. Uma noite eu toquei uns sete parabéns para você. Nem o público aguentava mais e eu fazia piada: "Adivinha o que eu vou tocar agora?". A galera berrava: " Peloamordedeus! Pede a identidade! Pede a identidade! Não é possível!".
Eu acho breguérrimo cantar parabéns em bar.

6- Os pedidos. Eu realmente não me incomodo com pedidos. O que eu sei, eu sei e se estiver dentro do momento, eu toco feliz. Mas tem gente que não tem nenhum parâmetro e pede coisas completamente estranhas. Tem músico que detesta receber pedidos. Melhor perguntar antes se o grupo aceita esse tipo de coisa.

7- Se a banda está tocando MPB, não vá pedir pagode, rock, sertanejo. Existe uma coerência musical, uma linha a ser seguida. Eu já recebi pedidos completamente inusitados. O Hino do Coríntians, por exemplo.

8- Músico não é máquina de tocar. Não dá para saber tudo e não estamos ali para satisfazer o desejo de uma única pessoa. Tirania de público é uma coisa muito chata.

9- O músico não sabe tocar a canção que você pediu, afinal não dá para tocar todas as canções do mundo. Vai ficar magoadinho? Vai reclamar pro gerente? Vai catar coquinho, meu bem!

10-Tem alguém da banda que você acha uma delícia, que você morderia fácil? Então antes de sair babando por aí, dá uma olhadinha nos lados, veja se tem alguém com cara de marido ou esposa por perto. Seja sutil, por favor.

11- Nunca, jamais, de jeito nenhum começe a cantar outra canção, durante a apresentação dos músicos. Mesmo o terrível “parabéns para você”. Isso é de uma falta de educação e de consideração pelos músicos que me dá vergonha quando acontece. E acontece.

12- Não se esqueça que os músicos estão trabalhando. Não é farra. Não é festa. Se dizem: " Agora acabou, boa noite! ". É boa noite, gente! Vá para casa, vá namorar, vá dar uminha, vá molhar uma samambaia. Não tem nada para fazer? É um solitário? Então deixe o músico ir para casa, namorar, dar uminha ou molhar a samambaia. Esse negócio de ficar mais uma, mais uma , mais uma, às vezes, é de matar um. Tenham piedade do povo da noite.

13- Não pede o violão para ficar tocado na mesa depois que acabou a apresentação. Não é legal emprestar violão para pessoas que não conhecemos. Aí somos obrigados a mentir, a arranjar uma desculpa para não emprestar e aí acabamos com fama de chatos, metidos e egoístas. Mas é o instrumento de trabalho, a gente morre de ciume do violão da gente. É quase como emprestar o namorado ou a namorada para os outros darem uma apertadinha. Você emprestaria?

14- Você é namorada ou namorado de alguém que toca na noite. Azar o seu. Quem mandou se meter com esse tipo de gente? Agora aguente.
Esse é um tipo de público terrível: os namorados (as), maridos ( as), ficantes, agregados e afins.
Tem que saber se comportar também. Tem que segurar o ciúme, a vontade de enfiar o microfone no fiofó daquela vagabunda que tá sambando com a bunda na cara de seu amor que está tocando. Faz parte da noite isso. Não faça. Só depois que sair do bar.
Não gosta de ver gente xavecando teu bem? Fica em casa assistindo a novela, vai você para outro bar e xaveca outro músico, mas pelamordedeus, não faz cara de bosta porque fica pior.

15 – Nem preciso dizer que vaiar é proíbido. Melhor aquela silêncio constrangedor. Para bom entendedor, um silêncio retumbante desse basta!

16- Para bêbados em geral. Vocês são um porre. Você babam, fedem, pegam, incomodam, irritam e ameaçam o ecossitema do planeta. Bêbado acha que a cantora vai dar para ele. Bêbado acha que canta. Bêbado acha que tá pagando, tá podendo. Bêbado acha que não lembramos as caras deles. Lembramos sim, de cada bebinho chato que passou em minha vida, eu lembro. Com ódio. Sim, sim. Na noite sempre tem os alcolizados. Mas eu não preciso gostar deles, preciso?

17- Teu amigo toca um violãzinho super legal, você adora ouvir ele em tua casa e você gostaria que ele tocasse no bar, que desse uma canja. Esqueça. A não ser que ele seja um músico profissional ou um músico de qualidade excepcional. E mesmo assim, não se esqueça que não é confortável emprestar o nosso amado violãzinho para um desconhecido qualquer.Mas se o cabra estiver com formigamento na mão, louco para tocar, vá conversar discretamente com o músico e pergunte se pode. Existem bares em que os próprios donos impedem que canjas acontecem para evitar constrangimentos. Tem gente que até canta bem em casa, mas na hora do “ vamos ver” pipocam e é aquele vexame. Se o músico não deixar, por qualquer razão, não fique bravo e entenda a situação. Se você é dentista, deixa alguem dar uma obturadinha, só pra matar a vontade? Ginecologista deixa?

18- Você ficou a noite toda ouvindo a música. Na hora de acertar a conta diz que não vai pagar o couvert. Caramba, porque ficou até o final? Achou que era caro demais? Não gostou do tipo de música? E é a maior sacanagem com os músicos que estão tocando porque é daí que sai o pagamento. E o pior, tem bar que para fazer média com cliente, dá desconto no couver! Por que não dá desconto na cerveja, na porção de batatinha, no uísque? Porque no couvert dos outros é refresco. Não querer pagar couver artístico, depois que ouvir, é medonho! E dono de bar que barganha com couvert merece o fogo dos infernos.

19-Hoje em dia, é comum , nos bares, garotas de programa. Garotas de programas são garotas de programa, cantoras são cantoras. Cobram por serviços diferentes. É o fim aquelas perguntinhas bestas: “ Quanto você cobra para fazer um show lá em casa?” Aí a cantora solta um palavrão bem cabeludo, desce do salto, soca a mão na cara do mequetrefe e acaba com fama de sapatão. Já se foi o tempo que quem trabalhava na noite era só as profissionais do sexo.

20- Gostou do som? Adorou a noite? Poxa, diga isso pros músicos! Nada melhor do que ouvir um elogio desses. Certamente, quando você voltar, os músicos farão de tudo para te alegrar, para te deixar satisfeito outra vez. Um bom ouvinte é uma jóia que todo mundo quer manter por perto.

12 comentários:

Paula disse...

Olá...
Você toca sábado? Se tocar onde será?
beijinhos

Vivien disse...

Acho que vc resumiu tudo, mas quem é sem noção lê blog?
Essa coisa de pedir música que não está dentro do estilo do músico, reclamar, bêbado, cantar junto desafinado, bêbado,e coisas assim são chatas pro músico e pra platéia, que tem vontade de chutar o rabo do bêbado. Chato como todos os bêbados.;0)

Clélia Riquino disse...

Tati,

Onde você tocará em Piracicaba, dia 5/5? Tenho uma amiga que mora lá, e gostaria de lhe dar a dica...

bjo,
Clé

Lígia Moreli disse...

Adorei!!! Perfeito!!!! Ahahahaha...
Meu pai tem que ler essa. VAi assinar embaixo!

Morena disse...

Mesmo euzinha que, não toco nem canto ... quando pedem Espanhola e Chão de Giz .... é de foder a noite.

Fernando disse...

Meus veementes protestos contra a revisão que foi feita nesse texto. Não contra o que foi acrescido, mas furiosamente contra o que foi subtraído ou substituído.

Tatiana disse...

Fe4rnando,
Você gosta de palavras chulas!
Eu resolvi ser fina...
Dura pouco, fique tranquilo.

Ana Paula disse...

isso além de estar impresso nas paredes de todos os bares, deveria ser distribuído em forma de cartilha pros frequentadores tb.
:)

marcia disse...

adorei o texto, mas me senti péssima agora. eu adoro "Chão de Giz" com Elba e Zé Ramalho...

:(

Clélia Riquino disse...

Tadinha da pinta! Fiquei com dó... (pena qu'eu não possa ser solidária, pois tb detesto Chão de giz!

Tatiana disse...

HAHHAHAHHA
Márcia,
Eu também gostava de Chão de Giz. Mas depois de tocar um milão d vezes, UM MILHÂO de vez, não dá! Gastei todo o meu bem querer...
Acho que nem o Zé Ramalho aguenta mais.

anna v. disse...

Muito boas essas listas de "etiqueta", perfeitas. Só falta agora uma com regras para outra situação, a roda de música informal. Coisas como: se puxar uma música, tem que saber cantar até o fim. Ou: é muito feio querer puxar todas, uma atrás da outra, sem dar chance aos outros músicos que estão na roda. E por aí vai.