quarta-feira, 7 de março de 2007


Essa mulher maravilhosa aí cantando comigo é a Elisa Lucinda. Poeta de primeira linha, cantora com voz grave de negona, atriz global.
Eu sou tiete assumida.
Quando me chamaram para cantar pequenas vinhetas no texto de apresentação dos projetos culturais de 2007 da CPFL, eu topei na hora. Quando eu soube que era ela que seria a mestre de cerimônia, quase caí para trás!
Cantamos Dom de Iludir, do Caetano. É esse o momento que registraram a foto.

Deu tudo certo, foi um sucesso total. Aquelas coisas. Mas isso não tem graça contar. O que eu gosto de falar são as coisas que acontecem nas internas.
Primeiro, o vestido. Ganhei esse longo metido a besta que me apertava os peitos de uma forma sádica e tinha um rasgo lateral que deixava minha perna de fora. Quando eu peguei o vestido e experiementei, eu não sentei, não " vivi" o vestido. Aquilo é um absurdo, uma imoralidade! Eu tava meio que pelada e tive que ficar segurando os movimentos pernais porque diante de qualquer vascilo, o vestido mostrava do alto da coxa até o dedinho do pé.
E o peito apertado, a coxa de fora, tentando lembrar das letras que eu tinha decorado no dia anterior, a porra do meu violão não tocou de jeito nenhum, ou seja, todos os arranjos para violão e guitarra foram pro buraco, eu ali, fazendo cara de que estava estava bem, e não estava nada porque eu estava me garantindo com o violão para me cobrir um pouco e o violão, sem som, não serve para nada. Eu olhava o Ugo que tocou comigo e dizia: agora é com você, parceiro. E ele segurou lindamente! Fazendo cara de que tudo estava bem. Tão dissimulado quanto eu!
E não se ouvia a guitarra! Não dava para ouvir nada!
ahahahahahah
O vestido abrindo, o peito apertando, o violão mudo, a guitarra baixa, o diretor da CPFL, gente importante pra cacete ali, Elisa Lucinda sem a letra da canção porque tinha perdido os papéis, eu que não sou nem um pouco boa em guardar letra, tendo qe tirar do fundo do meu baú essa lembrança.
Fotos, fotos e mais fotos. Me senti no Oscar com tanto fotógrafo tirando foto. Eu fui me abaixar para dar uma abraço na Elisa, depois que cantamos juntas, mais fotos, e eu sinto que minha pernoca tá toda de fora e não vai ter jeito mesmo de cobrir. Lá se vai minha privacidade perniana, tá todo mundo vendo e, pior, tirando foto.
Nunca mais em minha vida eu visto este vestido!!!- falava pro Ugo que me servia de guardião dos decotes. Tatiana, olha a perna de fora, mulher. Tatiana, assim não vai dar! Cobre isso!
No fundo, foi uma tremenda d euma diversão.
Depois teve aquela coisa do social. E cerveja. E vinho. E champanha. E eu feliz da vida.
Ai, foi uma delícia!
Adorei.

7 comentários:

Ronaldo Faria disse...

Elisa Lucinda é fantástica!
Você é fantástica!
Suas pernas devem ser fantásticas!
Viu que nada como um dia após o outro... "A vida é bela, nós é que estraga ela".
Beijos e carinhos.
Ronaldo Faria

Tatiana disse...

Ronaldo,
Eu achei a vida maravilhosa, ontem.
Por tudo.
Valeu.

claudia lyra disse...

Tatiana, Tatiana, o que tem mostrar as pernas de quando em vez? Ah... aproveita, fia, porque, na pele de cigarra, se pode quase tudo, inclusive mostrar os coxões, hahahahahahahaha...
O importante é que, no final, deu tudo certo. :)

Vivien disse...

Tati, que bacana...queria ter ido.
Não esquenta com a perna de fora, faz parte do shopw, ué.
beuijão.

Perla disse...

que bom vê-la mais animada.
Abraço

Menina Eva disse...

Ó, Tati, tu ficou LINDA cos peito misto-quente.

Rosa lhe cai bem...

Clélia Riquino disse...

Dom de Iludir
Caetano Veloso


Não me venha falar na malícia de toda mulher
Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é
Não me olhe como se a polícia
Andasse atrás de mim
Cale a boca e não cale na boca
Notícia ruim

Você sabe explicar, você sabe entender
Tudo bem
Você está
Você é
Você faz
Você quer
Você tem
Você diz a verdade
A verdade é seu dom de iludir
Como pode querer que a mulher
Vá viver sem mentir

[resposta a...]

Pra que mentir
Noel Rosa & Vadico


Pra que mentir
Se tu ainda não tens esse dom de saber iludir?
Pra que mentir
Se não há necessidade de me trair?

Pra que mentir
Se tu ainda não tens a malícia de toda mulher?
Pra que mentir
Se eu sei que gostar de outro que te diz que não te quer

Pra que mentir tanto assim
Se tu sabes que eu já sei que tu não gostas de mim?
Tu sabes que eu te quero apesar de ser traído
Pelo teu ódio sincero
Ou por teu amor fingido
Pra que mentir?