segunda-feira, 5 de março de 2007

No meio dessa confusão toda eu vi, ontem, o mais lindo pôr de sol possível de se ver em São Paulo.
Chegando em Campinas tinha uma lua imensa, amarela, linda, lânguida, pendurada lá no céu, me arrebatando o peito e me encantando o olho.
No meio dessa confusão, toda eu passei um domingo maravilhoso, só com gente que eu gosto, fui tratada a pão de ló, gargalhei tanto pela Bandeirantes que pensei que fosse ter um treco, me emprestaram a segunda temporada todinha do Lost para eu passar as minhas noites com Jack, o homem da minha vida, tanta coisa boa que eu pensei:
-Sabe o que mais? Isso tudo vai passar. Não é a primeira vez que eu estou sem grana, não é a primeira vez que eu tenho que brigar com um, dois , três ao mesmo tempo, não é a primeira vez que eu não sei no que tudo isso vai dar. Eu sei que tudo vai passar. Isso tudo vai passar!

Eu tenho saúde, sou porreta pra trabalhar, não tenho preguiça, tenho respeito na minha área, não vai me faltar lugar para tocar e cantar, meus filhos são rapazes que eu admiro e que não em dão trabalho, não me falta amigos para me fazer rir, pra me dar cafuné, então eu sei que não tô desamparada, que o povo lá de cima tá olhando por mim, que meu Dragão queima em minha defesa, que se eu precisar, tem gente que pula na minha frente e me ajuda. Poxa vida, tem essa lua linda que não cobra nada pra ser tão linda, tem esse solzão que todo dia volta a brilhar e me ilumina toda. Tem esse blog aqui que me alivia as neuroses e eu posso ser histérica, louca, boca suja, me oferece cada comentário desses leitores malucos que eu atraio que me tranquilizam porque eu penso, caramba, tem gente ainda mais maluca que eu, não tô só no meio dessa doideira toda. Tem a minha música que eu faço, ponho os bichos pra fora, tem essa emoção toda dentro de mim, tem essa paixão imensa pela vida, pela arte, tem a poesia, tem o suor na testa, tem o tesão na madrugada, tem o inusitado que sempre me diverte, tem esse humor todo que me faz rir até dessas merdas todas, tem meu passado que me mostra que eu sobrevivo sempre porque eu sou uma sobrevivente. Se precisar chorar, eu choro. Ser precisar bater, eu bato. Se precisar levantar, eu levanto porque eu sou uma mulher e toda mulher tem uma força imensa dentro dela e eu tenho a minha.
Eu tenho fé, eu tenho coragem, eu tenho resistência de um maratonista. Eu tenho um queixo de boxeador, agüento porrada, tenho costelas fortes, agüento cacetada.
É. Eu sou uma sobrevivente! E não é agora que eu vou cair. E mesmo se cair, caramba, eu levanto! Levanto sozinha ou levando escorando em mãos que aparecem para mim. No chão é que eu não fico, e, mesmo que fique um tempinho ali, meus olhos estão olhando lá na frente, lá pro alto porque é para lá que eu quero ir e vou.
Então, no meio disso tudo eu posso garantir que tudo isso vai passar. E eu ainda vou rir muito dessa fase tenebrosa. Aliás, já estou rindo porque tem horas que só rindo mesmo.
E o melhor de tudo, vou rir e vou esquecer o tanto que sofri. E vou passar por isso tudo sem perder a ternura jamais!
É isso aí, minha gente.
Segundona chegando, eu chegando, vocês chegando, a lua cheia chegando e todo mundo neste mesmo barco.
Vamos que vamos porque tudo isso vai passar!
Única certeza que eu tenho hoje.
E sabe o que mais?
Eu tenho é que agradecer, viu?
Agradecer por ser feita do material que sou, pelos amigos que eu tenho, pelos créditos que o Além de dá, pelo talento que Deus me deu, pelos filhos que tenho, pela minha casinha, meu carrinho, meus trabalhos e até por essas pessoas que me enlouqucem! Sem elas eu não saberia que sou tão forte, tão resistente. Só tenhoq ue dizer isso mesmo.
Muito obrigada!



-

8 comentários:

Adriana disse...

Tati, como ja te escrevi no post anterior tu eres Guerreira Valente....fases sao vividas para nos fortalecer como pessoas, para encontrarmos forças onde pensamos nunca ter....e voce encontrou olhando um lindo sol e uma lua maravilhosa....
Forças Guerreira, eu daqui do outro lado do oceano te mando pensamentos positivos...beijinhos, afagos e muita sorte..nesta tua caminhada da vida..

José Saramago disse...

Cara Tatiana, caso vc tenha uma recaída estou mandando o best-seller do também escritor português, Joaquim Ferreira:
"Auto Ajuda por Você Mesmo".
É deixar o gajo pronto prá outra!

Ronaldo Faria disse...

Vamos virar o jogo, sempre. Porque somos assim: sofremos muito, por nossa finitude e emoções à flor da pele, rente ao pêlo. Sofremos por nossos gens, por sermos o que somos: românticos, emotivos, cíclicos. Mas, ainda assim, temos o dom de sonhar. E dormir e virar o jogo a cada novo dia. E você, creia, está cercada de gente que te quer...
Cuide-se. E a lua ontem estava realmente linda.
Beijos e carinho
RonaldO Faria

Gika disse...

Fases como essa vão e vem. Mas pra gente que rala, que é guerreira elas passam, vc vai ver!

São "Coisas da Vida"!

Quando a lua apareceu ninguém sonhava mais do que eu
Já era tarde, mas a noite é uma criança distraída
Depois que eu envelhecer ninguém precisa mais me dizer
Como é estranho ser humano nessas horas...

"É o fim da picada, depois da estrada começa uma grande avenida
No fim da avenida, existe uma chance, uma sorte, uma nova saída
São coisas da vida(...)"
( Rita Lee)

Beijo Tati!

Clélia Riquino disse...

Coisas da vida ou Coisas do mundo...

Coisas do mundo, minha nega
Paulinho da viola


Hoje eu vim, minha nega
Como venho quando posso
Na boca as mesmas palavras
No peito o mesmo remorso
Nas mãos a mesma viola onde gravei o teu nome
Nas mãos a mesma viola onde gravei o teu nome

Venho do samba há tempo, nega
Venho parando por aí
Primeiro achei Zé Fuleiro que me falou de doença
Que a sorte nunca lhe chega
Que está sem amor e sem dinheiro
Perguntou se não dispunha de algum que pudesse dar
Puxei então da viola
Cantei um samba para ele
Foi um samba sincopado
Que zombou de seu azar

Hoje eu vim, minha nega
Andar contigo no espaço
Tentar fazer em teus braços um samba puro de amor
Sem melodia ou palavra para não perder o valor
Sem melodia ou palavra para não perder o valor

Depois encontrei seu Bento, nega
Que bebeu a noite inteira
Estirou-se na calçada
Sem ter vontade qualquer
Esqueceu do compromisso que assumiu com a mulher
Não chegar de madrugada
E não beber mais cachaça
Ela fez até promessa
Pagou e se arrependeu
Cantei um samba para ele que sorriu e adormeceu

Hoje eu vim, minha nega
Querendo aquele sorriso
Que tu entregas para o céu
Quando eu te aperto em meus braços
Guarda bem minha viola, meu amor e meu cansaço
Guarda bem minha viola, meu amor e meu cansaço

Por fim achei um corpo, nega
Iluminado ao redor
Disseram que foi bobagem
Um queria ser melhor
Não foi amor nem dinheiro a causa da discussão
Foi apenas um pandeiro
Que depois ficou no chão
Não tirei minha viola
Parei, olhei, fui-me embora
Ninguém compreenderia um samba naquela hora

Hoje eu vim, minha nega
Sem saber nada da vida
Querendo aprender contigo a forma de se viver
As coisas estão no mundo só que eu preciso aprender
As coisas estão no mundo só que eu preciso aprender

Clélia Riquino disse...

Você deu a deixa...

Luíza
Tom Jobim


Rua, espada nua
Bóia no céu, imensa e amarela
Tão redonda a lua
Como flutua
Vem navegando
O azul do firmamento
E num silêncio lento
Um trovador, cheio de estrelas

Escuta agora a canção que eu fiz
Pra te esquecer Luíza
Eu sou apenas um pobre amador
Apaixonado
Um aprendiz do teu amor
Acorda, amor
Que eu sei que embaixo desta neve mora um coração

Vem cá, Luíza, me dá tua mão
O teu desejo é sempre o meu desejo
Vem, me exorciza
Dá-me tua boca
E a rosa louca
Vem me dar um beijo
E um raio de sol
Nos teus cabelos
Como um brilhante que partindo a luz
Explode em sete cores
Revelando, então,
Os sete mil amores
Que eu guardei somente
Pra te dar, Luíza

Ana Paula disse...

sabe q meu domingo tb foi fodão? tudo de bom... passei o dia paparicando gente q eu amoooooooooo!!!!
e pra não fugir do assunto:

"Lua, lua, lua, lua...
por um momento,
meu canto contigo compactua"...

tamos aí, lindona:..."somos flexa e somos arco, todos nós no mesmo barco não há nada pra temer. ao meu lado há um amigo q é precisoo proteger. todos juntos somos fortes, não há nada pra temer".

Beijo!!!!
:)

Arnaldo disse...

Tatiana,

Parafraseando meu pai, numa de suas frases típicas:

"dinheiro pinta"