terça-feira, 26 de setembro de 2006

Quase toda noite é a mesma coisa.
Ele vem silenciosamente, sobe na cama, vai se esgueirando por entre o cobertor, cola seu corpo no meu e me esquenta.
Ele é sensual, gosta quando minha mão esfrega seu corpo, minhas unhas vermelhas contrastando com teu branco e ele geme e me olha de uma forma que só ele sabe olhar. E se estica todo. Alonga, aumenta, rola na minha cama e eu adoro ver isso. Se esfrega entre as minhas pernas sem medo. Pula em cima de mim, me pisa, me arranha, muitas vezes me morde, e eu rio. Descobriu aquele lugar no meu pescoço, aquele lugar quente e aconchegante e fica ali por horas. Meu ouvido ouvindo a sua respiração.
Quando está deitado sobre mim, não gosta que eu me mexa muito. Prefere quando eu fico quietinha e eu fico, só para não incomodar. Ele me escolheu, entre todos os outros. Eu. E me sinto especial.
Ele é meu e eu sou tua.
E para deixá-lo feliz, compro ração sabor peixe e ele ronrona mas, quando acaba de comer, vem lambendo as patinhas, senta do meu lado e assitimos juntos qualquer programa de televisão.
Estou na dúvida se mando castrar ou não.
Se castrar ele fica só comigo.
Se não, ele vai descobrir outros tipos de amor.
Não sei se tenho tanto desprendimento.

5 comentários:

Vivien disse...

Eu prefiro um amor só pra mim, mesmo amor de gato.;0)

Suzana disse...

Descobri seu blogs há pouco tempo, nem me lembro como, só sei que não consegui parar de visitar, viciei. E agora que vc fez essa declaração de amor tão linda ao seu bichano, não resisti e tive de me manifestar. Sei bem como é isso, também estou tão na dúvida se castro o meu ou deixo ele descobrir o mundo...

Menina disse...

Eu nunca tive gato, mas penso que castrar é o melhor para evitar que nasçam por aí gatinhos que acabarão com fome, ou frio.

Esse é o melhor dos motivos.

Agora, tô pra ver gente pra gostar de gato como blogueiro, hein?

Anônimo disse...

eu tenho um nojo só. bicho é tudo sujo apesar de lindo.

Anônimo disse...

Um desses não se acha em qualquer esquina.