quinta-feira, 6 de julho de 2006

A roda da vida não pára de girar.
Nunca nada fica parado e imóvel, nada é eternamente bom nem eternamente ruim.
Mas que já coloquei a minha cadeirinha para assistir a virada da Roda, ahhh, eu já botei. Às vezes é muito difícil ver, assistir parada, sem poder interferir porque a força do mundo é muito maior que a minha. Em outros momentos uma imensa satisfaçao me enche os olhos e vejo que mudanças boas virão.
O ciclo perfeito da vida. Onde se planta batatas não se colhe abobrinha, nem se fosse trangênico extra-terrestre!!! Aqui e agora. Tudo tão perfeitamente azeitado pelo Universo.

Hoje eu vi isso. Eu pedi ao Cosmos que me desse uma ajudinha porque a coisa está ficando braba lá no escritório. Essa copa fudeu com minha vida financeira! Aí o destino me manda um contratão, oito pessoas de uma única vez, todo mundo lindo, todo mundo saudável, tudo certo para eu fechar de uma única vez tudo...Aí eu vi que uma das pessoas estava com sobre-peso, seu indice de massa corporal iria passar os 30 e isso gera uma CPT, carência parcial tenporária de 24 meses. Isso ia melar meu movimento de fechamento em série. Rápida, pensei em uma maneira de dar um jeitinho brasileiro. Pensei mesmo! Contrato assinado, recibo feito e na hora que foram fazer o cheque ( bem alto, por sinal) e bum!!! Minha roda despenca dos altos e gira vertiginosamente massacrando meus planos de fechamento.
Eles não poderiam fazer porque acabaram, naquele exato instante, de receber um boleto com uma multa mosntruosa que quebrava as finanças da família. Eu, que ia fechar oito contratos de uma vez, fechei dois bem dos mixurucos e nada muda a minha cabeça que isso aconteceu porque eu COGITEI E ME PREPAREI para fazer uma coisa errada com o contrato do moço gordinho.
Tomei no brioco no mesmo instante. Nem deu tempo pra pegar o cheque!
Fiz merda e recebi a merda no mesmo instante.

É isso mesmo!
A Lei mais correta do mundo.
Mentira tem realmente perna curta. A minha era, além de curta, manca.
Foda.

Um comentário:

Ronaldo Faria disse...

Tatiana, obrigado. Você é uma coisa rara, literalmente. Cuide-se.