terça-feira, 6 de dezembro de 2005

Felicidade se encontra em horinhas de descuido

Vinha eu ouvindo o rádio, a voz de Beto Guedes cantava meu coração é jovem e eu nem li o jornal, meu coração é jovem , o céu estava cinza-chumbo, uma chuva pendurada que não escorria, o asfalto quase da mesma cor do céu, parecendo que iam se fundir em uma só paisagem escura. Mas, caindo das árvores que balançavam, um tapete de flores amarelas que o vento fazia mudar de lugar, como se fosse um pano caído no chão. Um manto de rainha. Um caminho amarelo vibrante no meio do triste cinza.
Era tão lindo aquilo.
Parecia que o mundo falava pra mim que mesmo no meio do cinzento dia a dia, da preocupação, do medo de não conseguir, no meio disso tudo, tinha um atalho de luz brilhante que estourava em meus olhos.: OLHA PRA COR, OLHA PRA BELEZA DO COTIDIANO E SEGUE NA LUZ.
Parei o carro, bem no meio da rua, fechei os olhos sentindo o vento e, secretamente, chorei, feliz da vida.

3 comentários:

Gika disse...

Tatiana. Não tem nada melhor que isso.Outro dia aconteceu algo parecido comigo. Saí de casa tinha tantos problemas na minha cabeça, tantas preocupações. Aqueles dias que vc tem vontade de gritar "pare o mundo que eu quero descer" sabe?
Qdo cheguei na estradinha que vai pra casa, aconteceu a mesma coisa. Tinha chovido muito á noite, a estrada estava cheia de flores caídas .O cheiro da terra molhada misturado as flores era delicioso. Olhei pro céu pq sempre me disseram que é de lá que vem essas bençãos e gritei:
Obrigado cara. Era disso que eu precisava pra encontrar forças pra enfrentar essa merda desse dia.

Tatiana disse...

mas não é verdade? tá tudo aí pra gente ser feliz! é só saber olhar!

Bruno Ribeiro disse...

Eu te entendo, entendo, entendo profundamente.