quinta-feira, 10 de novembro de 2005

NELSON RODRIGUES E SEUS APÓSTOLOS


Eu estava passeando pelos Radicais Livres e encontrei um texto intitulado "Homens de todo o mundo, não se confundam. Bater em mulher é a suprema valorização do gênero feminino (Um texto só para homens)" de André Montanhér.
Só o título já é deveras chocante. Fui lá, li e fiquei pensando aqui.
E me lembrei de um texto que escrevi no weblogger e acho que tem alguma relação.
Perdoe quem já leu, mas não dá pra deixar passar.

"Ontem eu estava asssitindo um seriado da tv a cabo ( House) e a história era sobre um cara que estava no hospital e ninguém sabia o que ele tinha direito. Se descobriu que ele era masoquista. Pagava até uma dominatrix pra apertar a garganta dele, mandar nele..essas coisas de sado-masô.

Aí eu me lembrei de uma vez que eu estava em um bar em Salvador em uma mesa enooorme, cheia de gente, eu estava assistindo a banda de uns amigos. Este pessoal fazia parte de um grupo terapêutico alternativo que se chama SOMA ( Paulo Freire) e na mesa tinha muitas pessoas que passaram pelo grupo. Do meu lado uma menina linda, toda arrumadinha, o sapato combinava coma bolsa, o cabelo lindo de morrer e ela parecia não suar naquele calor dos infernos que faz em Salvador em pleno mês de novembro. Ela puxava papo comigo, bobagens de mesa de bar, comentários sobre a música, estas coisas. De repente, do nada, ela vira pra mim e diz:
- Eu fiz a somaterapia, sabe...
- Foi? respondi meio sem dar muita atenção.
- É. Eu fiz porque eu sou masoquista.
Silêncio. Fiquei durinha, durinha.
- É?
-É, eu gosto que me queimem, gosto que me machuquem. Vou até te mostrar..ó aqui ( levantou a manga da camisa) tá vendo? essas marcas são pontas de cigarro...gosto que me queimem com cigarro.

Nessa hora eu estava tentando manter um expressão mais natural possível, minha boca não dizia nada, mas por dentro eu estava estava aaaaiiiiii, caralho, a mulher tem marcas de ponta de cigarro, meu deus do céu, a mulher é masoca!!!!!!
- Foi por isso que você entrou na somaterapia? perguntei mui falsamente calma como se todo o dia eu conhecesse uma masoquista que gosta de mostrar as marcas do corpo.
- Ahhh, foi por isso mesmo. Melhorei muito!!
- Que bom, então...( fiquei um pouquinho mais aliviada,pelo menos sarou..)
- Substituí as quimaduras pelo sexo anal. Tavendo aquele cara ali, o que toca baixo, pois é, ele me ensinou isso!
Nessa hora eu já tinha passado por todas as cores, verde, amarelo, azul calcinha, eu não sabia o que dizer ( logo eu!), não sabia se olhava pro cara, se olhava para ela, se olhava pra mesa. Nunca tinha passado por uma situação dessas. Fiquei com o queixo caído, um olhar abobalhado...perdida
- É... é ... melhor, né? Sexo anal é melhor então...
- Mas só com conhecidos. Sexo anal tem que ter intimidade. Com os desconhecidos eu mantenho o cigarro, mas é tão pouquinho que nem conta mais...

Que papo mais surreal!!! Eu ali, quase tendo um treco. O discurso não combinava com a figura em minha frente. Fiquei tão mal com aquele papo que a caipirinha desceu estranho e eu fui me embora sem conseguir olhar pro cara que comeu a bunda da moça pra que ela deixasse de ser queimada. E toda vez que eu encontrava ele, em outros shows, eu não parava de lembrar da mocinha apontando pra cara dele e dizendo: foi ele!

Papo brabo!!

Só comigo que acontece essas coisas..peloamordedeus... "

13 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

Tati, amore, domingo que vem quero te convidar e o Silo para um almoço aqui em casa, a partir das 11h, pra biritar e comer alguma coisa boa. Aliás, inda não decidimos qual será o prato do dia. O que você sugere? Me ligue para confirmar, tá? Abraços!

André Montanhér disse...

Esse tipo de coisa maluca e bizarra só acontece às pessoas mais preciosas, com sensibilidade para extrair delas a impactante diversidade da natureza humana.
Como se vê, consegui meu objetivo de causar náuseas às leitoras do meu texto. Resta saber quem delas se atreverá a enxergar a felicidade do controle total sobre a informação acerca da sua sexualidade. A moça do cigarro e do sexo anal, feliz da vida, é um belo exemplo. E que fique claro, quando falei em bater na mulher, que o foco do tesão, a perspectiva de êxtase da coisa toda é dela própria. A mulher tem que querer apanhar, momento em que se desnuda de toda uma série de paradigmas capitalistas burgueses, para se deixar ao onírico de seus recônditos desejos. Um grande beijo, Tatiana, e obrigado pela atenção ao meu texto. André Montanhér.

Tatiana disse...

André,
teu texto é ótimo, mesmo que choque e cause discordâncias.
Mas quem disse que temos que concordar com tudo ou esperar concordância, né?
Eu, opr exemplo, morro de vontade de transar com o Batman. Aquele jeitão meio gay dele me deixa doida! Vái entender a alma feminina!

Tatiana disse...

Bruno...
Botou em blog, botou na roda!
Todo mundo vai ver!
E élegal ter acesso aos pensamentos masculinos. Sempre revelador e útil!

Bruno Ribeiro disse...

Porra, Tatiana! Batman? Hahaha! Bom, pelo menos sua tara não é com o Robin, aquele viadinho.

Tatiana disse...

viadinho que pegava o Batman. O BATMAN!!!
Sorte dele e inveja minha.
vai dizer que vc nunca quis comer a Mulher Maravilha? Ou a She-Ra???
Wolverine também me perturba.

ariadne disse...

Bom, acredito que vc deve ter um rosto de confessionário. Ou isso ou ela é louca de pedra mesmo , pra falar essas coisas assim como quem pede uma pizza. Misericórdia, e eu achando que tinha visto de tudo, que ilusão. Isso sim é pior que depilação de virilha :-).

beijo

Bruno Ribeiro disse...

Tatiana, eu queria comer a Tina, do Maurício de Sousa. Nunca tive tara pela Mulher Maravilha, ela tinha cara de professora de primário. a) Bruno

Marina disse...

Tati, eu quero ir para a cachoeira neste findi sem falta! Vamos, vamos? Eu e Zé queremos levar o João tb! beijocas.

Danielle Ribeiro disse...

Interessante o tema... na minha humilde opinião creio bater ou apanhar não é exclusividade do gênero feminino... hehehe .. isso é puramente humano!!! e intrigante, sedutor e apaixonante ... beijos

Tatiana disse...

a Tina na versão antiga, meio gordinha ou a Tina na versão moderna, toda gostosona?

Bruno Ribeiro disse...

As duas, se bem que eu preferia a antiga. Mais redondinha.

Renata disse...

Pô, até vai uma pegadinha mais forte e tal, uns tapinhas coordenados, como disse o Montanher (resguardado todo o restante do texto), mas QUEIMADURA DE CIGARRO!! Affe, essa é doidinha mesmo.
E o que eu achei mais inusitado, com os desconhecidos, porque com os conhecidos ela curte é anal.
Ai que papo de Pinél...