sexta-feira, 19 de agosto de 2005

QUEM NUNCA CHOROU POR AMOR?

Eu estava bisbilhotando o blog de uma amiga e li ela comentando o fim de um pequeno romance.
Quando eu era bem jovem nunca curtia uma boa fossa. Eu era terrível mesmo. Saía das coisas na boa, cheia de mim, achando que eu era porreta mesmo, que não ia dar meu coraçãzinho de galinha com xinxin ( Caetano) para qualquer um ...Imagina só se eu ia deixar malandro me fazer sofrer!!!!
Aí comecei a ficar com medo de acabar uma velha solitária e cheia de minha soberba, sem ter nenhum arranhãozinho como troféu de guerra e resolvi aprender a amar de verdade.
Como eu me fodi, meu Deus!!!
Mas valeu à pena. Principalmente porque descobri que eu posso dar grandes mergulhos suicidas, kamikasi do coração! Isso é bom. Já não se morre mais de amor. Toma-se um bom porre.
E pelo menos, se percebe que a vida é risco mesmo, é loucura, é acerto , é erro. Só não erra quem não tenta. E eu quero acertar, quero ter meus pés quentinhos nesse frio dos diabos que faz em Campinas, quero ter alguém pra poder sentir saudade...só que tem que pegar o lado ruim da coisa, porque não existe amor com garantias, com certificado de NÃO SOFRIMENTO. E eu me sinto viva. Às vezes toda estrupiada que chega a dar dó. Mas outras vezes, eu sinto que faço parte do grande círculo, que o amor me entrou nas veias limpando o que estava sujo e poluído, me libertando, quebrando muros e fazendo as pontes.
Quero poder dizer pro meus netos que a vovó aqui botou pra quebrar, que amou, sofreu, viveu, gozou as delícias e as dores que só quem ama mesmo vive, que vale à pena!!!!
Descobri também que posso fazer músicas muito bonitas embalada por uma bela dor de corna.
Para uma compositora, isso já é uma grande vantagem....

Nenhum comentário: