segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Dorme comigo um guerreiro, filho orgulhoso dos deuses do aço e do ferro.
Dorme comigo  um guerreiro coberto de sangue e de olhos úmidos.
Dorme comigo um guerreiro alquebrado, vestindo farrapos, coberto de lama.
Dorme comigo um guerreiro.
Desfalece em minha cama um guerreiro cansado. Tiro suas botas, suas roupas, lavo seu corpo, limpo as feridas, perfumoa pele, cubro de linho alvo e deito ao seu lado.
Ao meu lado some o guerreiro e renasce o menino.
Se aconchega no meu peito, procura o bico, suga meu leite seco que em algum lugar por dentro de minha carne ainda borbulha. Agarra meus cabelos como se tivesse dedos virgens. Ri de bolhas de sabão.
Dorme comigo um guerreiro, filho orgulhoso de aço e do ferro.
Dorme comigo um menino que brinca de guerra com a vida e que me chama de meu amor.

Um comentário:

Georgiana disse...

Uau! Forte isso. Lembrou Marion Zimmer Bradley com sua Morgana, Artur e os Cavaleiros. Poderoso isso que você escreveu.