quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Como acabar com a tristeza

Queria escrever aqui sobre esse tema: tristeza.
Quem nunca teve, né? Quem nunca ficou amuadinho, sem graça, sem sal, tempero algum, um nadica de nada porque esta triste?
Todo mundo. Por isso não envergonho de dizer que eu ando triste.
Não uma tristeza histérica, que sai chorando por aí, se desmilinguindo toda, mexicana ou italiana. Não, minha tristeza é outra. Minha tristeza é fina. Minha tristeza é nórdica, talvez dinamarquesa. Por alguma razão acho a Dinamarca um país triste. Então, atualmente meu peito é dinamarques.
E por que disso?
Puxa, poderia listar aqui mil razões que justificam muito bem justificado minha tristeza, meu choro minguado, pinga pinga de triste preguiçoso que não sofre tudo de uma vez só, sofre à prestação mas não vale à pena.
O que eu faço é descobrir as pequenas coisas que me deixam feliz até me levar aum estado de esquecimento ou fazer minha alegria exuberante se sobrepor ao momento triste.
Eu amo cantar, isso me deixa feliz.
Eu adoro uma boa aventura, suar meu corpo, cansar os músculos, vencer um desafio.
Gosto de um jogo de sinuca, uma cerveja gelada, uma conversa jogada fora.
Gosto de rezar cantando toda semama.
Gosto da curva do ombro que eu me encosto.
Gosto de meus amigos .
E atualmente tenho até achado charmosa essa tristezinha besta que não me larga. Me sinto meio diva. Finalmente descobri onde está minha natureza de diva.
Eu só sei ser diva na dor.
Uma diva sabe exatamente a hora de sair de cena.
Espero que minha tristeza também.

11 comentários:

Dea disse...

Vixe...momento triste, mas mantendo aquele sorriso(quase q infantil) no rosto, ops, é lógico! está no teu blog...a foto. Aliás, eu não consigo entender pq vc abriu teu blog pra outras pessoas escreverem? quem são elas? Vc acha isso realmente necessário?!!??!! Tão bom até agora, por que mudar?

Anônimo disse...

Tenho acompanhado o blog recentenmente. Dessa vez senti vontade de postar um comentário. Senti que você está supervalorizando o estado de tristeza. Tente fazer o contrário, fique triste quando vc está alegre. Tente ficar triste cantando, rezando e você vai mudar o parâmetro e o lado para o qual tem seguido. às vezes dá certo. Senão ao menos tentou.

Lord Broken Pottery disse...

Você falou em cantar e eu lembrei de música. Tristeza não tem fim, felicidade sim.
Beijo grande

Georgiana disse...

Bom, faz parte, né? A minha passou... encontrei felicidade em tanta coisa e você sempre foi um lugar onde eu vinha para encontrar um ombro amigo, onde eu vinha para poder sorrir e me alegrar. Carinho e força... a água para de escorrer, eventualmente. É bom chorar. Deixa ir embora. Eu tenho esse choro forte, deve ser o sangue grego.

Vivien Morgato : disse...

Belíssimo texto,querida.
Eu ando me sentindo assim,mas jamais traduziria com tanto charme.
beijos e xô bode.

Esther Alcântara disse...

Oi, Tatiana,
Hoje é a primeira vez que entro aqui e já curti muito a primeira leitura. Primeiro porque vc realmente soube pôr charme na sua tristeza, como dito aí atrás. Mas o que achei legal mesmo foi vc assumir a tristeza, que é muito natural de vez em quando. O que é completamente sem sentido e antinatural, a meu ver, é um mundo constantemente azul ou cor de rosa a custa de psicotrópicos. Afinal, não é que "a luz nasce da escuridão"?
Bjs.

Lígia Moreli disse...

A tristeza é alimento pra arte. É só não abusar dela. Como diria o Leminski, um homem com uma dor é muito mais elegante. Eu sou meio Leminski...
beijos, saudades

Anônimo disse...

nao sei com acabar com a tristeza a tristeza tomou conda da minha mente por favor me ajudao

kleidir disse...

nao sei com acabar com a tristeza a tristeza tomou conda da minha mente por favor me ajudao

Anônimo disse...

eu nao sei como eu entrei nesse bode mais nao consigo sair meu marido nao liga pra mim minha familia me esqueceu estou mal

rb disse...

Entrei no blog e me identifiquei
sempre achei normal
coisas que vem e vão
acontece que agora está demorando demais e parece que perdi meu caminho