segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Sim, eu faço drama!

Sim, sim, sim!
Tô resfriada, é terrível respirar, minha nuca dói, recusei uma partidinha de sinuca por causa disso, se eu levanto rápido fico tonta e tenho que me segurar e, para completar, percebo que estou a um passo da decripitude galopante.
Sim, é claro que eu sei que to exagerando. Tenho direito a uma cota anual de drama mexicano. Tô usando tudo agora porque eu sempre faço a linha " pode deixar que eu seguro só", então tenho um monte de dramaq não utilizado no passado.
ahhhhhhhhhhhhh, e ainda estou de TPM. Ou seja, posso chorar, ter ataques.
Aliás, tive. Eu tinha me recusado a ver as imagens do Haiti. Eu já não estava lá muito bem, ficar vendo desgraça só ia piorar minha situação.
Aí eu distraí e peguei um fim de programa cheio de imagens terríveis, sofrimento e desolação pra todo lado. As expressões das pessoas me tocaram profundamente.
Chorei tanto, mas tanto que até esqueci o porque que eu chorava antes.
Isso sim é sofrimento.
O resto é drama mexicano.

3 comentários:

Vivien Morgato : disse...

Foi nesse espírito que vc compôs Nosso Amor?;0)

Tatiana disse...

Na verdade não. Eu estava esculhambando mesmo.

Zénérso disse...

Descobrimos que maior do que o drama mexicano - e verdadeiro - é o drama haitiano... Mas isso, até esquecermos ou acontecer algo diferente que nos desvie a atenção! Eles continuarão na merda. Ô karma!!!!