segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

vida saudável

Voltei da Bahia absolutamente zen e saudável. Minha centrífuga me oferece sabores novos e saúde total em forma de sucos coloridos e perfumosos. Voltei a meditar e esta semana retorno às aulas de yoga. Desde que cheguei não tinha saído pra nada, preferi ficar em casa assistindo filmes, abraçadinha ao filhote, matando a saudade de minha cama, de meus bichos e de minha paz. Amigos vinham em casa pra me dar um abraço e eu distribuía cafés como se fosse a Cruz Vermelha. Feliz.
Então ontem teve o samba. Sempre o samba. Meu filho dormiria na casa do coleguinha e eu estava livre para, como disse entre gargalhadas, sambar até suar, beber até cair e sair por ai fazendo sexo animal com desconhecidos. Não suei tanto porque estava meio nublado, não bebi até cair e muito menos fiz sexo com desconhecidos, mas realmente me diverti.
A roda de samba Ouvir o Cheiro oferece uma mesa de saladas e um caldinho de siri, mas isso não foi suficiente pra evitar que eu ficasse de pilequinho. Quando a chuva caiu forte resolvi ir embora agradecendo a maravilha que é ter o samba pra se divertir. Agradecendo por ser saudável, por poder sambar, por ter minha centrífuga massa, por estar comendo arroz integral sempre, por ter amigos ótimos.
Peguei o carro e lá fui eu pelas ruas de Campinas pensando como é bom ser saudável.
Aí me deu uma fome do cacete, uma vontade incontrolável de alguma comida que fosse substanciosamente calórica e pouco saudável e quando dei por mim, lá esta eu na fila do Méquidonald pedindo um número um, uma tortinha de maçã e ainda um sunday de chocolate duplo. Comi tudo com a maior felicidade, satisfeitíssima, saboreando aquele hamburguer, mesmo com a possibilidade de ser hamburger de minhoca. Pensei que isso é uma lenda urbana: os hamburguer do McDonald serem feitos com carne de minhoca. Foda-se se for minhoca! Comi com gosto lambendo os beiços. Descobri que amo minhoca.
Chegando em casa ( não sei exatamente o que me deu) mandei ver no bolo floresta negra e despenquei na cama me sentindo uma foca gorda. Feliz da vida.
Dormi o sono dos bebuns e acordei pra pegar ainda o finalzinho do Fantástico. Assisti todos os filmes que pude e voltei a dormir, sóbria e sem fome - ainda bem- as quatro da manhã.
Essa experiência me faz lembrar aquela frase cristã:Rezai e vigiai. Foi só eu dar uma escapadinha que lá foi embora minha vida saudável, minha alimentação saudável, meu momento zen.
Voltei à Campinas. Finalmente. Estava ficando preocupada comigo.
Bem vinda, Tatiana

3 comentários:

Georgiana disse...

Esses momentos de entrega aos desejos nefastos realmente são adoráveis. Depois... bom, depois, ficam as banhas roçando. Uma hora, eu consigo energia para voltar a nadar.

Rosane Queiroz disse...

Oi tatiana, então é você que deixou aquele recadinho engraçado lá no miojo

te linkei, lembro, pelo Divã na Cozinha, da Regina

de vez em quando passo por aqui e acho teu papo um barato
e pelo jeito voce cozinha bem tambem. e eu também canto!

vamos nos falar mais!

beijos, Rosane

Tatiana disse...

Oi, Rosane
Isso mesmo.
Eu queira mesmo erate ouvir cantar!!!
Tem alguma coisa??