quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Saiu no jornal local

" Depois de uma intensa temporada de shows pela Bahia, a cantora e compositora Tatiana Rocha volta às terras campineiras. Sua passagem pela terra que lhe ofertou peculiar sotaque deu novo ânimo à sua carreira.
Por telefone, Tatiana responde às nossas perguntas:

Tatiana, como é voltar depois de passar pela Bahia?
É uma grande de uma merda. Não pára de chover a dias, não dá pra secar porra nenhuma e até minhas calcinhas estão mofando. Sinto saudades de calcinhas secas ao sol.

Ouviu alguma coisa por lá que possa ser incorporada ao seu repertório?
Olha, ouvi uma canção muito instigante que fala de uma perereca se esfregando no asfalto. Me deu muita vontade de cantar esta canção porque, certamente, se minhas calcinhas continuarem úmidas deste jeito eu terei que botar a perereca pra se esfregar no asfalto.

Você já tentou secar as calcinhas atrás da geladeira?
Já sim, mas infelizmenmte tem milhões de meias dos meninos secando lá. Aí eu tentei secar dentro do forno e agora tenho lindas calcinhas deformadas, minúsculas, sabor carne assada. Foda, viu?

E agora me conta. Pegou alguém por lá?
O único homem bonito que eu vi era um viadão dono de uma pousada em Imbassaí que mantinha um harém masculino maravilhoso. Todos do harém batiam no meu ombro e a bichona-mor era realmente ciumenta. Todos sabem que eu realmente gosto de homens mais novos mas o máximo que eu cheguei de sexo foi quando eu trocava a fralda de alguns homens mais novos. Tipo nove, oito meses. Estou realmente tranquila nesse sentido e voltada para a minha carreira, minha música, minhas arte. Além da questão das calcinhas úmidas, é claro!

Você conseguiu reconhecer as suas influências musicais lá na sua terra de origem?
Não. Não vi nada que me lembrasse meu passado musical. Na minha época não se cantava música de perereca. A gente focava na pessoa humana, sabe? Hoje a coisa ficou mais abrangente, mais ecológica, sei lá. Na verdade, eu fiquei com um pouco de vergonha e não disse a ninguém que eu cantava pra evitar que me pedissem pra mostrar meu repertório. Fiquei com vergonha de cantar Badens, Boscos, Chicos, Guingas...Fui ultrapassada.

Mas tivemos informações que você fez muitos shows pela Bahia. Não éverdade?
Ó, eu acho que é uma meia verdade. Eu cantei uma noite lá no camping. Cantei algumas músicas, não muitas mas, em compensação, eram músicas longas, imensas, intermináveis. Ia juntando um povo doido, cada um pegava um instrumento, muita maconha na cabeça da galera então as introduções eram muito digeridas, saboreadas. Os fins, então! Cada música durava uns 15, 20 minutos...Eu acho isso me permite dizer que fiz muita música. Não em quantidade, mas em tempo de duraçao de cada canção. O maior show de minha vida.

E agora? que você quer fazer aqui em Campinas? Quais são seus planos?
Eu acho que eu quero comprar uma máquina de secar roupa. Eu vi uma que lava, seca e ainda passa. Menina, fiquei louca por ela, mas custa os olhos da cara. Não vai rolar.

E em relação a música?
ahh...dia 07 eu estarei cantando lá no Deck, em Sousas.

Vai cantar a música da perereca?
Tá maluca???

Adoro axé.
Verdade? Nossa...quem diria, né?

Como assim?
Nada não. Ó, tenho que secar algumas calcinhas no micro ondas. Depois a gente se fala mais.

Certo. Quer deixar algum comentário pra seus fãs??
Não..acho que não. Falo pelo telefone com meus fãs todo o dia. Precisa não. Obrigada.

Trouxe fitinhas do Senhor d Bonfim? Tem alguma sobrando?
Minha filha, não acredito em fitinha do Senhor do Bomfim. Aquilo não quebra nunca!!!

Ah, que pena. Então vamos encerrar. Beijo no seu coração.
Outro no seu duodeno.

Tatiana possui um blog com a agenda atualizada. É passar e conferir.
www.coisarara.blogspot.com. Lá ela responde perguntas de seus fãs ( mas, se ligar, ela responde mais rápido), filosofa sobre questões importantes da atualidade ( como essa levantada agora que nos levou a escrever uma matéria sobre calcinhas e saúde da mulher) ou simplesmente dá vazão a sua imensa capacidade de falar abobrinhas."

11 comentários:

Valéria Martins disse...

Hahaha!... Nossa, faz muito tempo que a gente não visitava o blog uma da outra. Mas já vi que os shows e a cobertura na imprensa estão OK, que bom!
Beijoca

Georgiana disse...

E eles publicaram tudo? Puxa! Que interessante!!! Legal a entrevista. Coloca a música da perereca aí no blog. Aqui é úmido e abafado nesta época do ano. Tem dia que eu saio encapotada e passo calor. Ah! Sim, roupas de algodão podem secar no microondas mas as calcinhas continuam deformando.

Ju Hilal disse...

Hahahahaahahaha
Sua doida.
Muita calcinha molhada dá nisso.
Beijo

Tatiana disse...

Valéria
imprensa sempre me ajudou muito na carreira!
hahahah

Tatiana disse...

Georgiana
Eu tenho vergonha da música da perereca...

Tatiana disse...

Juju
Na verdade eu acho que foi a queda que eu levequando criança...mudandp de assunto...to cheia de programinhas pro palm..hehehehhehehe

Georgiana disse...

Nooooossa! A música é tão sinistra assim???? Afe! Fica para algum dia... bjo

Lady tanásia disse...

Sou fã do seu blog!Amo a Bahia,mas sou suspeita em dizer,pois nasci lá...Visite meu blog, se tiver tempo (tenho um convite para você)Bj

Ju Hilal disse...

Hehehehe
A queda, calcinha molhada e uns cromossomos desgarrados, deu nisso.
Cá entre nós, ainda bem!
;)
Programinhas??? Eba, me mostra?
Vc tem os dois programas mais essenciais no seu Palm? Paciência Spider e Free Cell. Adoro.
:)
Beijão

Menininha bossa-nova disse...

Tcs, tcs, tcs...
O sol do Capão foi muito forte...
Calcinha sabor carne assada?? Taí um nicho interessante pra negócios... Aposto que muita gente ia gostar... A de atum não ia vender muito, é verdade.

Déa disse...

Chorei laargado!
Bjs Déa