quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Cena encantadora

Estava eu lá durante a noite tocando no bar imenso depois de um dia de trabalho árduo, duas apresentações do Cantanças, o corpo cansado, uma preguiça do cacete de fazer " noite". Já que não tinha jeito mesmo, eu e o músico que tocava comigo ( Sameul, pianista da banda) estávamos experimentando músicas novas, tocando coisas gostosas de cantar. Seper relax. O bar desoladamente vazio para um começo de semana. Isso só piora a situação.
Uma pequena família chega. Pai, mãe e filha de 13 anos. Lindos!
Eu já tinha encontrado a mãe no Galleria, do lado de fora, fumando meu cigarrinho quando ela veio, toda saltitante pro meu lado, o maior sorrizão no rosto e me informa que eu realmente não a conheçia mas que ela e o marido sempre acompanham, tem cd's, são leitores assíduos do blog, essas coisas boas de se ouvir. Fiquei toda boba, né?
E eles, naquela terça, foram ao bar. A família completa.
No meio da cantoria ela me pede:
-Canta Festança???
E logo que eu pude lá fui eu cantar a canção que eu fiz a tanto tempo, foi gravada no primeiro cd, incluída no cd infantil e atualmente encerra o show Cantança.
Quase tive um treco de emoção quando vejo os três se levantarem e dançar até a frente do palco do bar vazio, mas ainda com gente!
Gente, me deu um orgulho, uma emoção tão linda de se sentir quando eu vi pai, mãe e filha dançando ao som de minha música em uma ciranda familiar tão inusitada de se ver! Aqueles sorrisos francos, aquela desinibição toda, cantando a letra todinha junto comigo.
Lindo!
Desci do palco com uma vontade de chorar!
Mas isso não é do cacete? Não é pra chorar mesmo?
Eu acho que é.
É para isso que eu vivo. Pra fazer as pessoas mais felizes, mais emotivas, mais sensíveis. É pra isso que eu vim com o dom da música. Pra fazer um tantinho de felicidade surgir assim, no meio de uma noite chata, em um bar vazio, com uma cantora cansada e um músico valente, mas cansado também.
Valeu a semana toda.
Valeu pelo mês todo!
Valeu de verdade.
Não tem retorno melhor.
Esse texto é para vocês, Família Linda.
Recebam meu profundo agradecimento porque quem fez eu me emocionar, desta vez, foi vocês!
Obrigada!

4 comentários:

Ju Hilal disse...

Que bonito, Tati.
Sabe a tal missão que eu tanto procuro? Tá aí.
É disso que eu estou falando.
Lindo mesmo.
Beijos

Maristela Rocha de Oliveira disse...

Querida Tatiana

É com profunda gratidão que acompanhamos seu trabalho desde que te conhecemos. Pois acreditamos que pessoas como você podem fazer (e fazem) a diferença neste mundo. Trazendo Alegria, Criatividade, Arte e Autenticidade.

Amamos Você !!!!

Beijos nesse grande Coração...

Flávio, Stela e Júlia

FIGBATERA disse...

Beleza, Tatiana,
isso é tudo o que o artista precisa; aplauso e reconhecimento.

ps.:a propósito, se vc tiver um tempinho, dê uma olhada lá no meu bloguinho.
Bjs...

Anônimo disse...

Estou arrepiada! Estava lendo e enquanto você descrevia eu visualizei exatamente a família da Maristela! E na verdade entrei aqui no comentário só pra ter certeza. Essa família é uma coisa linda, linda e linda!
Taïs Reganelli