segunda-feira, 15 de setembro de 2008

São quase duas e meia da madruga, chego em casa pilhadérrima depois do ensaio e resolvo escrever.
Vício do cacete esse! Fazer o quê? Cair na tentação. Preciso escrever!
Vai rolar! Vai o show vai rolar direitinho.
Tô feliz e orgulhosa da galera. Bonito de ver, viu?
Minha roupa tem uma saia rodada linda de morrer que eu to adorando ficar girando pra lá e pra cá, segurando pra dançar melhor. Uma saia rodada pode ser extremamente poderosa! Mas se eu vacilar, derrubo um de tão pesada. Tô me enganchando em tudo que é lugar. Putz, Deus não me deu jeitinho mesmo. Muito desajeitada.
O figurino da banda lembra muito um pijama e eu to achando muito engraçado eles vestidos daquela forma. O Felipe, que é um negão bem preto de quase dois metros não podia ficar com a roupa vermelha porque senão virava o próprio Saci de duas pernas! hahahhahahah Demos para ele a roupa azul clara.
Sobrou o vermelho pro quase ruivo Samuel, branquelo e miudinho. Óbvio que ele é a minha Caipora!
JP com um amarelão-cheguei estava usando sapatos sociais pretos - ele vinha de uma inauguração fresca - e a visão de um homen grande, todo vestidinho de amarelo mas com um puta sapato preto careta era realmente muito engraçada. Hoje eu ri dizendo que se cada um da banda era um mito folclórico, o JP seria o Negrinho do Pastoreio!! hahahah
Bruno tá um macumbeiro perfeito. Tocando tambor então! Azulão total. Não faço idéia de que mito ele possa ser. Olho,olho e não me vêm nada. Se eu não achar nada mais adequado ele vira a Mula Sem Cabeça!
Veja só o que esse tempo todo junto faz uma mente pensar. Tô realmente querendo encaixar cada um em uma lenda...falta do que fazer, né?
E eu me sinto a própria cabroxa de saia rodada. Sobrou pra mim o verde. Me sinto um brócolis de saia. Brócolis no óleo quente, de tão saltitante.
É isso aí. Agora vai nascer mesmo.
Puxa...quem massa...tá rolando. Rolou!
Vou dormir.
Amanhã o dia será longo, com duas apresentações. O dia todo na estrada. Tenho que descansar mas minha mente não deixa.
Penso, penso.
Tô sentindo tanta coisa ao mesmo tempo. Emoções boas, emoções doces, emoções estranhas. Tudo junto.
Penso que esse povo todo que eu falei no texto anterior, de certa forma, está comigo agora e eu fico feliz por isso. De certa forma, estamos todos juntos.
Existe uma beleza poética linda nessa conclusão.
Eu sinto essa beleza e essa ausência com a mesma intensidade.
E o que recheia isso tudo é uma ternura borbulhante, uma ternura que me escorre por todos os cantos. Uma ternura mansa, linda, doce.
Ficar envolvida em ternura é muito bom. Raro também.
Mas eu acho que é essa emoção que me permeia hoje.
Ternura por cada parceiro que esteve comigo e ajudou nisso aqui.
Ternura que sobe aos céus, viaja agora na madrugada e vai beijar cada um deles. E minha ternura sussurra baixinho em cada ouvido.
-"Muito obrigada por tudo. Nunca vou esquecer você..."

4 comentários:

Juliana Hilal disse...

Que bonito Tati, e que bom que o ensaio rolou e que o show vai ser lindo como você queria. Não te disse que no fim daria tudo certo?
Tô doida prá ver. No teatro ou em alguma escola, é só avisar que vou lá ver a cabrocha de saia rodada derrubando músicos e o que mais tiver em volta...rs
Hoje tem porre e vou querer saber de tudo.
Beijão e muita merda!

Menininha bossa-nova disse...

MERDA PRA VOCÊS!

FIGBATERA disse...

Estamos todos torcendo por vc. Sucesso!
Abraços.

Marina F. disse...

Sucesso sucesso!
Quero saber tuuuuudo.
Me conta?
beijo, minha amiga.