quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Como é que foi???

Foi do cacete!
Sabe aquela noite que a coisa rola, flui, que parece que tudo dá certo mesmo quando não dá?
Pois foi assim o som.
Minha primeira " tocação" na noite com o Paulinho Bertolozo e ele arrasou, botou pra quebrar, esmirilhou tudo! Tocou cavaco, violão de aço, violão, o cacete, e mandou muito bem naquelas músicas encrenca que eu faço. Tocar Catavento e Girassol a dois violões foi uma das coisas mais lindas que eu já fiz na vida. Fiquei toda besta! A gente tocava e ficava rindo um pra cara do outro, como se fizesse muito tempo que a gente não tocava e aquilo fosse um reencontro. Adorei, bicho! Adorei, adorei e adorei e este mês estaremos outra vez tocando juntos. Não é pouca merda isso não. Valioso!
Aí pra completar a sonzeira, baixou o Ding Dong. Estava em Barão, sabia que eu ia tocar por lá e me disse " vou chegar no som". E chegou! O velho e bom Ding Dong e sua percussão de batuqueiro. Um carisma do cacete esse cara tem!
E aí estava a banda formada!
Então nosso trio de improviso desceu a mão. A galera cantou, dançou, sacudiu e eu acabei a noite toda suada, fedida, o esmalte ameixa-profundo todo descascado, mas só da mão direita, absolutamente satisfeita.
E as canjas? E o povo querido que pintou lá?
A Juliana Palermo cantou lindamente. Uma fada porreta mesmo! Linda! Linda! Linda! Linda voz. Linda mulher. E sexta, depois que eu tocar, vou vê-la soltar a voz com a sua banda, o Soul na Guela. Estão todos convidados. Para os dois eventos!
Depois subiu meu amigo-irmão Daniel Chaudon. Aquela voz linda dele. Aquele homem lindo. Ai, Jesus na cruz...uma coisa! Cantou, cantou, eu saí do palco pra dar uma descansada e pra poder ouvir de longe o som. Gente, lindo. O Paulinho e o Ding que nunca tinham tocado com o Dani foram na cola do cara. Ele mandava uma música e, pum, lá estavam os dois segurando o som, como se fosse tudo ensaiadinho. Impressionante.
Mais um pouquinho o elfo...é...ele mesmo, o Elfo Cantor Marcelo, subiu porque eu dei uma intimada. E aí? Vai amarelar ou vai encarar? E o lindinho encarou. Segurou o tranco muito bem, obrigado! Gostei de ver, rapaz. Gostei de ver...isso aí..eu gosto de intimar e ver o cara não correr da raia. Adorei. Vale a pena repetir.
E a Juliana Hilal, a fotógrafa mais poderosa com sua câmera imensa? Me senti toda poderosa com ela clicando tudo que é situação. Disse que tirou mais de 400 fotos!!! Cacetada! O dedinho mais rápido do oeste. Poderosa...To louca pra ver as fotos e colocar aqui.
E ainda teve um louco, um doidão, um cara divertidíssimo, que eu não me lembro de jeito nenhum o nome, que até me pegar pra dançar, pegou. Mas sabe aquele cara que dança te olhando com cara de tarado mexicano? Que agarra mesmo? Dá uns puxões bem dados. Afe...pena que nem tudo é perfeito nesta vida...Pegou? Pegou a sutileza da observação?
Aí pra arrematar a noite, uma bicha linda que eu acho tudo de bom e que sofro mesmo por ele ser viado ortodoxo, uma judiação um negócio desses, veio e me disse uma frase elogiosíssima que toda mulher gostaria de ouvir. Ainda mais vindo de um viado lindo de morrer. Não por ele ser lindo, mas sim por ser viado! Tem mais valor do que se fosse um hetero.
O que seria das mulheres sem as bibas amigas?
Fiquei toda feliz porque música é uma coisa muito louca. Fazer música junto é uma coisa muito estranha porque rola uma intimidade, um tipo de laço que é difícil de explicar. Mas rola. Rola uma união, uma ligação muito sutil mas que deixa a gente feliz. Como se estivéssemos esperando isso, como se fosse pra esses momentos que a gente estuda tanto, ensaia tanto, toca em tanto lugar chato, pra gente chata, com som de merda. Aí quando rola uma coisa dessa, uma casa cheia em plena terça, o povo aplaudindo, você sabendo que o som tá realmente rolando...Porra, dá uma felicidade muito louca!
Quando finalmente acabamos eu olhei pros meus dois parceiros de palco e a gente sorria sem parar! Um abraço daqueles é difícil de acontecer, mas quando acontece esquenta mesmo o peito e dá vontade de sair por aí, mostrando essa música linda que o Brasil tem.
Eu sei que eu to meio besta . Ainda tô no clima da noite de sonzeira, mas é muito bom sentir isso que to sentindo agora.
É muito, muito bom.
Obrigada, meu Deus, por eu não ter virado outra coisa. Por poder sentir isso.
Esses momentos preciosos e perfeitos valem por todos os outros momentos que a gente se ferra bonito! Compensa!
E faz a gente ter mais gana de seguir em frente.
Isso aí.
Vamos que vamos!

10 comentários:

Juliana Hilal disse...

A noite foi mesmo o máximo. Voltei rindo e cantando no carro, feliz da vida. Plena terça-feira.
O som (que som!), as pessoas, o clima do lugar, tudo rolou perfeito, cada um curtindo na sua mas com liga. Só faltou Beatriz...rs
Sobre o tal tarado mexicano, eu também senti a pegada...rs Delícia. Deu até vertigem.
Ah, o nome dele é Guilherme. Figura.
Te mando hoje as fotos da máquina poderosa.
Beijos

baú de relíquias disse...

Tati...
Ontem pude sentir toda essa energia linda que vc descreveu aí, estive em Barão e pude me impressionar com o lindo som que vc faz, mulher que voz, que presença de palco, parabéns!!!!!
Fiquei muito feliz de ter saido preguiçosamente, em plena terça, p/ um chopinho que era p/ ser rápido e que acabou não sendo pq o show estava d+...

É isso, muito sucesso p/ ti, espero te ver tocando em breve...

Bjos meus...
Ju Melo

Tatiana disse...

Gente..quantas Jus!!!

Juliana,
Eu vi! Eu vi você lá nos requebras!!
E eu toquei Beatriz...só que antes de você chegar..
Foi bom, né?
To aqui doidinha pra ver as fotos!
Beijos minha querida

Tatiana disse...

Ju,
Que delícia ouvir isso!
Obrigadíssima!!
Beijos e mais beijos

Menininha bossa-nova disse...

Ai caralho, e você que estava com preguicite de ir, lembra??? Puta som!! Puta sintonia entre vocês!! Foi lindo mesmo, foi o máximo! Tô com sono aqui, mas valeu cada minutinho...
Obrigada pela canja, pelo som, pelas risadas, por tudo tudo tudo.
E teve Beatriz sim, Jujubs, vc que, pra variar, chegou tarde...
Tb quero as fotos! E ainda hj vou escrever no meu blog sobre ontem, pq foi mesmo uma noite ma-ra-vi-lho-sa!!
Salve Tatiana Rocha! Salve Paulinho! Salve Ding!

Tatiana disse...

Menininha,
E sua canja ensaiadinha assim, meio nas coxas?
Arrasou, mulher!
Adoro isso. Adoro essa suruba sonora!
Vamos fazer mais???
Sexta eu vou te ver e ficar berrando, tietona!!
Eu de tiete sou uma beleza, minha filha.
Sabe fã-foca? Que fica batendo palminha e fazendo uh uh uh?
Sou eu!
Beijos!!!

Anônimo disse...

Lindona!
Você estava demais!
E que turma era aquela que estava com você??
Cacetada! Puta sonzeira massa!
Porra...fiquei todo orgulhoso...
Não adianta que eu não assino meus comentários.
Sou levemente tímido!
hahahahahhahahahahahahahhaahahahahahhaha

Marina F. disse...

amigaaaaaaa.
que vontade de estar aí com vocês.
mas que bom vê-la arrasar, como sempre!
bjs.

Tatiana disse...

Marinex
Você teria se divertido...To armando aqui uma ida a Sampa pra cair na gandaia....hehehhehehehhe
com você, clarooooooooooooo!
Beijos, amiga

Valéria Martins disse...

Oi, Tatiana! Que noite bacana, hein? Que bom que vc trabalha com música, é um privilégio, sim. É uma vida mais leve e colorida!
Vou estar na Bienal somente neste fim de semana, no outro, não (assim espero!). Mas de qualquer modo, dê uma passada no estande do Grupo Editorial Record. Se por acaso eu estiver lá, te convido para um café. Beijo,