terça-feira, 10 de junho de 2008

Os amores

Eu acho que existem vários tipos de amores. Já li definições bem claras que eu transcrevo aqui:

1- O amor platônico que não quer gozos ou interesses. Ama-se e ponto.
Já tive isso aos doze anos. Amei loucamente meu professor de ciências. Ele nem me dava bola e eu louca para entender melhor as borboletas e as abelhas.

2- O amor de Eros que é ligado ao corpo, à atração física, ao tesão doido mesmo.
Esse é danado pra ser confundido com o amor da minha vida, especialmente entre as mulheres. É só aparecer um cabra que dê um trato daqueles que a tal já começa a pensar no vestido de casamento e na casinha branco com cerca azul. Isso ainda na primeira noite! O famoso amor de pica, bate e fica.

3-Ágape, o amor altruísta, quase espiritual.
Acho é devia ser esse o amor que Madre Tereza de Calcutá tinha. Gandhi. Irmã Dulce, lá na Bahia.

4-O amor entre amigos, o stroge.
Eu tenho isso de monte. Amores desses que me deixam mornamente feliz. Bom de se ter, muito bom.

5-O pragma, muito em voga atualmente, é um tipo de amor que visualiza apenas o momento e a necessidade temporária, do agora.
É o amor dos ficantes.

6-Ludus, o amor lúdico, cheio de brincadeiras, leve e gostoso.
Esse é tudo de bom, né?

7- Mania, o que eu achei o mais interessante: amor altamente emocional, instável, o esteótipo do amor romântico. Esse último, o amor romântico, não é construído na relação com a pessoa real, mas sobre a imagem que se faz dela, trazendo a ilusão de amor verdadeiro.
Diga se isso não é mais comum do que imaginamos! Quem nunca pirou na batatinha e viajou na maionese e achou que amava muito, muito mesmo e era só uma...mania? Um mal hábito? Uma piti?

8-Psiquê- um amor espiritual, baseado na alma e nos sentimentos eternos.
Isso aqui é lindo de morrer!

Achei isso aqui e achei o máximo:

"Amor, paixão, e loucura

Estudos têm demonstrado que o escaneamento dos cérebros dos indivíduos apaixonados exibe uma semelhança com as pessoas portadoras de uma doença mental. O amor cria uma atividade na mesma área do cérebro que a fome, a sede, e drogas pesadas, criando atividade Polimerase. Novos amores, portanto, poderiam ser mais emocionais do que físicos. Ao longo do tempo, essa reação ao amor muda, e diferentes áreas do cérebro são ativadas, principalmente naqueles amores que envolvem compromissos de longo prazo. Dr. Andrew Newberg, um neurocientista, sugere que esta reação de modificação do amor é tão semelhante ao do vício as drogas, porque sem amor, a humanidade morreria."

Esse texto é deveras esclarecedor. Não era maluquice, era um amor mal equilibrado quimicamente!! Um amor viciado!
hahahah
Adorei isso!


Agora misture esses amores - EROS + LUDUS+ STROGE + PSIQUÊ - bata tudo dentro do coração, sacuda bem a cabeça para deixar os neurônios completamente doidos, viciadaços no ente amado e querido, coloque isso tudo entre melodias especiais, cantorias especias, sonhos especiais, um passado especial e arremate com uma noite especial.
Taí um bom tipo de amor. Um que vale à pena.
Eu recomendo.

Já pensou que tipo de amor você anda vivendo? Ou qual é o amor que você quer hoje em sua vida?
Peça que assim terás, já diz o profeta, então trate de pedir direito!
Qual amor você quer ou consegue ter agora?

7 comentários:

Mônika Mayer disse...

Ah, minha querida amiga, ultimamente tenho vivido o 6 e o 7.

Mas desejando ardentemente um amor prá vida toda... acho que tô pedindo errado, mesmo... rsrsr

Tatiana disse...

Saber pedir é uma coisa deveras importante!!
mas continue pedindo! uma hora, encaçapa!

André Felipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiana disse...

André Felipe
O senhor é por demais formal. Muitíssimo agradecida por suas palavras.
Me senti em avaliação de redação de escola.
hahahhahaha
obrigada pela visita!

Anônimo disse...

Ah os amores. Não tive muitos não, mas o último parece que veio pra ficar, digo parece, pq de nada sabemos do amanhã, ainda bem né? Esse amor é o cúmplice, o querido, o briguento,o querer fazer tudo junto. Tem muita gente que nos acha parecidos...ahahah. Tomara que seja o psique. Não to me achando não, eu pedi diretinho, e cuido bem do meu amor =)!
Lindo texto Tati.
Beijo

Gika

Anônimo disse...

Tati
Vivo o praga viu rs rs.
Já vivi o Eros, não foi uma boa experiência.
Mas sabe de uma coisa:quero um psiquê pra vida toda.

Bjs

André Felipe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.