quarta-feira, 4 de junho de 2008

Comprei meu sapato vermelho! Aquele que eu estava doida para comprar e saí usando, me sentindo a coisa mais poderosa do mundo somente porque botei cor nos meus pés. Cor forte, cor com personalidade.
Pode parecer futulidade de mulher, acesso de consumo, frescura, mas não é. Eu fiquei aqui pensando o que me fez querer ter um acessório desse e cheguei a conclusão que vai além da moda.
Eu nunca tive um sapato vermelho. Aliás, nunca fui de usar vermelho. Vermelho e preto, menos ainda porque poderia passar por uma flamenguista ou por uma pomba-gira urbana. Acho que nunca fui muito por este caminho por querer manter uma certa discrição, já que minha pessoa é um tantinho grande e para eu ficar a cara de um travesti é só um pulo.
Meu primeiro arroubo carmim foi o poncho de crochê que passei meses fazendo. Eu queria um vermelho profundo e não muito aberto. Cada pontinho que eu dava, eu rezava pedindo principalmente proteção. Na minha cabeça aquele poncho vermelho era meu escudo, minha armadura, meu espanta-olho-gordo. Mas só posso usar meu poncho em poucas ocasiões, é quente pra cacete!
Olhado meu guarda-roupa não encontro uma única peça vermelha.
Depois de um fim de namoro eu resolvi cortar os cabelos e pintar as unhas de vermelho. Nunca em toda a minha vida tive coragem para fazer isso porque minhas unhas não são o que eu tenho de melhor, mas no instante que pintei, nunca mais deixei de fazer isso. Hoje, quase três anos depois, tenho vários esmaltes, de vários tons de vermelho e eu mesmo me atrevo a cuidar das minhas unhas. Sempre e somente nos tons vermelhos.
Dá pra perceber que o vermelho veio vindo lentamente em minha vida.
Por que agora, neste momento, eu quis um sapato vermelho? Existe alguma coisa por debaixo deste desejo.
As unhas vermelhas tinham a ver com o " expor aquilo que eu vinha fazendo", chamar atenção para toda a minha obra, para meus trabalhos, para aquilo que eu vinha fazendo e não dava mais para deixar que o mundo passasse batido por tudo isso. Minhas mãos são o meu " fazer".
Acho que os pés são símbolos do caminhar, do ir, do seguir. Os sapatos vermelhos podem perfeitamente representar um desejo de arrojo e mudança, uma tomada de folêgo para uma guinada, um salto, uma corrida. Meus sapatos chiquérrimos vermelhos vão sinalizando pro mundo que eu to indo, que eu to seguindo por um caminho tal que não permite a discrição e a sutileza.
Agora junte isso tudo. O poncho, as unhas e os sapatos. Tudo vermelho. Tudo foi se chegando em mim de forma gradual e duradoura. As cores fortem bem firmes em mim.
Tá vendo que não é uma coisa puramente estética? Meus sapatos vermelhos vão além dessa coisa. São meus anseios, são uma força representada, são um marco.
Então não me diga mais que eu estou ficando fútil. Você que está ficando muito besta em não perceber as sutilezas da alma feminina e a psicologia embutida nos pés.
Eu estou somente colorindo a minha vida, me permitindo um arrojo que antes não cabia em mim. Um toque de humor também. De coragem. Personalidade.
Viu só? Simples mesmo.
O que? Mas é claro que to pensando em alguma bolsa vermelha, mas não para usar junto. Não, isso não. Eu quero uma bolsa vermelha para alegrar a vida. Só isso.
Minha contribuição.


4 comentários:

Harpa disse...

Sem contar que seu blog tá todo vermelho, hehehehe...

Ainda bem que só tenho 1,52m de altura, porque ando tanto de vermelho (e outras cores tão vibrantes quanto) que seria facilmente confundida com uma dragqueen se tivesse a sua altura, por exemplo, huahuahauahuahau...

Claudia Lyra

Tatiana disse...

sim, cláudia
ou viraria uma mamãe noel imensa...ou uma representação de um flamingo...coisas deste genero

Vivien Morgato : disse...

adoooooooooooooro vermelho, e o vermelhão do blog ficou lindo.

Tatiana disse...

gostou, vivien?
eu também..mas eu me conheço. já, já mudo!