segunda-feira, 26 de maio de 2008

Ponte X Ceará

Sexta eu toquei em um hotel e o time do Ceará estava lá. Todos com uniforme e andando em grupos e comendo horrores. Botei reparo nisso porque eu queria saber se eles comem mais ou menos do que eu. Comem bem mais, deu pra perceber. Jantaram, poucos provaram as sobremesas e depois, no finalzinho da noite, ainda encararam um lanchinho.
Vai ver que foi isso que fez o time perder.
Comem demais esses meninos e depois não conseguem correr atrás de uma minúscula bola.
Tá certo, eu sei que tô implicando com eles. Impliquei logo de cara porque eles ficaram bem longe do som e eu achei que eles não curtiam o som que estávamos fazendo. Aí eu deduzi que era um bando de apreciadores de pagode ruim porque pra mim todo jogador de futebol gosta de pagode ruim. Sim, sim! Eu sei, tô sendo preconceituosa, mas e daí? É o que eu acho mesmo.
E tem mais. Que diabo de time cheio de homem feio do cacete!
Andam em grupos, ouvem pagode ruim, comem pra caralho, não apreciam uma boa sobremesa, são bem sem graça de olhar e ainda por cima perderam o jogo.
Pelo que eu vi, o time da Ponte não deve ser muito melhor, só tem canhão, mas canhão por canhão, prefiro os canhões da cidade que me adotou.
Dá-lhe Ponte!

3 comentários:

Mônika Mayer disse...

Ah, o Coritiba aqui da minha terra tem uns canhões também. Mas, valha-me Deus, tem o Pedro Ken... ai, ai, ai!!! Por ele, sim, vale a pena encarar os outros 9 ou 10 canhões... kkkkk

harpa disse...

Ah, não! Time de futebol tem que ter homem bonito! É dose isso!

Tatiana disse...

Uma coisa é certa.
Assistir jogo da Argentina, Espanha, Itália é muito, muito mais divertido em matéria de material estético humano.