sexta-feira, 18 de abril de 2008

Os 30 e os 40


A crise dos 30 nada mais é do que o Retorno de Saturno.
É difícil, dolorido, bate na cara da gente a realidade. Se você está no caminho que você programou a coisa não dói tanto, mas se está em algum atalho ou meio perdido, aí a coisa pega.
Eu dei uma piradinha quando fiz 30 anos. Mas aí me olhei, estava casada, com dois filhos, um casamento estável, gravando meu primeiro cd, estava no meu caminho, mas mesmo assim pirei. Felizmente minha capacidade de regeneração é ótima e eu pulei fora rapidinho. Ach que o que realmente me abalou foi os presentes que recebi naquele dia: um creme da Natura dos 30 aos 45 e um livro só para mulheres que quando eu abri, dei de cara com o texto " como prevenir a osteoporose". Qualquer um despirocava.
Os meus 40 anos foram outra história. Tava cagando e andando se o peito caiu, se se a bunda murchou, já não queria mais parecer ter 20 anos porque não é possível. Libertação, essa é a palavra que eu sempre uso para os 40. Libertação da família. Libertação das culpas. Libertação da opinião do outro. Aos 40 eu sabia quem eu era, o que eu queria, o que eu não queria, onde estava minha luz e onde estava a minha sombra. Uma mulher de 40 já sabe muito sobre si mesma e isso é muito maravilhoso.
Hoje, às vésperas do fazer 41, me sinto do mesmo jeito. Liberta. Esperta. Antenada em mim.
Os 40 anos é a melhor festa dos sentidos porque já sabemos onde estão nossos tesouros, temos as chaves e as senhas, temos os mapas todos. A gincana é do outro e não perdemos mais tempo com bobagens e joguinhos idiotas. Não se desperdiça tempo aos 40, aproveita-se o tempo.
Acho que eu não piro com isso porque não tenho medo de envelhecer. Tô curtindo essa fase. Tô envelhecendo com dignidade. A gente sabe que algumas coisas não ficam mais elegantes em uma mulher de 40. Por exemplo, eu aboli as micro-saias, mesmo estando com coxas em ordem para usar. Minha benção, nenhuma celulite. Mas eu já acho meu estranho usar uma cosa dessa. Faz parte das mudanças da idade, da mesma forma quando eu fiz dez anos e pedi a minha mãe que me libertasse dos laçarotes e fitas. Eu achava que eu já estava madura demais para aquelas coisas. Como agora em relação as saias minúsculas. Mas não abandono um bom decote, uma boa fresta na saia. Tudo fica mais sutil...e mais avassalador.
Meus 40 anos me dá autoridadade sobre mim mesma. Eu decido. Eu sei. Eu não dependo de mais ninguém, nem para pagar as minhas contas, nem para bancar meu sustento, nem para me dizer oque eu sou porque eu sei quem eu sou.
Aos trinta eu me acusava pelas coisas que não fiz.
Aos 40 eu aguardo o tempo certo para fazer o que quero, admiro o que eu já fiz e me preparo para novos horizontes.
É...
Posso reclamar não.
Aliás, nem quero isso porque descobri neste 41 anos de vida que reclamação, auto-piedade, lamúrias e pessimismo é coisa que não ajuda em nada. Ao contrário, afasta gente que brilha porque um reclamão é sempre um saco de suportar. Tô fora.
Eu quero é aproveitar. Acredito que sempre tudo vai melhorar, que tudo é passageiro, tanto o bem quanto o mal, que a gente tem exatamente o que merece então aceita isso e passa logo o que tem que passar. Acredito que luz atrai luz e sombra atrai sombra. Acredito na força da vontade férrea e na força do amor. Acredito que a gente pode tudo. A credito que eu sou uma filha de Deus , criada a sua semelhança e isso me conforta. Eu posso tudo porque se eu desejo, é porque faz parte do meu horizonte. Única coisa que não posso fazer é interferir na vontade alheia. Isso é magia ruim que cobra até a alma. Aos 40 você já levou na cabeça, já viu muita coisa e não faz merda besta dessa porque já tem experiência de vida. E eu gosto de ter experiência.
Eu quero ser alegria e não melancolia.
Hoje saio para dançar samba rock, ver amigos, beber uma cerveja e rir. A vida passa muito rápido para desperdiçar com bobagem.
Eu quero é viver!
Se possível, mais 41 anos...

14 comentários:

Marina F. disse...

Querida, vc é uma mulher admirável. Aliás, vai ter rega-bofe de aviversário?
Estarei em Cps neste findi.
bjs.

Claudia Lyra disse...

Ai... pelo jeito minha crise dos 30 tá chegando agora, aos 40... ai...

Tatiana disse...

Marina
A gente rasga muita seda..hahahahahhasou sua fã incondicional!

Tatiana disse...

Uai, Cláudia
se não passa aos 30, tem que passar aos 40. não dá pra fugir!
mas é sempre bom...mesmo que doa!

Vivien Morgato : disse...

como a Cláudia...os 40 me parecem meio ameaçadores.
Ui,vou atravessar o rio.;0)

Vivien Morgato : disse...

como a Cláudia...os 40 me parecem meio ameaçadores.
Ui,vou atravessar o rio.;0)

Tatiana disse...

vivien,
você é uma gloriosa mulher de quarenta anos. perfeita nos seus quarenta anos. Linda. Experiente. Antenada. Liberte-se dessas bobagens...e curta! Saia mais! Viaje mais. Beije mais. Faça tudo que te der na telha.
Vai valer a pena.

Mônika Mayer disse...

Tatiana!! Que texto TUDO!!!
Chegar aos 40 com essa percepção é tudo de melhor!
Cheguei aos 43 na melhor forma, no melhor astral, porque descobri tudo isso que vc descreveu aos poucos, saboreando cada pedaço de vida!
A gente se percebe mais, se ama mais, se respeita mais e, claro, com isso, brilha mais!
Delicia de idade!!
Um abração da nova fã!

Tatiana disse...

Mõnika,
Muito legal você escrever isso aqui!
Outra mulher que passou pelos quarenta na boa...isso aí...
Tá vendo, Vivien, que não sou só eu???
Obrigada pela visita e seja sempre muito bem vinda!

Danny disse...

Eu vou vivendo meus 30 e poucos, meu retorno de Saturno e sabe-se lá mais de quê... Mas vou vivendo. E procurando não me lamentar, não viver reclamando, que é chato pra kct mesmo!
Mas olha, por tudo que já ouvi, sinto que os 40 são mesmo isso aí: libertadores! Só não digo que não vejo a hora porque também não sou doida pra isso! rsrs...
Mas a minha hora vai chegar!
=)
Amei o texto! Parabéns!!!
Beijos!

Andréa Reis disse...

Tati
Estou com vc e faço parte deste coro.
ADOREI OS 40 e mais ainda os 41!!!! Estou bem mais feliz e confiante hoje do que aos 30!

Feliz aniversário amiga!
Bjs
Andréa

Lígia Moreli disse...

Belo texto, Tati...Realmente inspirador, como você. Estou pouquinha coisa longe, aqui em terras de Sampa, mas já aproveito para deixar aqui o meu abraço e um beijo grande para você, mulherão de 41, liberdade pura.

Anônimo disse...

Menina, vou te ligar amanhã (daqui a pouco). Cuide-se, sempre. Seja, eternamente. E 41 não é nada. Eu, com 50, não me troco pelos idos dos 20.
Ps.: Estou para lançar o segundo livro (bem melhor do que o anterior). Quem sabe não troco ele por um DVD?
Beijos!
Ronaldo Faria

Anônimo disse...

To sem tempo de comentar em blogs, mas leio sempre =).Esse texto TEM que ser comentado.. Adorei! Cnfesso que tive muito medo dos 40,mas qdo chegou, eu sapateei. E ja tô nos 44 e cada ano achando melhor. A cada dia descobrindo que posso sempre e mais. Eita coisa boa! Texto incrivel, como sempre =)

Bjos Gika