terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Esse dia cinzento

Uma manhã fria invade o dia de verão e eu já acordo suspirando.
O cinza do céu pesa sobre minha cabeça e eu penso que não posso acinzentar meu humor.
Uma saudade imensa pousa sobre minha cabeça como essa nuvem que pesa sobre esses dias.
Saudade. Como dói a saudade.
No meu caso, uma dissimulada convicta, só percebe quem realmente olha. Lá no fundo. Lá dentro do meu olho escuro e rasgado de tanto sorrir. Mas lá dentro do meu lago negro, bem no fundo, minha saudade chora e sofre e eu me dôo toda por dentro.
Choro como chora esse céu úmido e histérico. Choro alto e soluçante. Choro para não morrer afogada em minha própria saudade.
Mas por fora sou terra dura de sertão, toda rachada, toda seca.
é só cavucar mais um pouco que se encontra água e ela. A minha saudade.
E sobre meu chão nordestino, pisa um pé de ogro, cheio da mais doce delicadeza, da mais delicada doçura e planta ali, no poço cavado com suas mãos grossas, a mais linda plantinha que eu agora batizo de esperança.
Já, já dará frutos.
E eu aguardo...chorando por dentro.

11 comentários:

Anônimo disse...

Saudade do sertão e das praias do Nordeste. Só nós, nordestinos de coração e gerações, sabemos disso.
Ps.: O Sol vai voltar a brilhar... Cuide-se.
Ronaldo Faria

Morena disse...

Querida,também ando sentindo isso. Tenho pedido ao céus para a saudade se arrepender e voltar logo.
eu estou aqui .... sempre

Clélia Riquino disse...

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

Clarice Lispector
[extraído do livro Aprendendo a viver, Editora Rocco, 2004]

Tati,

Transcrevi, tempos atrás, um texto legal, da Ana Miranda, sobre saudade. Chegou a lê-lo?

bjo,
Clé

Clélia Riquino disse...

PS: Queria que você ouvisse uma canção do Chico, no Achados. Dê um pulinho lá, qdo puder...

Amanda disse...

É exatamente assim como me sinto hoje!
Carregada lá no fundo, de uma saudade enorme.
Porém, aparentemente seca!

Um bom dia pra vc, adoro teus textos.

;)

Tatiana disse...

Ronaldo,
Eu sei..o sol sempre volta a brilhar. Uma certeza.

Tatiana disse...

Morena,
eu sei...disso eu também...vc sempre por perto, amiga
beijos

Tatiana disse...

Clélia,
Achei isso tão lindo, mas tão lindo...
MAs a presença já estaria de bom tamanho...

Tatiana disse...

Amanda,
Quando eu escrevo algo e alguém me diz que se identifica, isso me dá uma sensação de união. Não estou só com minhas mazelas, minhas saudades, minhas tristezas. Nunca estou só. E isso é sempre bom para mim.
Obrigada, viu?

Luciana Farias disse...

Ai, menina.... esse tempo cinzento também não faz bem pra mim não. Acho que não serviria pra morar em Londres.... mas tudo volta, inclusive o sol. Que ele venha logo!!!!!!

Danny disse...

Amore,
Ouvi alguém dizer que a gente vicia na saudade... Será?
Que a esperança dará bons frutos, disso eu tenho certeza!
Beijos, se cuide!