quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Auto de Natal

Fui convidada para trabalhar no auto de Natal de uma companhia de teatro chamada " Teatro de Tábuas".
Eu adoro trabalhar junto com o povo do teatro. Foi com eles que eu aprendi a me comportar no palco, a rezar para os deuses do teatro, nas coxias, a ter um respeito quase sagrado pelo espaço cênico. O povo do teatro tem uma relação muito mais intensa com o palco do que nós, os músicos. A galera da música é capaz de entrar no palco com celular ligado, o bicho tocar e o diabo do músico atender. Eu vi isso acontecer no Teatro Tim. Quase que eu subi no palco e dei na cara do músico, que por sinal também tocava comigo...quem lê nas entre linhas sabe quem é essa besta. Sim...aquela besta de sempre.
Pois bem. Fui convidada para resolver o pepino da direção musical, criar as vinhetas e a música final e ainda cantar e tocar durante toda a temporada.
O auto será apresentado dentro de uma carreta-palco que viajará por várias cidades do interior de São Paulo. No elenco, caixeiras, pessoas da comunidade da Aparecidinha ( lugar que não se entra depois das oito da noite, lugar de cabra macho), atores em formação, atores profissionais, eu fazendo voz e violão, Ugo tocando viola, baixo elétrico, baixo acústico, guitarra e violão, Alexandre e William na percussão. Uma banda mesmo tocando em cima de uma carreta que vira um palco. Com direito a figurino e tudo. Amo figurino. Amo luz de palco. Amo esse nervosinho bom de dia de estréia. Amo, amo amo essa vida mambembe de viajar, comer asfalto.
Não é do cacete isso?
O espetáculo estréia dia 14 de dezembro, aqui em Campinas.
Depois seguiremos por várias cidades e fecharemos a temporada em duas cidades. Campos do Jordão e Registro ( nem faço idéia onde fique isso).
Então, por causa do espetáculo, mergulhei intensamente na criação, nos ensaios e não farei mais shows no período do dia 14 até o dia 23 de dezembro. Por isso a agenda que eu sempre divulgo aqui não tem nenhuma citação de show. É tudo teatro. É tudo o auto de Natal.
Este fim de semana começa a maratona dos ensaios gerais. Sábadão, ensaio a tarde toda e eu ainda toco à noite. Domingo, ensaio. Semana todinha tomada com os ensaios. Dia 13, véspera do espetáculo, estaremos completamente enlouquecidos ( ai, adoro esse momento histérico-criativo), toda a equipe junta, os mais de vinte técnicos, elenco, banda, administração, todo mundo, junto para fazer um auto de Natal.
No dia seguinte, no bairro de Aparecidinha - aquele mesmo onde só macho entra de noite - estrearemos um espetáculo. Depois seguiremos em ônibus fretado por estas estradas.
Já imaginou a esculhambação boa que vai ser isso?
Ai ai...puta merda...artista se fode muito nesta vida, mas também se diverte de uma forma que só quem é da área pode imaginar.
Então, como aprendi com o povo do teatro:
MERDA, MUITA MERDA PARA TODOS NÓS!

4 comentários:

Cristiano disse...

que lindo, Tati!

muita merda pra todos vcs!

Tatiana disse...

um merdeiro só!

Marina F. disse...

querida, merda pra ti.
quero assistir essa bagaça.
tenho certeza que vai ser lindo de morrer (principalmente as músicas - haha - amiga puxa-saco).
bj.

Danny Reis disse...

Eu também adoro teatro!!! Deve ser muito bom mesmo participar de um auto desses!
Merda pra vocês!!!
Beijos!
PS: Uma amiga me contou a origem dessa expressão... Você conhece?