terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Agora a casa ainda está quente e risonha.
Na minha cozinha, um jogo de buraco rola solto.
Eu lavei roupa em plena madrugada, passei pano, tirei roupa do varal, dobrei, fervi panos de pratos, acendi velas perfumadas.
Não houve arruaça, farras, excessos. Não, não houve.
Sabe aquela coisa gostosa de ficar junto? Bater papo, jogar um jogo com os meninos, ver meu maravilhoso mousse de chocolate sendo devorado, a comidinha que fizemos todos juntos deliciosamente saboreada...uma sensação de família que não é a família de verdade, aquela de laço de sangue - fora eu e meus meninos -, mas aquela coisa mansa e morna que amolece o meu peito quando vejo meu filho gargalhando. As risadas. As bobagens despreocupadas. As brigas falsas, os palavrões medonhos que cortam o ar. A geladeira cheia de cerveja que ninguém bebe e mesmo assim, todo mundo junto, feliz. Minha casa é um grande coração de mãe e eu me orgulho disso.
Sandra, Mayra, Sílvia, Ugo, Lucas, Matheus, Nuno. Todos queridos. Todos. Alguns vieram e saíram rápido. Outros dormirão aqui e amanhã tudo recomeça. Meus bichos apavorados com os fogos de artifício. O cheiro bom que exala da roupa no varal. As plantas agradecidas pela água boa e fresca.
A felicidade é tão simples, né?
Daqui a pouco mais gente se juntará a nós e as panelas baterão, minha cozinha povoada por mais gente, mais crianças que farão barulho e bagunçarão a casa.
Como eu gosto disso!
Gente. Vida. Música. Leveza. É isso que eu quero na minha vida.
Vou dormir aquecida e sorrindo com meu corpo cansado.
Um Natal feliz.
Coisa boa isso.

2 comentários:

Anna disse...

o coração tranquilo é a morada da felicidade. um grande beijo, de coração aberto!

av disse...

Há muito tempo que eu não passava por aqui, Tatiana. Nem sei porquê... mas hoje quero deixar o desejo de um novo ano cheio de tudo o que é bom e a gente gosta: amor, família, amigos e muita, muita música. daquela que você sabe fazer tão bem.

Um beijo lusitano
Ana