quinta-feira, 25 de outubro de 2007

o que a falta do que fazer não faz

Caros leitores,
Estes escritos aqui estão sendo escritos por uma médium muito legal, a Maria das Almas, médium que recebe mensagens do além, pinta com os dois pés, faz curas milagrosas com uma agulha de crochê e que estava vaga hoje a noite. Furei a fila e vim falar olá.
Eu morri ontem à noite. Morri de tédio porque não tinha nada para fazer.
Na verdade tinha um monte de coisas para fazer, mas eu não tava a fim. Não tava a fim de lavar mais louça. Louça é pior que chinês, não para nunca de surgir de algum lugar. Não tava a fim de fazer música. Não tava a fim de porra nenhuma.
Morri de tédio de forma súbita. Tava no pc e bummm...vi uma luz.
Caralho. Acho que morri, pensei.
Segui a luz, né, que não sou besta. Uma velha senhora vestida de branco apareceu para mim e me chamava com dedos longos. Me deu um cagaço da porra e eu eu gritei. Ela gritou de volta. Eu gritava aii. Ela respondia aiii aaai aaiii aiiaaiiiaii em cima em baixo empurra e vai. Ficamos nessa por um bom tempo. Aí eu achei que ela devia ser uma alma penada maluca e não fui.
Tinha uma escadinha escura do lado esquerdo com uma luz vermelha brilhando em cima. Uma seta pra baixo e alguma coisa escrita mas eu não consegui ler. Abri a porta e fez um créeeee. Um cheiro estranho e um calor dos diabos. Uma sonzeira dos infernos lá. Abri bem devagarzinho e eu vi um homem de chifres vestido com bota e chapéu. Ouvia-se Zezè de Camargo e Luciano aos berros, em ritmo de funk carioca. Deduzi que estava nos domínios do demo.
Dei meia volta que eu não sou besta nem nada.
Outra portinha escrito LIMBO.
Milhares de mulheres de joelhos limpando o limbo com escovinhas de dentes, ajoelhadas no milho ouvindo pagode paulista.
Fechei a porta sem fazer barulho.
Subi de volta a escada.
Tinha um elevador panorâmico e apertei o último andar.
Deu pra um mar de nuvens. Um monte de anjo pelado tocando harpa. Fiquei doida pra ver as pirocas dos anjos, mas não é que anjo não tem sexo mesmo? Fiquei chatiadíssima. Nem uma verruginha. Nem uma folha de parreira. Mas os cabelos eram lindos. Nenhum anjo usa chapinha, assumem totalmente seus cachos. Um mar de cachos. Será que anjo tem pentelho? Não dava pra ver. Sem piroca e sem pentelho. Será que anjo tem teta? Anja? POde não ter piroca nem piriquita mas pode ter uma tetinha...Nada! Tudo com aqueles roupões folgados. E a harpa comendo solta. Milhares de escalas. Meio paradão o céu. Resolvo conhecer outros ares.
Desço um andar.
Uma porta de mogno imensa.
São Pedro atende das 8:00 as 18:00, estava escrito em uma placa de ouro.
Forcei a porta. Abriu. Peguei São Pedro com um lenço na cabeça, o vestidão branco levantado e firmado na cueca samba-canção de bolinha amarela, vassoura na mão, fazendo a maior faxinona. Baldes e baldes de água. Ahhhh, por isso que tá chovendo tanto. Ele cantava..."olha..está chovendo na roseira..que só da rosa mais não cheira"...
Tom Jobim, meu bem, Tom Jobim é hit aqui no céu! Desafinado pra cacete São Pedro.
Saí de fininho. Vai que ele me põe pra trabalhar.
Desci mais dois andares.
Várias portas.
Cada uma com uma plaquinha escrita à mão assim " centro espírita mesa de mesa branca", " centro espírita de mesa de centro", " centro de umbanda mas que usa uma mesa branca"," centro de umbanda caboclo tanajura", centro de umbanda com tambor", " terreiro de candomblé - aqui não se admite egus - passe para a outra porta", " médiuns que atendem em domicílio", "médiuns avulsos", " médiuns, pequenuns, e grandeuns"," exorcistas para malucos em geral - mortos ou vivos", " da vez".
Achei este " da vez" interessante.
Da vez do que?
Ora, o cara que tá bombando em matéria de espiritualidade. A Dona Maria das Almas!
Por isso tô aqui. Ela tava vaga e eu vim dizer um olá. OLÁ!Ela me disse que eu não morri de verdade, que eu tô tendo um daqueles ataques de besteira e de falta do que fazer. E que se eu aparecer por lá mais uma vez, só pra arranjar o que fazer, ela me dá um couro. Porque com tanta gente que morreu necessitando de uma mensagem, de uma acalanto e eu ali, ocupando um espaço de um morto de verdade, que isso era falta de vergonha na cara. Me deu um banho de água benta - nem dei bola - e me mandou voltar pra casa e deixar de molecagens.
Oi, mamãe. Tô aproveitando os últimos instantes. Não vi ninguém conhecido aqui. Se aquela véia que me chamava era a vovó, ela tá podre. Ó, São Pedro tem umas pernocas, viu? Tá tudo....
ei! Ei! o que é isso? Não! Ainda não! Deixa eu acabar a mensage pra minha mãe! Mãe..eu te a....

pu pu pu pu pu pu

11 comentários:

Anônimo disse...

Criatura,
Quanta merda! Vá lavar roupa...

Anônimo disse...

haahhahahahahaha
São Pedro tem pernocas??
Hummmmm

Anônimo disse...

Também sou anônimo e não acho nada disto.........
Acho que você está é perdendo tempo em escrever um bom livro, pode ganhar grana com isto. Escreve pra caralho!
gosto muito!

Anônimo disse...

o mesmo anônimo que GOSTOU...

dei um monte de risada.

Claudia Lyra disse...

Deus do céu... mas escrever bobiça é muito melhor do que lavar louça, ah isso é!

Tatiana disse...

Eu adoro uma bobagem....
Merda na cabeça é adubo!!
Fico tão criativa!

Paps disse...

Eita, Tati, mas ri muito agora... E o pu pu pu do final é maravilhoso!

Ah, e o blog tá lindão de cara nova!

Beijocas!

Danny Reis disse...

HAHAHAHAHAHA! Muito bom!
Tati, esse Blogger não dá a opção de tirar os comentários anônimos não? É tão chato isso... Sei lá, eu desmarcaria essa opção, se desse...
Beijuuuus!

Tatiana disse...

Danny,
Tem gente que é tímida

Tatiana disse...

Paps..
Bobagem poucua é bobagem...vamos rir, né?
A vida já é tão dura...

Tatiana disse...

anônimos em geral..respeito a opinião de cada um...