sábado, 21 de julho de 2007

Inocente

O contorno delicado de sua pele.
Aquilo que limita a alma é aquilo que meus dedos alisam quando seu suor virgem escorre da carne.
Lindo. A beleza tem garras e sinto dedos no meu pescoço.
A suave ladeira que tuas costas lisas formam. Brinco de tobogã e você sorri. Te dou corda e você sobe aos céus, como a pipa livre querendo as alturas. Eu te dou o céu, se é o que quer.
Frases que não são ditas e, mesmo assim, ressoam nos meus ouvidos. Silêncio cheio de sussurros e música.
Pausas. Longas pausas. Breves. Semi-breves.
Colcheias. Estacatos. Contratempos.
Silêncio e aplauso.
Eu e você.

Teus olhos fechados e teu peito aberto.
A entrega na inocência.
Aquele que ainda não sofreu, não teme e o salto é inevitável. E eu, toda precipício, toda montanha de carne e sangue, toda cheia de ventos e abismos, sou a tua morte iminente.
A morte ansiada e procurada. A pequena morte. A melhor morte.
Eu, no seu derradeiro suspiro da entrega, sou o machado que estraçalha a tua doce inocência.
Minha face sorri o riso cruel do carrasco e você, entregue e confiante, segue nas minhas mãos sem saber para onde caminha.
E quando observo teu corpo adormecido sobre meu cansaço, neste instante vejo que ainda é um menino porque é no sono que a alma se liberta e a mão que me procura no escuro do quarto é quase a mão do menino a procura da teta que lhe alimenta. Teu braço de homem me aperta contra teu peito de menino. Um hálito quente no pescoço me arrepia a espinha e eu vascilo.
O machado que corta, chora lágrimas do sândalo que sangra.
Eu sou machado.
Você é sândalo.
E sem que perceba, fecho a porta do quarto e te deixo dormir na sua doce inocência, o que restou dela. Acendo o abajour para que as sombras não te pertubem o sono, te beijo a testa e te digo adeus, antes que acorde e dê o primeiro passo suicída.

15 comentários:

Claudia Lyra disse...

Gente! Coisa linda isso, viu! Ai, ai, mas só pensei em sacanagem, aff...

Adriana disse...

ah, tá! Agora já sei pq cê num apareceu ontem, Nenê! Tava ainda brincando de tobogã, né? Sai do parque de diversão, Nenê! Vem pro muro que o café tá fresquinho, e a tapioca tá só esperando.... hahahahahahahahaha

Morena disse...

PARABÉNS

Ronaldo Faria disse...

Pare de ter medo de se entregar e achar que tudo é passageiro... Que você só fere os outros. Que ao teu lado o fim do amor é o fim. Deixe esse garoto te surpreender. Às vezes é bom amar a juventude. Nem que seja só para voltar a "tê-la".
Cuide-se!
Ronaldo Faria

Anônimo disse...

Coisa linda.
Bem cênico...podeia entrar na leitura, o que acha?
kss.
Má F.

Lord Broken Pottery disse...

Tatiana,
Há ciência no conselho do Ronaldo Faria.
Beijo

Ana Paula disse...

concordo com o ronaldo. aliás, acho q te disse alguma coisinha parecida com isso, não foi?
e tb acho q esse texto tem q entrar na brincadeira... é isso aí, marina!!!!
e antes q eu esqueça...parabéns, viu... meus parabéns...ahahahahahahahahahahahahaha

Anônimo disse...

TU DE PRA ELE NE´??????????

Anônimo disse...

"DEU"

Tatiana disse...

Cara anônimo,
Cade a sutileza?
A elegancia?
A liberdade poética?
Perceba as metáforas...

Tatiana disse...

Cláudia,
hahahahahahhahahaha
tua mente é por demais fértil!

Tatiana disse...

Adriana,
A merda é que as luzes do parque de diversão me fascinam. A maçã do amor, subir na roda gigante. Uma merda isso

Tatiana disse...

Morena,
Obrigada.
hahahahahahahha
Eu soube me comportar

Tatiana disse...

Ronaldo,
Nós temos que ter responsabilidade.
Conciência do nossas atitudes podem causar.
É só isso.
Responsabilidade e cuidado.

Luciana Farias disse...

Uau, mulher... :-))