quinta-feira, 3 de maio de 2007







Hora da farra. O final se aproxima. A banda descendo a mão. Ugo tem seu momento de solo e é aplaudido em cena aberta, Quase que eu tenho uma síncope de orgulho. Toca comigo, toca comigo! Ai, que emoção.
Nando Lee, solando feito doido, as pessoas aplaudem. Olho para ele. Um sorriso ta ali.
O batera sempre fica mais longe. Uma determinada hora, ele não entra na hora certa. Dou aquela olhadinha. Ele me diz, sem palavras nenhuma, só com os lábios “ na to ouvindo teu violão, desculpe”. Eu aumento o volume do instrumento, sorrio para ele. Vamos agora! E fomos.
Foi lindo.
Foi mesmo lindo.
Para mim, dividir o palco com Sonekka foi um orgulho e uma certeza que eu não estava errada. Só ele toparia um projeto desses. Dividir o palco, as criações, a loucura de ter uma banda misturada, eles e nós, no fim, nós. Todos nós.
Foi sim um puta reencontro.
Adorei, fiquei feliz.
Depois quando o show acabou, tirei aquela roupa de palco, fui conversar com o povo que estava enchendo a cara de Martini e fumando charutos e cigarrilhas. Muita gente que eu não conhecia. Zé Edu, parceiro de Sonekka e agora meu parceiro, também veio falar comigo. Eu nem sabia que ele estava lá! Tão bom ouvir as coisas dele!
Gente que eu não conheço muito, gente do Caiubi, outros compositores, outras pessoas que brigam por seu espaço. Ali. Foi bom.

A volta para casa depois das muitas cervejas em um bar. Acho que nunca ri tanto em minha vida. O músico, a cantora, o maquiador e o fotógrafo. Uma trupe daquelas de boas.
Adorei esta equipe.
Espero poder fazer esse show pelos lados de cá, para quem mora por aqui, poder ver também.
To feliz.
To cansada.
To cheia de rímel de ontem ainda.
Mas to muito, muito feliz.

9 comentários:

Anônimo disse...

Querida, agradeço muito por contar com a sua amizade e a sua arte. Ambas me alimentam de maneira igual e me fazem seguir em frente com alegria. Obrigada, obrigada. Mil vezes obrigada pelo show que você dá sempre!
beijos.

Sonekka disse...

Eu to só pó...não dormi nada.Adorei tudo, o clima, a tua segurança de mulher madura...boa artista até o talo! de fazer inveja a meio mundo de estrelas criadas a não sei que.
Eu acabei me divertindo mesmo, nem liguei pro mundo.
Esta sendo um prazer por hoje to ainda colhendo os elogios, puxando as imagens das fitinhas, recebendo fotos...e quer saber?
acho que gostaria de fazer mais uns desses, foi tão ducaraleo!

Zéfiro, no afã do fã disse...

Tati, impossível não torcer por você! Eu aqui no meio dessa Mata Atlântica, onde embalo a minha rede, penso é hoje q a Tati está atacando no Crow. É tão importante para ela! E mando aquela energia de quem já subiu em muito palco na vida. Chego agora em casa. Já caminhei à noite na praia deserta, ja fui no aniversário mais bosta, tipo Charles Dickens, miséria espiritual, e fugi rápido dele. Já comprei coisas super gostosas para um lanchinho caseiro e matei duas cervas e duas cachacinhas trazidas de Parati. Fquei feliz e acabei dançando ao som dos Stones no Rio com minha cachorra na sala e aí lembro de correr para o computador e ver se já tem alguma notícia do show da Tati, se saiu tudo legal. E eu sei que saiu. Leio empolgado como o último capítulo de uma novela (que por sinal nunca vi) o relato o show. Estou no camarim com vc e acho graça desse pejo caipira de se trocar na frente dos outros. Lembro dos camarins com todo mundo pelado, companhia de dança e músicos tudo misturado e a gente fingindo que era tudo natural e adorando ver a peludinha das meninas. Estou na platéia sacando cada coisa, cada clima que acontece no palco, teu rateio, a tchurma consertando, vc tirando de letra, e todos adorando, porque é impossível não adorar você. É impossível não adorar quem é tão honesta e verdadeira. Quase chorei junto com você. Aliás, chorei. Você é pura saltimbanca, no sentido mais lindo, mais lato do termo. Faz juz a todos os artistas verdadeiros que te sucederam naquele palco, e que realmente estavam lá. Nesse e nos palcos da vida. E palco de teatro é isso mesmo. Espaço mágico, onde os orixás da música se quiserem descem. Todo faxineiro de teatro convive com assombração.
A energia está, estala, crepita e vive, nos palcos onde gente como você passeia sua arte, sua vida imprescindível.

Zéfiro, gatão escaldado disse...

Antes que eu seja atacado por uma legião de feministas com TPM e objetos cortantes, esclareço:
Minha cachorra anda de quatro não em alguns momentos eróticos, mas o dia todo. É uma pastora alemã super gracinha. Sabe tudo, só falta atender o telefone.

Tatiana disse...

Zéfiro,
Assim você me faz chorar de novo.
Metade de mim sou eu e a outra metade é meleca!

Alan disse...

Parabéns Tatiana e e Sonekka.
Adorei o relato, fiquei emocionado. Torci por vocês daqui do outro lado do Atlântico. E, pelos comentários babados que tenho lido pelaí, tenho certeza de que foi um sucessaço.
Vou guardar o convite que recebi pelo correio para leiloar no eBay daqui a alguns anos, quando vocês forem (ainda mais!) famosos.
Beijos

Tatiana disse...

Alan,
Obrigadaça!

Tatiana disse...


Puxa vida, obrigada a você!!!!

Monika disse...

Tati, querida este "Cabaré" arrazou "Corações", lavou a alma e me fêz acreditar na musica ainda mais, a "nossa" musica, você e Sonekka em harmonia perfeita, improvisamento na medida, choro na hora certa (porra até isso)tudo otimo e sabe até fiquei meia que bêbada de "Martini" pode isso..pode pois vcs fizeram a vida valer a pena... Vamos fazer outro, outros, outros e quero estar em todos e em tudo e cum tudo...Ugo vc é fera...amo vcs Monika