quinta-feira, 17 de maio de 2007

homens...bah

Aí o pau começou. O garçom berrava:
-Tá me tirando?
E grudou no pescoço do cara que estava sozinho.
O cara falou não sei que lá, o garçom nem quis saber, meteu uns três socos de baixo para cima, ao mesmo tempo que dava uma gravata no cara. O segurança de três metros de altura, fazendo aquela cara de nem to vendo, a final, quem batia era o garçom. Cínico aquele segurança.
Em segundos, todos os garçons, o chapeiro, os atendentes do balcão estava em volta do cara, descendo a porrada. Igualzinha briga que cachorro. Os meus aqui em casa brigam assim: um encara e os outros nem querem saber, mordem!

Parece que o cara quis dar balão no bar, sair de fininho sem pagar a conta e ainda embolsando a grana que o resto da turma tinha deixado para ele pagar. O garçom, puta velha, nem quis saber. Magrelo, mas envocado. Desceu o cacete. Os parceiros de trabalho, colaram junto.

Mulher não é assim. Sempre pergunta:
-Mas o que foi? O que tá acontecendo?

E quer saber dos detalher sórditos. Todos.
Imagina se as mulheres fosses briguentas dessa forma?

A mulher tá lá e vê a amiga morrendo de chorar, berrando com alguém. Não quer nem saber o que foi. Já chega metendo o rímel no olho dessa tal alguém, uma bolsada, tipo voadora pegando na nuca, um arranhão em diagonal que corta do olho direito até o ombro esquerdo, o alguém cai no chão, a mulher pula em cima e fura ele todinho com o salto agulha e depois ainda belisca ele todinho com pinça.
Depois pergunta:
- O que foi?
A amiga, fungando muito e descabelada porque ela também desceu o sarrafo no tal alguém.
- Eu que te pergunto. O que te deu de bater no cara desse jeito? Eu bati por cima porque , sabe como é, se uma amiga bate, eu bato junto para ajudar também. Eu só tava contando para ele que ninguém entende uma mulher com TPM, que a gente precisa chorar, precisa berrar com alguém e NINGUÉM neste mundo, nesta merda de mundo, nesta porra de mundo, entende.
-É. Esse aí eu acho que entendeu.

Ou então.
-Meninas, fulano me traiu!
- O QUE???
Sai aquela turminha de umas seis, sete mulheres. Acha o cabra. Pega o cabra. Segura o cabra. Todas batem, batem até o homem ficar em carne-viva. Depilam ele todinho. Escrevem de baton na testa dele bem grande BOBÃO e pintam seu cabelo de acaju.

Ou ainda.
-Aquela tá olhando meu namorado de uma forma que eu não gostei.
Sete pares d eolhos fulminam aquela zinha.
No outro dia sai no jornal.
MULHER ESQUARTEJADA NO BANHEIRO DO CITY BAR AINDA SEM RECONHECIMENTO. OS OLHOS AINDA NÃO FORAM ENCONTRADOS. ACREDITA-SE QUE HAJA ENVOLVIMENTO DO COMANDO VERMELHO, TAMANHA CRUELDADE DOS ATOS. COGITA-SE SER UM RITUAL MACABRO DE MAGIA NEGRA PELO FATO DE TER SIDO ENCONTRADO ESCRITO, DE BATON, NA PAREDE DO BANHEIRO :
GALINHA DE CU É ROLA, MINHA FILHA. CHUTA QUE É MACUMBA!

O mundo seria terrível se as mulheres resolvessem suas diferenças assim.
Na mão.
Mas os homens são bélicos, né?
Precisam disso para se sentirem viris e fortes.
Bobos.
Isso sim. Bobos.

6 comentários:

Anônimo disse...

O futuro da humanidade só encontrará alguma paz se o mundo passar a ser governado somente por mulheres!!! Haha! Virei feminista!
beijo.
Má F.

Anônimo disse...

Pô! Eu cheguei, passei, quase não senti tua presença.
Quando fui ali, em busca de um motivo pra prosa, pedir numa frase canhestra uma fagulha qualquer pra acender um cigarro bobo que eu quase não fumo, o lay out já era outro: sumiu pra dentro.
A moite era de de riso, descontração em nome da música.
Piorou quando acabou, aí sumiu do cenário. Nem o bis? Não. Tchau. Bom, fica pra próxima, né? Beijo.
Muitos saraus virão.

Anônimo disse...

Concordo!
Ávida H.

Vivien disse...

tem que bater no desgraçado e pintar o cabelo dele de acaju...ahhahah.....eu gostei dessa alternativa.
Ainda bem que somos não-belicosas.;0)

Mani disse...

A mais pura verdade. Excesso de testosterona, é como chamo esses arroubos masculinos!!!

claudia lyra disse...

Huahauhauhauhau... amei!!! Até robei um pedaço e puz no meu blog! Huahauhauhauha...