terça-feira, 3 de abril de 2007

Uma hora de caminhada na lagoa.
Com tanto atleta feliz, suado, semi-nu correndo em minha frente mantenho um ritmo invejável.
Pego a Cirandeira e vamos fazer uma aula de yoga ashtanga. O que é isso? Uma linha de yoga que faz sequências fortes, a união de respiração e posturas que não param. A sala fica fechada para estimular a sudorese mesmo e proporcionar uma profunda purificação.
Eu posso estar toda purificadinha, mas que meus braços doem pra cacete, minha bunda tá de um jeito de dar pena e minhas pernas gemem em qualquer movimento brusco, ah, isso tá.
E ainda dizem que yoga é coisa de mariquinha.
Tá bom!
Eu tinha decidido que iria tomar uma cervejinha depois disso tudo.
Até parece. Mal conseguia levantar o braço. Cheguei em casa, tomei um banho e desabei na cama como mogno cortado na raiz.
Acordei hoje e sinto que tenho músculos que eu nunca imaginei que tivesse.
Alonguei lugares que nem sabia que tinha.
Devo estar uns dez centímetros mais alta.
Uns vinte quilos mais magra, ou mais desidratada, não sei.
Mas to me sentindo uma atleta.
Agora só falta largar de vez o cigarro.
Aí eu faço um curso de professora de yoga e vou passar o resto dos meus dias comendo carne de soja, meditando e ajudando o mundo a ser mais saudável.
Taí. Esse é um futuro provável.Gostei.

5 comentários:

Juliana Marchioretto disse...

bom futuro, hein!
mas precisa ter a coragem que eu não tenho... hehe

bjo

Ana Paula disse...

dou o maior apoio! é a sua cara :)
qquer hora faço meu super molho à bolonhesa com proteína de soja pra vc experimentar..rs...
beijo!

Vivien disse...

dez centímetros mais alta e vinte quilos mais magra...me conta que eu faço isso, me entorto toda na yoga se esse for o resultadoooooo!!!!beijos.

Marina Franco disse...

Não, pelo amor de deeeeeeus...
haha.
beijo.

claudia lyra disse...

Aff... mas carne de soja ninguém merece!