segunda-feira, 30 de abril de 2007

Momento desabafo

Muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo.
O mês de abril foi cheio de apresentações, o começo de uma campanha no Vera Cruz que fez que o trabalho aumentasse, ensaios para a apresentação no Crown Plaza, várias idas a São Paulo, época de recuperação paralela na escola.
E eu correndo de um lado para o outro, como uma maluca.
Aí eu penso que no fim das contas, eu acabo não fazendo na da direito.
Não faço um almoço decente a séculos.
Não arrumo a casa impecavelmente a milênios.
Não consigo acompanhar os estudo do moleque.
Não decoro aquelas letras que eu preciso decorar para o show.
Não tenho tempo para ver ou dar o mínimo de atenção qualquer pessoa que não esteja diretamente relacionada ao meu trabalho.
Ou seja, acabo não fazendo nada direito.
Não sou uma mãe perfeita, uma dona d ecasa perfeita, uma musicista perfeita, uma vendedora perfeita, uma mulher perfeita.
Eu também sei que ser perfeita é meio que impossível, mas alguma coisa perfeitamente em ordem seria muito bom para minha alma.
Estou sem namorado, namorado mesmo, com carteirinha de namorado e privilégios de namorado há tempos. Quem 'guenta uma vida dessas? Que homem consegue namorar uma mulher que tem TODOS as sextas, sábados comprometidos com trabalho? Tenho algumas segundas à noite livres. Algumas terças também. Mas tenho ensaios, tenho que dar atenção ao filhote, aos amigos, cuidar de minha casa, preciso de meu solitário momento de criação. Que homem é esse que vai aquentar eu passar mais tempo com músico do que com ele? Tem que ser um homem muito do porreta, muito do seguro, muito do compreensivo, muito pouco ciumento e muito pouco exigente.
Se continuar assim, terei que comprar um boneco inflável. Batizarei de " Ambrósio", o compreensivo.

Tudo tem um preço nessa vida. E eu to pagando o meu.

Carta ao meu futuro namorado

Amado meu,

Saiba que sou mulher de um homem só. Quando escolho um homem como parceiro, esse homem é o único, com exclusividade total. Garantia de fidelidade máxima.
Não se incomode com os gaviões que povoam a noite, os garanhões de plantão. Eu sei lidar com eles, saio de situações de risco com rapidez e eficiência. Não fique preocupado com isso não. Lembra? Sou de um homem só.
Mas não posso garantir muito tempo junto, mas quando estivermos realmente juntos, só nós dois, é dedicação total. Assino até um documento, se for necessário.
Gosta de cachorros fedorentos? E de gatos meio desequilibrados? É...vai ter que gostar um pouco.
E de crianças? Gosta de crianças alheias? Meu filho não precisa de pai, já tem um super pai legal, não se preocupe em ocupar outro lugar que não seja o de ser meu companheiro, mas você vai precisar lidar com meus filhos. São ótimos, fique tranqüilo. Mas é necessário que você entenda que eles são os meus amores mais importantes. São mais importantes que você. Duro ouvir isso, eu sei, mas são mesmo. Não posso abrir mão de filho por causa de romance. Mas aprendi a me dividir de uma forma bem razoável. Você vai ver.
A casa aqui é bem divertida. Não existem brigas, nem gritos, nem xingamentos. Mas acontecem muitas visitas. Você vai conhecer gente bem diferente, gente que você pode adorar ou detestar. Não precisa amar meus amigos, como eu amo. Mas é importante que você respeite eles. Alguns amigos passaram coisas comigo que até Deus duvida. E esses amigos fazem a função de minha família, então invadem minha casa, sentam na minha cama, abrem minha geladeira, choram em meus ombros. E eu preciso tanto deles! Sem eles eu fico assim, meio que capenga. Entenda isso, tá?
Amado meu, eu escolhi ser artista. É meio difícil essa vida. Eu nem sempre tenho dinheiro, ou seja, não posso desmarcar uma apresentação para ir no aniversário de tua avó, ou no casamento de teu primo, ou nas bodas de prata de seus pais. Eu preciso ganhar meu sustento e nem sempre posso largar o trabalho para ter uma vida social normal. Isso é um tantinho chato. Você vai se sentir meio que abandonado, mas não tenho como mudar isso. Mais uma coisa para entender.
Olhe, eu ando com muitos homens. O meio musical é cheio de homens e, às vezes, eu sou a única mulher no meio de um monte de barbado. Mas não se incomode com isso não. Tem uns que me chamam até de " mano", de " cara", de " brou". Esquecem que eu sou mulher. Alguns não esquecem não, mas são poucos. Posso dizer que alguns desses músicos estão no patamar de meus melhores amigos, irmãos mesmo. Fique com ciúme não. O que eu tenho com eles é diferente do que eu terei com você. Não existe comparação entre a cumplicidade que a música dá e a cumplicidade que um casal tem. E eu preciso dessas duas cumplicidades para ser feliz.
Olhe, eu não sou uma mulher ciumenta. Pode sair, pode farrear. Não tenho moral para pedir que fique em casa me esperando, um ermitão está fora de cogitação. Mas não pise na bola comigo não, porque o meio musical é fofoqueiro para caralho e eu acabo sabendo que você me sacaneou e como dou exclusividade total, exijo isso. Não tenho a capacidade de perdoar traição. Sou um vaso colado com durex. Qualquer coisa me desmonta e eu não tenho a coragem necessária para relevar uma coisa dessa. E eu não esqueço. Infelizmente.
Os homens do meu passado morreram todos. Matei um a um. Não se preocupe com aquele ex, ele está fora do baralho, detesto tomar café requentado. Meu passado passou de verdade. Isso não deve te preocupar.
Algumas pessoas vão te dizer algumas barbaridades que eu fiz. O povo adora contar meus podres. Sim, eu fiz algumas coisas terríveis. Briguei com homens, me meti em confusões, fiz piada em hora errada, alguns micos são memoráveis. Sou cheia de histórias engraçadas e chocantes. E ainda devo fazer algumas dessas coisas. Não vou conseguir mudar isso.
Olhe, eu sou bocuda. Falo coisas terríveis, assim, na lata. Tem que ter um couro bom e grosso para conviver comigo. Mas eu também sei ser doce quando chega a hora da docura. Não sou dada a afagos públicos, alisamentos explícitos. Eu sou daquelas que só se revelam na mais absoluta intimidade. E aí eu posso te surpreender.
Eu te ofereço, em troca dessas coisas todas, somente a mim. Farei lindas canções de amor, serás meu muso, meu inspirador. Te ofereço as melhores madrugadas. Te ofereço a certeza que eu estarei do teu lado, mesmo quando estou longe. Te ofereço a certeza que eu te quero e só quero você. Te ofereço colheita de jabuticaba no pé, em uma noite de lua cheia. Te ofereço brigadeiro na panela, para depois do amor. Te ofereço risadas transloucadas por mínimas bobeiras. Te ofereço minha força. Meu colo é teu, se precisar chorar. Eu brigo com você, ao seu lado, se me chamar. Abro as portas de minha casa, de minha vida, abraço os teus também.
Não é muita coisa que eu posso te oferecer. Mas o que eu posso te dar, eu dou mesmo, de coração aberto, de verdade.
E quando estiver longe de mim, eu te dou a saudade mais doce, a mais perfeita saudade que uma mulher pode dar e te espero, o tempo que for.

Com amor,
Tatiana

24 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

Poxa... Lindo isso...

Antônio disse...

Eu acho que você precisa de um homem da tua área, um músico também.
Só músico entenderá essa situação porque vive os mesmos dilemas e sofre as mesmas dores.
Pense nisso.

Adriana disse...

Valente Guerreira...lindissima forma de expressar a sua pessoa...ja o encontrará...tenha certeza disso...
Beijinhos carinhosos cheios de energia positiva para ti do outro lado do oceano

Perla disse...

Minina, tomara que o destinatário da tua carta passe por aqui e leia esta carta que tu fizeste pra ele... Vai te procurar na hora!
Abraço

Anônimo disse...

Acho que todo músico ou musicista deveria falar isso para os respectivos!
Ai se o meu amor...tivesse me dito isso!

Anônimo disse...

Eu namoraria fácil com você.
Infelizmente, você não gosta de moças.

Anônimo disse...

Eu também, cara anônima.
Eu também namoraria com ela. Aproveitaria as sus cantorias e iria assistir os jogos com amigos, ia em puteiro dar uma olhada na galera, ia aproveitar a vida e saber que quando voltasse , teria uma bela mulher me esperando.Ficaria gordo e barrigudo de tanto brigadeiro.
Só acho meio difícil não se incomodar com os gaviões em sua volta. Você pode ser fiel, mas os homens não são nem um pouco confiáveis.
Porque se eu te encontrasse em algum lugar, não iria me incomodar se você tem ou não namorado. Ia dar em cima de qualquer jeito. Quem sabe larga ele? quem sabe dá uma escorregada?
Quem sabe?
E se rolar, eu to ali, cheio de amor pra dar!

Anônimo disse...

Meio
Do Ambrósio

Ronaldo Faria disse...

Como o Bruno disse, lindo. Lindo... Quisera alguém assim. De quem pouco agora posta, mas te gosta, Ronaldo Faria.
Cuide-se!

Artur disse...

O teu "contrato amoroso" exige um perfil masculino talvez raro. Convenhamos, infelizmente o mercado masculino não está lá essas coisas, pelo menos aqui em Cabedelo.

Fazendo algumas fantasias e abstraindo circunstâncias e impossibilidades; bem... heh... eu tentaria, claro. A dignidade de tentar. Tudo indica, você é sensível à razão (hehe...). Haveria muita conversa - pra dedéu. Não seria fácil; porém, se desse certo, valeria a pena todas as discussões e os arranjos.

Uma discussão delicada: você identifica lealdade à fidelidade - há situações bem peculiares na vida amorosa, nas quais os dois termos não são, necessariamente, sinônimos (forçar a identificação pode levar o casal a breca). O mais importante, na minha opinião, é garantir, antes de qualquer coisa, o espaço (amoroso) de discussão. Contudo, reconheço que isso não garante a priori a manutenção da relação.

bjs

Fernando disse...

Artur
Que bicho mordeu você?!?...

Anônimo disse...

Concordo com Artur.
E acrescento:
Os músicos têm a tendência de buscar pessoas compreensivas e que os entendam....(acho válido...no fundo todos somos assim)
Mas até que ponto vocês entendem as necessidades dos amores...e fazem com que se sintam amados e seguros...
As palavras são fáceis de serem ditas....o som que sai do violão mais os olhares aquecem o coração...mas e as atitudes..as verdadeiras atitudes que um relacionamento precisa?
Será que vocês realmente têm tempo e vontade de nos ouvir?
Ou...Será que realmente quando somos compreensivos e parceiros vocês conseguem ver?
Vale a pena pensar nos dois lados e juntos compor uma única letra e um único som!
Bjão

Tatiana Rocha disse...

Arthur,
é verdade. preciso de um homem de perfil raro.
mas eu também não sou uma mulher vulgar.
pode dar certo.
a porra é encontrar!

Tatiana disse...

Anônimo,
Músicos amam e sofrem como qualquer um.
Às vezes, quem é objeto do nosso amor, não vale um tostã furado, porque nós, músicos também nos equivocamos e fazemos escolhar erradas.
Não é fácil deixar de acompanhar o amado para fazer um trampo chato pra dedéu, porque chega um dia que bar, música, cachaça, balada cansa e enche o saco. Mas é esse o trabalho, então vamos lá.
Eu daria tudo para poder ter uma sexta à noite deitada na minha cama assistindo um filminho, entodilhada com ele, o bem amado. Ou um fim de semana todonho sem fazer nada, viajando. Adoraria. Mas não posso.
Não ficamos na gandaia. É trabalho. É honrado. E é foda!
Para ser companheiro ou companheira de uma pessoa assim tem que ser especial mesmo. Não é qualquer um que segura a bomba.
Eu fui casada anos com um médico e foi meu melhor casamento. Ele corria e eu também. Ele me entendia e eu também. Eu não cobrava e ele não me cobrava. Deu certo porque eu sabia como é difícil ser mulher de médico e ele sabia os perrengues que era ser marido de musicista. é o pacote.
Se não aguenta, nem se meta.
Arranje um publicitário, um advogado, um bancário. Fuja dos artistas.

Anônimo disse...

Eu já acho que amor não escolhe profissão.
Quando se ama, se ama de qualquer jeito. Tudo dá certo.
Pode ser que eu seja uma romântica.

Tatiana disse...

Sim...Dona Anônima
Você é uma romântica e é tão bom ver que existem românticos por aí.

Coroa charmoso disse...

Muito sugestivo, muito tentador. Muito bom!!!
Como disse um dos inúmeros anônimos
se vc me desse êsse prazer eu aceitaria
essa engorda, mas eu juro que não seria um marido porco, rarará!

Zéfiro Ambrosiano, O Inflável disse...

Tatiana, sou a últma geração de bonecos infláveis da série "Blade Runner".
Estou disponível nos tamanhos P(restinho de caçula), M (sapato 40), G (sem miséria) e GG (seleção de volei).
Posso ser levado para os bares e aplaudo nos níveis Aplauso Educado,
Caloroso ou Fã Enlouquecido.
Bebo moderadamente sem papelões, brigas, incoveniências ou vomitórios. Dou um pega socialmente.
Não olho a bunda ou os atributos superiores de suas amigas com volúpia nem sou engraçado e atencioso com elas. Faço a linha Educado Massa Fria.
Ajudo seus filhos nas matérias escolares mais pentelhas e acho graça nas suas histórias adolecentes.
Atendo telefonemas mesmo durante o futebol e anoto recados.
Nunca reclamo de sua mãe ou de seus amigos mais folgados.
Dou banho em cães e gatos com paciência e carinho.
Cozinho massas e abro os vinhos que sei escolher.
Saio na chuva para comprar aquele lance que você esqueceu de trazer do supermercado.
Aliás não reclamo de ir fazer compras em Shóppings no sábado à tarde.
Na cama trabalho em vários níveis:
Caseiro (de ladinho antes de dormir).
Rapidinha (rápida e intensa e revigorante antes do trabalho ou de atividades pentelhas)
Namorado Novo: vapt-vupt,durante
horas. A vulgar "Surra de pica".
Criativo: todas as taras catalogadas pelos relatórios Kinseys da vida. Acompanha um kit de acessórios vibráveis ou não.
Voz com regulagem BBC, galã de novela, matcho man ou Porra, que voz é essa?
Não sou encontrável nas melhores lojas do ramo.
Encomendas por e.mail ou blogs como esse.
Só para Raros, Só para Loucos, Só para Poucos e Poucas.
Venho também na versão Bi-
Sexual.
A linha Gay encontra-se esgotada.
Aceita-se pagamento nas formas mais inusitadas.
Oferta por tempo limitado.
P.S Já venho com plano de saúde para o casal extensivo a filhos, cães gatos e passarinhos.

Zéfiro Allen disse...

Da série:
Ah, se vida fosse assim!!!

Tatiana disse...

HAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHHAHAAH
Zéfiro,
Meu medo é que eu gosto muito de costurar. Vivo com agulhas na mão. Posso te matar, fazendo aquele furinho assassino. Eu não suportaria te ver saindo voando pela janela e eu ficaria correndo atrás, aos berros, desesperada.
Mas, pelo sim, pelo não...anotarei tudinho e caso minha procura seja em vão...
A gente nunca sabe, né?

Tatiana disse...

Um adendo..
Voz " Porra, que voz é essa?"
hahahahahhahahahahahhaha
Imaginei a voz falando "ai love iú" bem fininho, bem agudinho...um horror!
hahahhahahahahahahahahhaahahahah
Tipo voz de anão!!!
hahahhahahahhahahahahaha

Anônimo disse...

Mulher,
Depois que te vi, ontem, linda, divina, gostosona, no palco, eu quero namorar você.
Eu banco!

Danny Reis disse...

Uau! Essa carta poderia ter sido escrita por mim! Com alguns remendos aqui e ali, claro... rs
Mas texto bom é assim, né? A gente se identifica tanto que se acha quase co-autor! :)
Amei!
Beijos.

Anônimo disse...

Adorei este texto. Adorei porque gostaria de ouvir isso de uma mulher. Eu também sou músico e bem sei como é difícil administrar uma relação.