domingo, 1 de abril de 2007

Maratona de findi

Sexta:
Uma jam de primeira linha. Taïs Reganelli cantando e tocando flauta e cajon. Henrique Torres solando seu violão ( em plena recuperação depois da cirurgia do braço) e ainda batucando no cajon, Ricardo Cury no baixo descabelando como sempre, eu no violão e cantando, Ugo ao meu lado arrasando nos Guinga que estamos mergulhados. É um luxo tocar Guinga. A maioria não entende nada, as letras de Aldir Branc são fuderosas e as harmonas são uma coisa também, mas quem conhece sabe o que está acontecendo e aprova. Juliano Luccas, o ator mais percussionista que eu conheço, descendo a mão no cajon. Mais um puta músico aparece, Bruno Mangueira. Outra cantora maravilhosa chega e cantamos juntas, eu , Taïs e Adriana Davi.
Um luxo total. Uma sonzeira maravilhosa.
Saio do bar morta de fome e acabo a noite rindo de me acabar dos acontecimentos, devorando um sanduiche imenso.
Exausta.
Feliz.
Um sorrizão imenso na cara e uma madrugada de causar inveja.

Sábado:
Acordo as oito. Parecia que um imenso chiclete me mantinha grudada na cama. Vesti minha roupinha de ZéCutiva e lá fui eu fazer uma visita. Minhas pálpebras descem lentamente quando paro no sinal. Mercado. Almoço. E quem chega?
Meus queridos, o Mago dos traços, meu amigo tatuador maravilhoso e sua esposa, minha amiga do coração.
Uma farra total.
Minha casa transformou-se em um ponto de encontro. Música, cerveja, maquininhas de tatuagem, provas de desenho pela cozinha, um bando de gente falando ao mesmo tempo, uma mulheril sem fim, consegui reunir grandes amigas de uma única vez, aquela alegria do reencontro, duas tatuagens foram feitas em meu quintal. Lindas! Lindas e lindas!
A noite chega quente e a lua redonda balançando no céu. Meu pé de jabuticaba fornecendo diversão especial. Engraçado ver tanta gente subindo em cadeira para pegar aquela frutinho lá do alto. Delícia mais uma evz.
Tive que abandonar tudo isso e ir trabalhar. Toco louca para voltar para casa, pegar os amigos e continuar a balada.
Fomos todos tomar a última no único bar chique-bagaceira de Campinas. O City Bar.
Fomos expulsos. Vem a caravana para minha casa. Mais música, mais violão, lanchinhos, docinhos, gargalhadas, mais Guinga ( tá virando mania mesmo), três da manhã, piadas que não tem fim, cinco da manhã, histórias e mais histórias, eu quase choro vendo os meninos tocando ali. Bruno, meu percussa, canta comigo e eu me dou conta de quanta saudade sinto dele. Ugo não larga o violão por nada, tá tão feliz que dá gosto ver. Fazia tempo que nós três não tocávamos juntos. Uma felicidade diferente. Fazer música junto requer uma intimidade que não existe em nenhuma outra relação. São as trocas de olhares mais íntimas, mais cúmplices, frases inteiras sem dizer uma única palavra. Estamos juntos de um jeito que ninguém mais pode ficar. Isso me emociona mais uma vez. Pareço o Tim Maia, a falta de sono de faz perder a voz. Rouca, rouca, rouca. Seis da manhã!!
Finalmente, o merecido descanso.
Dormi sorrindo.

Domingo:
Acordo tarde e um silêncio respeitoso paira. Sou a última a levantar. Café pronto, sol brilhante, começamos outra vez.
Minha cozinha é o coração do mundo. Todo mundo ali em volta. So falta o Bruno, ô meu querido, faltava você aqui.Morena fez um pudim de lamber os beiços. Mais cerveja. Mais conversa. Todo mundo outra vez junto.
Cachorros passeando, gato maluco correndo de um lado para o outro, filho fazendo graça, eu rindo orgulhosa de suas bobagens herdadas, fogão perfumando a casa toda, almoço saindo tarde, café fresco, soneca merecida depois do almoço.
Um fim de semana maravilhoso.
Eu feliz demais por ter gente que eu gosto tanto perto de mim.
Tá combinado. Daqui a pouco estão comigo mais uma vez e eu faço questão de repetir a dose.
Já já vou a São Paulo também, tá prometido. Vou tocar e ainda vou retribuir a visita.
Amei cada instante.
Amanhã a vida volta à velha rotina e eu estou pronta para arregaçar as mangas.
Feliz.
Tive tudo que uma mulher precisa para ser feliz neste fim de semana e isso, ah, isso não tem preço.

15 comentários:

Renata disse...

Na próxima sessão de tatuagem você me chama?
E toca violão para mim? Assim eu tomo coragem e faço mesmo.
Desta vez eu amarelei geral.
Beijos

Bruno Ribeiro disse...

Por acaso esse Bruno que deveria ter estado na sua casa sou eu? ;-)

Se não for, já estou dizendo que concordo. Mas também, como vou saber que essas coisas estão rolando? Sou sempre o último a saber! E depois que já aconteceu!

Mas deixa estar, deixa estar...rs

De toda maneira eu não poderia ter ido dessa vez, estava em São Paulo, de onde cheguei há pouco.

Beijão!

Anônimo disse...

Tudo???
hummmmmmmmmmmm
Massa!
Beijos, minha querida!

Cristiano disse...

ai ai

que vontade de estar por essas bandas, bandeando por aí as canções daqui e de ti e de todos...

Clélia Riquino disse...

Coisa boa, Tati... Um post alto astral!!!

Já lhe mostrei esta canção do Tatit? Ao contrário do que a letra diz, você tinha razões de sobra pra estar feliz! (rimou, sem querer)

Mas acho que é, mesmo, assim... A gente sempre sabe porque está triste, mas, nem sempre, porque está feliz, né não?

Felicidade
Luiz Tatit


Não sei porque eu tô tão feliz
Não há motivo algum pra ter tanta felicidade
Não sei o que foi que eu fiz
Se eu fui perdendo o senso de realidade
Um sentimento indefinido
Foi me tomando ao cair da tarde
Infelizmente era felicidade
Claro que é muito gostoso
Claro que eu não acredito
Felicidade assim sem mais nem menos é muito esquisito

Não sei porque eu tô tão feliz
Preciso refletir um pouco e sair do barato
Não posso continuar assim feliz
Como se fosse um sentimento inato
Sem ter o menor motivo
Sem uma razão de fato
Ser feliz assim é meio chato
E as coisas nem vão muito bem
Perdi o dinheiro que eu tinha guardado
E pra completar depois disso
Eu fui despedido e estou desempregado
Amor que sempre foi meu forte
Não tenho tido muita sorte
Estou sozinho, sem saída, sem dinheiro e sem comida
E feliz da vida

Não sei porque eu tô tão feliz
Vai ver que é pra esconder no fundo uma infelicidade
Pensei que fosse por aí, fiz todas terapias que tem na cidade
A conclusão veio depressa e sem nenhuma novidade
O meu problema era felicidade
Não fiquei desesperado, não, fui até bem razoável
Felicidade quando é no começo ainda é controlável

Não sei o que foi que eu fiz
Pra merecer estar radiante de felicidade
Mais fácil ver o que não fiz
Fiz muito pouca aqui pra minha idade
Não me dediquei a nada
Tudo eu fiz pela metade, porque então tanta felicidade
E dizem que eu só penso em mim, que sou muito centrado
Que eu sou egoísta
Tem gente que põe meus defeitos em ordem alfabética
E faz uma lista
Por isso não se justifica tanto privilégio de felicidade
Independente dos deslizes dentre todos os felizes
Sou o mais feliz

Não sei porque eu tô tão feliz
E já nem sei se é necessário ter um bom motivo
A busca de uma razão me deu dor de cabeça, acabou comigo
Enfim, eu já tentei de tudo, enfim eu quis ser conseqüente
Mas desisti, vou ser feliz pra sempre
Peço a todos com licença, vamos liberar o pedaço
Felicidade assim desse tamanho
Só com muito espaço

Clélia Riquino disse...

Bruno,

Estou certa de que a Tatiana estava se referindo a você, sim... (foi esta, ao menos, a minha leitura)

Clélia Riquino disse...

Lembrei-me do Gil:

Aqui e Agora
Gilberto Gil


O melhor lugar do mundo é aqui e agora
O melhor lugar do mundo é aqui e agora

Aqui, onde indefinido, agora, que é quase quando
Quando ser leve ou pesado deixa de fazer sentido
Aqui, onde o olho mira, agora, que o ouvido escuta
O tempo, que a voz não fala, mas que o coração tributa

O melhor lugar do mundo é aqui e agora
O melhor lugar do mundo é aqui e agora

Aqui, onde a cor é clara, agora, que é tudo escuro
Viver em Guadalajara dentro de um figo maduro
Aqui, longe, em Nova Deli, agora, sete, oito ou nove
Sentir é questão de pele, amor é tudo que move

O melhor lugar do mundo é aqui e agora
O melhor lugar do mundo é aqui e agora

Aqui perto passa um rio, agora eu vi um lagarto
Morrer deve ser tão frio quanto na hora do parto
Aqui, fora de perigo, agora, dentro de instantes
Depois de tudo que eu digo, muito embora, muito antes

O melhor lugar do mundo é aqui e agora
O melhor lugar do mundo é aqui e agora

Adriana disse...

Valente Guerreira, o alto astral rolou geral esse final de semana...que coisa boa...filhos,amigos, cerveja, boa comida, casa...violao...tua voz e uma mistura de ingredientes maravilhoso para um otimo final de semana...
Que venham muitos mais...

Um beijo carinhosos do outro lado do oceano

Anônimo disse...

Eu estava invisível no cajon????
Beijocas

JU

Vivien disse...

vamos marcar com o tatuador porque já escolhi a tatoo.;0)

sonekka disse...

Ah não! vc também caiu no conto do Guinga?
PErdemos mais uma mente sã

Ana Paula disse...

foi tudo perfeito e eu quase morri de rir, de comer, de beber... de comer jaboticaba...ahahahahahahaha.. falando nisso... vc tem uma cadeira mais alta?

Taïs disse...

nem pra convidar...

Morena disse...

Amei querida, amei.

mau disse...

_II_