quarta-feira, 7 de fevereiro de 2007

Meu filho passou no vestibular USP e na Unesp.
Um orgulho imenso dele, recebi até alguns parabéns sobre isso, como se eu tivesse algum mérito. Não tenho. O esforço foi dele, a dedicação, o esforço. Ele merece.
Fiquei inchada de orgulho, toda feliz.
Hoje, um dia depois do resultado, ainda me sinto assim, toda toda, meu bebê cresceu e está dando grandes passos. Bom isso.
Durante o ensaio, anuncio a novidade, mais parabéns, aquela cara de fingida modéstia, eu entre o violão e o fogão, fazendo almoço para meus meninos e para o eterno músico esfomeado.
Tenho que pegar Matheus na escola.
Lucas, o quase universitário, de brincadeira, entra no carro e diz: deixa que eu pego. Eu olhando da janela, rindo e falando, da próxima vez que você vier eu te ensino a dirigir.
Frummmmmmmm.
Cadê Lucas?
Cadê o carro?
A besta estúpida do meu filho, ligou o carro e como é uma anta, uma filho de uma égua ( ops), um idiota completo, em vez de apertar o pedal do freio, acelerou!
O cretino acelerou o carro que foi dar direto na minúscula árvore que tem na frente de meu muro!
Saímos correndo, eu e o músico esfomeado, putaquepariu, fudeu de vez.
Quando chegamos no portão, vimos a besta pálida, saindo do carro, a pobre da árvorezinha enganchada no pneu de meu carro, um amassado na lateral.
- Meu, se você não sabe dirigir porque entrou no carro e ligou o motor?- pergunta o sábio músico esfomeado.
Não quis nem saber. Tasquei um monte de tapas, daqueles ardidos, de mão aberta, com toda força nas costas desse energúmeno que Deus colocou como meu filho.
Só que eu, nervosa que estava, brigava e ria ao mesmo tempo. Ele, coitado, apanhando e rindo também. As costas em um lindo tom róseo-tapão- de-mãe. Foram vinte e dois centímetros de mãos marcadas, várias vezes, em sua pele. Sorte dele eu estar com músico na casa, senão eu acho que matava! Cheguei a tirar minha sandália de salto alto para dar na testa dele, mas desiti a tempo.
Vá lavar aquela louça toda, seu bobão.
E ele foi. Com aquela cara de cachorro que faz xixi no tapete. E ainda quebrou um copo! ELE QUEBROU UM COPO!!!!
Demais para um dia só.
E agora eu tenho um filho que vai para a universidade e um carro com a lateral amassada porque, certamente, entrar em uma universidade não garante inteligência, nem bom senso.
Metade de mim está feliz.
A outra quer arrancar o couro daquele idiota e obriga-lo a pagar o reparo.
Essa parte da genética não é minha! Não é minha!

PS- Aí quando eu ouço tô co fome, cadê o almoço?, eu quero matar o músico.
Tá esquentando no forno, cacete!
Virge, agora tá sobrando pra todo mundo - grita lá de dentro o caçula - bate no Lucas, bate mais no Lucas que você relaxa!

E pela primeira vez em minha vida, almoço tomando um cerveja Itaipava misturando com suco de maracujá.

9 comentários:

lucas, o estabanado disse...

Realmente eu não faço a menor idéia de onde veio esse lado estabanado...

De um parente distante... Isso mesmo

Tatiana disse...

Tenho uma revelação, meu filho.
Você foi adotado!
E eu vou achar esta família e te devolver. Ah, eu vou!

Vivien disse...

Parabéns, querida!!!olha só que boa notícia.;0)
Beijo pro Lucas, o estabanado.( d equem será que ele puxou isso????)

aDRIANA disse...

tATI, DE OS PARABENS PARA O PEQUENO GRANDE HOMEM ESTABANADO.

BEIJINHOS DO OUTRO LADO DO OCEANO

Ronaldo Faria disse...

Meu Lucas também passou: para a USP e para a Unicamp...
Êta safra boa desses Lucas do extinto Progresso...
Parabéns. Também estou orgulhoso do meu, com a vantagem que ele ainda vai para a auto-escola e não pega no carro da mãe.
Beijos. Cuide-se.
Ronaldo Faria

Clélia Riquino disse...

Que legal, Tati! Sei bem o que você sente... Cecília passou tb na USP & UNESP. Parabéns pra eles!!! Vitória conquistada com esforço... e a gente fica hiper feliz!
bjo,
Clé

Gi disse...

mtos risos! bjs.

Claudia Lyra disse...

Parabéns Lucas! Parabéns Tatiana, porque a gente que é mãe contribui, e muito, pra essas conquistas de nossos filhos. Afinal, onde eles estariam se a gente, de quando em vez, não desse uns tapas ardidos no meio da fuça deles? Hahahahahaha...
Ps - também tenho um Lucas... mas esse ainda está na 7ª série.

Clélia Riquino disse...

Hoje cedo, Cecília & eu fomos na USP fazer matrícula. No meio do caminho, lembrei do Lucas e pensei que poderíamos ter dado uma carona pra ele... bobeada!