quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

A saudade mata a gente, morena

Aiii, que saudade do meu filho, carambolas.
Que saudade de mandar ele tomar banho.
Saudade de mandar ele dormir, de comer logo, de comer tudo, inclusive os legumes.
Saudade de dizer larga esta coca-cola e come.
Saudade dele invadindo meu colchão e me enlaçando com aquelas pernas magricelas.
Saudade de ver ele conversando com o gato, como se o gato fosse um amigo que pudesse responder.
Saudade de ouvir suas gargalhadas enquanto assiste um programa na televisão.
Saudade de seu nariz de batata, igualzinho ao meu.
Saudade de seus comentários engraçadíssimos, se seu senso de humor afiado, de seu olhar agudo e profundo.
Saudade de meu picoruxo, caramba!

Eu, sem filho, fico sem farol, viro corsário á deriva, viro nau abandonada.
Meu bem, sua mãe é um navio pirata! Uma casa mal-assombrada, um cemitério maia. Eu me sinto o último dos dinossauros!
Cadê meu filhote???
Ai, que saudade que dói por dentro.

Volta, meu filhote, volta porque a mamãe já sambou demais, já bebeu demais, já farreou demais e, por incrível que pareça, é você que cuida de mim quando me obriga a cuidar de você.
Volta porque eu to comendo muito mal. Pra que cozinhar só pra mim?
Volta que eu faço aquela carne que você gosta, aquela que tem cenoura dentro. Humm, boa mesmo. Faço o brigadeiro, faço bolo de chocolate, suco de uva, de cajú, faço gelatina de morango batida com creme de leite e suco de laranja.
Volta porque eu to morrendo de saudade.
Eita férias longas essas.
To que não me aguento.
VOLTA!!!!!!!!!!!!!

5 comentários:

Gi disse...

Coisa linda de txt, faz tanto sentido teu sentimento. Não sei se serei mãe, mas aproveitando que ainda sou filha, vou rever a minha agenda! Beijos, Giselle

Laisinha disse...

aaaaah...
acho q vou sair d casa um pouquinho tbm...
vai q minha mãe fica com saudade e tbm diz q vai fazer essas coisas gostosas pra eu comer?!

hahahahahaha

Clélia Riquino disse...

Tati,

Lembra que outro dia te falei da canção Silêncio, de Fábio Tagliaferri & Luiz Tatit? Pois bem, vá no meu blog ouvi-la, com Mônica Salmaso. Linda!
bjo,
Clé

Clélia Riquino disse...

Tati,

Escrevi pra Vivien, num comentário do meu blog, e tem a ver com este teu post também:

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

Clarice Lispector
[extraído do livro Aprendendo a viver, Editora Rocco, 2004]

Claudia Lyra disse...

Esses meninos não tinham nada que descolar da gente... não mesmo! Humpf!!!