terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Quando meu telefone tocou, mesmo antes de atender, sabia que alguma coisa séria estava ali.
Aquela voz outra vez. Meu passado estava atrelado ao tom daquele alô.
Meu Deus, fazia tantos anos que eu nem me lembrava dele, nenhum contato, nada e, de repente, ouço sua voz de barítono sussurando seu nome.
Desliguei sem qualquer arrebatamento. Só uma surpresa.
Mas ficou mais viva uma época em que eu dormia em seus braços, ouvia sua voz no meu ouvido dizendo morena-pimenta-malagueta, que me fazia rir, gargalhar, chorar com suas histórias e que eu achava que nunca mais o esqueceria.
Caralho!
Não é que esqueci???
Que coisa isso.

3 comentários:

Claudia Lyra disse...

Uia! Esqueceu?!?!? Mas, vem cá, não entendi uma coisa: você desligou sem conversar com o dito?

Tatiana disse...

Conversei sim, aqueles papos de como vai, tudo bom , e aí a vida como anda, tá casada, tá fazendo o que, vamos marcar para nos ver.
Mas o incrível é que eu já fui doida por aquele homem.
E esqueci disso!

Vivien disse...

Ver de novo uma ex paixão é sempre algo engraçado. Li outro dia que Drummnd dizia que sempre sobrava algo de um amor, um residuo, que poderia ser "uma flor...ou um rato".
Pelo jeito, vc achou uma flor esquecida e isso é delicioso.