quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

Modernidades

Ok, sou uma mulher moderna com realidades da vida da mulher moderna.
Meus filhos são filhos de uma mulher moderna.
São modernos também.
Aí eu acordo hoje e digo para Talita, que trabalha aqui em casa:
-Nossa, vou acordar o filhote que hoje ele tem vestibular e não pode acordar tarde.
A moça me olha meio de lado e fala:
- Mas ele já acordou, já saiu e voltou com uma moça. Estão trancados lá no quarto.
-Moça?
-Sim.
-No quarto?
Me olhando com aquela expressão " prepare-se para ser vó"
-E faz é tempo, viu?
Aquela expressão " vó e ainda de trigêmeos".
Puta que me pariu!
A primeira moça em casa. Essa a gente não esquece!
Eu, pelo menos.

Aí eu pensei aqui com meus botões.
Vou fazer o quê?
O rapaz tá crescendo, tem lá suas querências, tá fazendo vestibular, precisa dar uma relaxadinha. Eu daria uma relaxadinha antes do vestibular. E a casa é dele também, é?
Se eu posso, por que ele não poderia? E o que que tem demais isso? Não berrando OH OH NÃO PARE NÃO PARE... OHHHHHHHHHHHH, IÉEEEEEEEEEE! Se for no silêncio, tudo bem. Porque eu sou moderna mas tenho ouvidos treinados. Se bem que eu to ouvidno, agora mesmo, uma musiquinha de fundo. O danado já aprendeu o truque da música tocando. Tá lá. Ouvindo música. Eu bem que sei. Já ouvi muita música nessa minha vida. Bem verdade que não na casa de minha mãe, mas eram outros tempos aqueles. A música que eu ouvia era bem melhor, ao meu ver. Mas também não tinha essa coisa de camisinha, era bem mais espontâneo. As pessoas realmentre trocavam, trocavam fluídos sem preocupação. Vamos trocar fluídos? Sim, vamos! E lá se íam trocando fluídos para todos os lados. Uma beleza. Agora não. Vamos dar um amassinho? Vamos. Pega a camisinha, pega o papel plástico...Papel plástico? Sim, aquele que a gente cobre comida na geladeira porque sexo seguro não pode ter contatos com secreções e tem que enrolar a moça com papel plástico então hoje o amor seguro é todo enroladinho, enrola o biléu com camisinha, envolve piriquita com papel plástico e manda ver! Uma loucura! Vamos dar uma trepadinha? Vamos. E lá se vão enrolando, enrolando, duas múmias plásticas queimando de amor e tesão, o latéx esquentando, aquele cheiro de plástico atritado no ar, boquete só com camisinha, camisinha com gosto de frango defumado, sabor franboesa silvestre da patagônia, um aloucura gastronômica, e toma lá mais papel plástico, enrola tudo que molhe, que pingue, tudo que é de gente.
Puta merda, lá se foi todo o lirismo da velha e boa trepada despreocupada.
Coitado do meu filho..

Minha auxiliar de assuntos domésticos chocadíssima!
-Mas veja se eu ia deixar uma coisa dessas!
- Mas, minha querida, nessa idade vai pra onde? E tá chovendo pra dedéu!!
- Ah, minha filha, cada um que se vire! Cada um com seus problemas e eu é que não vou dar essas facilidades pros meus filhos!

Mas eu dou.
Vamos facilitar a vida do povo.
Vamos amar! O que falta nesse mundo é amor. Amor e papel plástico que enrola comida na geladeira. E eu colaboro com uma quantidade quase infinita de camisinhas. O papel plástico tá em falta aqui em casa, mas eu tenho papel alumínio, sei lá, pra dar uma variada! ha ha ha ha ha ha ha
E eu já sei fazer crochê. Qualquer eventualidade, tasco sapatinhos de croché no mundo todo.
Magina, eu avó...
Puta merda.

7 comentários:

Morena disse...

Já passei por isso. É foda, (literal e metafórica)liberar ou não liberar? Você passou exatamente o que eu senti no momento e não consegui, na ocasião, relatar. Mas, como eu conheço o menino desde bêbe (sou praticamente a tia), libera vai!!!!!

Vivien disse...

Tati, COITADA da primeira que aparecer aqui em casa...rs....a primeira vez que atendi um tel onde uma vozinha feminina perguntava pelo Daniel, quase surtei...rs

Claudia Lyra disse...

Ai, Tatiana, acho que não vou conseguir ser tão liberal. Não... tenho certeza que não vou conseguir... Ai, que eu ODEIO todas essas mocréias que dão em cima de meu bebê!!!! Arrrggghhhhhh!!!!!!!

gika disse...

Ja vi esse filme em casa...ahahahaha!
te entendo muito bem =/
o negócio é encher a casa, os bolsos dos meninos, gavetas de camisinhas..onde toca tem uma...rsrsrsr

Tatiana disse...

Credo

GUGA ALAYON disse...

A minha tem ainda sete, não vou me preocupar antes do natal.
Já o de doze tomara que ache uma namorada com uma mãe como você.
Bj

Anônimo disse...

Ai Jesuuuusssssssssss!
E eu que tenho é FILHAAA???????
No aperreio o tricô vai sair todo torto!
Mas vumbora encarar!
Muito bom Tati!
Bjs!
Liris Letieres