sábado, 16 de dezembro de 2006

Ladra mística. Essa sou eu.

Antes de deitar e tentar dormir fui ver no Tarô o que se passa na vida Dele.
Eu sei que não adinta eu fazer isso porque eu roubo quando jogo Tarô para mim mesma, mas eu sou uma estelionatária mesmo e fingi que não roubo.

A Imperatriz, a Roda da Fortuna e a Estrela. Depois, por sobre a Roda, o Diabo. Por baixo da Roda, a Sacerdotiza.
Minha interpretação:
Ele e aquela mulher medonha com cara de tapete persa estão bem, não dá pra negar aquela estrelona ali, quer dizer até dá porque essa coisa de estrela pode ser ruim se você levar em consideração que tudo é passageiro. Pode ser, tipo assim, a Estrela Dalva, que só serve para fazer música antiga. Vai ver que essa estrela é excesso de fé, uma coisa baseada na fé, mas sem bases sólidas. quem sabe, né? Mas a coisa vai mudar, vai mudar porque a Roda indica mudanças. Vai mudar porque essa Imperatriz (que é ela ) vai ser atropelada por alguma coisa com Roda ( lembra do Diabo sobre a Roda? Pois é) e essa Sacerdotiza que aparece ( definitivamente, sou eu) é a responsável por isso porque está mandando fluidos péssimos para a outra lá.
Muito bom jogo, Tatiana. Muito lúcido. Parabéns.
Mais uma tiradinha de cartas.
O Mundo, O Eremita e os Enamorados.
Sim, foi muito bom no passado, foi tudo de bom no passado, mas agora ele tá noutra, meu bem, mas...olhe que temos um mas aí, mas ele balança se você ( eu ) aparecer na história. Os Enamorados estão sempre triangulando, sempre oferecendo opções. Ahá, viu só? Opções. Eu. Tiro mais duas. A Torre sobre os Enamorados e a Morte, de baixo.
Bem isso diz que com a sua chegada toda essa palhaçada de vida feliz vai acabar, tudo vai ruir, tudo vai finalizar.
Humm, muito auspicioso, muito auspicioso.
O Imperador, o Louco e o Julgamento. Sobre o Louco, a Morte. A baixo dela, a Justiça. Sobre o Imperador, o Diabo. A baixo dele, a Imperatriz.
Aí nós vamos ficar juntos e será aquela velha loucura de carne de sempre, aquele encontro de Titãs. Mas aí ele vai ficar, mais uma vez meio maluco, vai, mais uma vez, dizer que vai te matar, vamos todos parar na delegacia e é bem provável que eu ou vire defunto ou vire mulher agredida. Aí ele, se não me matar mesmo, vira homem preso e vai ficar dando a bunda no presídio por vinte anos porque bonitão daquele jeito vai virar noiva de todo mundo ou então eu vou para a cadeia porque eu vou ter que matar ele e aí eu é que vou casar com alguma sapatão escrota na penitenciária feminina.
Detestei essa jogada. Misturo tudo. Não gostei desse jogo.
Começo outra vez.
O Sol, O Mago e Eremita.
Sobre o Mago, o Julgamento. Abaixo, a Diabo.
O Sol é coisa boa. Eu gosto do Sol. 19+1+9 dá 29. 2+9 dá 11 , onze no tarô é a Força. Logo, tem força aí em algum lugar. Isso é bom. Força sempre é bom.
Esse Diabo aí, bem o Diabo é muito mal interpretado, o Diabo pode ser, quem sabe né, pode ser uma paixão avassaladora, Diabo não é só coisa ruim não, e Julgamento assim perto do Diabo e do Mago pode até ser bom se pensarmos que nessa vida temos sempre que agir com cautela e cautela é uma coisa que eu não tenho mesmo e que esse Diabo de merda não pára de aparecer neste cu de jogo e que eu não tinha nada que ficar aqui futucando a vida dos outros. E, o pior, futucando de uma forma absolutamente equivocada porque eu não tenho o distânciamento necessário para isso. Ai, que merda que eu nã acho minhas moedinhas de I Ching porque sempre que eu começo a me cansar de roubar no Tarô eu mudo e tento roubar no I Ching.
Não acho bosta nenhuma. Nem moedinha, nemlivro do I Ching. Um complô contra meus roubos místicos.
Fui dormir me sentindo uma cretina, sonhei com Ele e com praticamente todos os últimos homens de minha vida, acordei com uma sensação ruim na boca do estômago, uma vontade louca de apagar meu perfil no orkut, cancelar esse blog que me faz ficar aqui confessando as minhas mais profundas fraquezas de mulher, uma vontade de cortar os cabelos rente à cabeça, ou pintar se acajú profundo. Ou de encher a cara para esquecer o que já foi esquecido e não tinha nada que ser lembrado com uma bosta de uma fotinha ( que por sinal tirou do meu lado, eu me lembro perfeitamente desse dia) de um orkut de merda.
Sabe o que mais me incomoda?
Saber que eu não posso encontrar essa criatura nunca mais, nunca mais. Porque é o homem mais bonito que eu vi em toda a minha vida. Pelado, não. Pelado eu vi outro que era muito mais bonito, ainda bem, pelo menos isso. Aliás, era uma beleza mesmo o tal moço pelado. Mas isso não vem ao caso, o que importa é que de roupa, ele é a criatura que mais me incomoda, que mais me perturba, uma coisa triste de cheiro, de tara, de loucura e de morte eminente.
Tem hora que eu bem que queria não ter memória ( isso eu já to perdendo) e não ter computador e não ser mulher para fuçar na coisas e não ter a capacidade de saber que essa merda toda já fede a defunto há muito tempo.
Porque uma coisa eu sei ver, mesmo triste por dentro, mesmo sabendo que é foda. Essa história já morreu e não tem a mínima possibilidade de voltar a ser o que um dia foi bom.
E é isso que me fode.
As coisas acabam mesmo. Mudam e a gente tem que aprender a viver com essa dor e com essa lembrança.
Bem...pelo menos eu vivi uma tremenda história de amor. Vou poder contar pros meus netos que a vovó aqui viveu uma intensa história de amor, de entrega e de perdiçao. E que a vovó aqui faria tudo de novo, mesmo sabendo que foi com esse amor que eu sofri muito. Mas, putaquepariu, meus netinhos, foi bom pra caralho!!!!!!!!!!!!!

2 comentários:

Vivien disse...

Uma vez vc escreveu na minha Casa, que se identificava com algumas das minhas histórias. Pois é, minha amiga.....eu também posso te dizer isso!!!!!;0)))

Márcia Nestardo disse...

Linda, Tatiana!
Eu vim te visitar e deixar um abraço, mas teus jogos de cartas me fizeram viajar e acabei escrevendo uma porção de coisas que eram muito mais uma necessidade minha de extravasar, do que um comentário sobre teu post. Acabei colando o texto lá no Reflexos e voltei aqui pra finalmente te deixar um beijo e dizer que toda tua vida é uma linda história boa de contar pros netos, mas ainda não acabou e tem muito mais pra ser vivido, sonhado, escrito e deixado de exemplo. Ame, minha amiga, com tudo de bom e não tão bom que venha no pacote.
Eu ja disse que te amo? Está dito.

Beijos, com carinho.