terça-feira, 12 de dezembro de 2006

Conversas de mulher em um botequim qualquer da vida

Todos se impressionam com a minha capacidade de casar, de tentar de novo, de arriscar. Sim, eu já casei algumas vezes mas eu não acho isso nenhum mérito especial, muito pelo contrário, queria eu estar casadinha e feliz, mansa e lépida com um homem porreta.
Mas não sou tão mansa nem tão lépida assim e quando vejo já to mandando tudo pra putaquemepariu, to levantando acampamento, metendo a viola no saco e indo em outras direções.
Uma necessidade constante de acerto e uma falta de paciência para os detalhes.
Um defeito, certamente. Mas eu to trabalhando nele.
Ontem me perguntaram o que eu procuro em um parceiro e eu fiquei meio abestalhada porque eu não tenho lá muito parâmetro, meus namorados são tão diferentes entre si, já tive amores de todos os jeitos e cores, não sei dizer ao certo o que eu procuro. Nem sei se reconheceria o que necessito de verdade.
Mas aí isso me pegou pelo pé, fiquei aqui pensando mas será o benedito! Como é que eu não consigo saber o que eu quero em um homem?
Resolvi pensar sobre isso.
Eu acho que eu preciso de um homem que seja grande. Não to falando de corpo, to falando de grandeza outra, um homem que seja tão grande que possa me oferecer sombra nos dias quentes e calor nas noites frias. Um homem que saiba o seu tamanho e não se sinta ameaçado pelo meu.
Preciso de um homem que entenda minha loucura. Que entenda que eu preciso botar pra fora, escrevendo, cantando, chorando, rindo. Que quando me veja assim, saia de perto ou sente ao meu lado e me deixe esvaziar.
Preciso de um cara que me faça calar a boca. Que saiba me calar a boca. Que fale assim: Tatiana, cale a boca. E eu cale mesmo.
Um cara que seja silêncio também. Que eu possa ficar horas ao seu lado em confortável silêncio, sem palavras, sem mensagens, que eu possa só estar do lado e isso ser bom.
Preciso de um cara que me carregue no colo e me veja dormindo sem roupa e me cubra com lençol limpo.
Um cara que me deixe ir. Eu preciso ir!! Mas eu volto, eu sempre volto. Mas antes eu preciso perambular por aí, preciso andar sozinha pelos meus becos escuros, pelas estradas poeirentas, esse cara precisa saber que eu vou mas vou pra viver e não para amar porque se eu estou com ele de verdade, eu estou com ele de verdade!
Essem homem precisa saber que eu sou mulher de um homem só.
Esse homem que eu preciso precisa precisar de mim, de alguma forma. Eu preciso ser importante para ele e eu preciso saber, com todas as letras, isso. Não precisa me dizer todo o dia, nem ficar me agarrando o tempo todo - isso me dá uma certa agonia- mas seus olhos podem me dizer isso sempre.
Esse homem precisa me surpreender, de vez em quando.
Precisa ser forte, mesmo que seja a fortaleza das águas, mas preciso ver a força nele.
Precisa ser honesto e claro.
Precisa gostar de meus bichos, gostar de me ver subindo na minha jabuticabeira e não ficar berrando que eu vou cair e vai ser uma merda me levar para UNICAMP. Tem que saber subir em árvores comigo. E não ter nojo de comer jabuticaba tirada do pé.
Tem que gostar das madrugadas e das manhãs.
Tem que saber dormir agarradinho.
Tem que amar meu brigadeiro.
Tem que rir de minhas piadas infames e entender meus amigos malucos.
Tem que saber que eu sou dele mas que tem mais gente que precisa de mim. Tem que saber dividir.
Tem que me fazer rir, eu gosto de rir com meu bem amado.
Tem que ter mãos doces.
Tem que ter um quê de guerreiro, de bélico. Tem que me deixar brigar com ele, lado a lado, escudo com escudo, espada com espada. Tem que ver o sangue em meu rosto e limpar com suas próprias mãos.
Tem que ter um quê de menino também. Deitar em meu colo e se deixar levar pelo meu cafuné.
Tem que me contar as suas viagens, suas vitórias, seus medos. E eu ficarei ouvindo enquanto faço um café, preparo um banho quente ou invento um creme de massagem.
Esse meu homem que eu não sei onde está tem que gostar de meus filhos, mesmo sem precisar gostar deles.
Tem que ter sua própria história, seus próprios sonhos, tem que ter alguma coisa que seja só sua.
Tem que ter uma mistura de lirismo e safadeza.
Tem que saber que eu não sou nem de todo puta nem de todo santa.
Tem que ganhar de mim no xadrez.
Tem que ter alguma coisa que seja feia. Uma orelha, um pé, uma mãe. Perfeição demais me entedia.
Tem que gostar de me ver no palco.
Tem que gostar de me ver nua.
Tem que rir de minhas idéias estapafúrdias e não me levar tão a sério.
Tem que suar de vez em quando.
Tem que saber falar eu te amo sem palavras.
Tem que querer pular do precipício de mãos dadas.
Tem que saber calar quando eu to na TPM. E tem que saber gritar comigo na hora certa.
Tem que ter amigos, além dos meus amigos, além de mim.
Tem que conseguir me fazer tremer os joelhos.
Preciso de um homem que chegue no meio da madrugada e me acorde beijando meu pescoço.
Tem que partir algumas vezes para eu sentir saudade.
Tem que ter fogo na alma, mesmo que escondido e só revelado para mim. Mas tem que me queimar.
Tem que ter coragem para viver um grande amor.
E tem que ser só meu.

19 comentários:

Anônimo disse...

Tatiana,
Cale a boca!

moacircaetano disse...

...como não se apaixonar por alguém que escreve coisas assim, hein?

moacircaetano disse...

...como não se apaixonar por alguém que escreve coisas assim, hein?

Anônimo disse...

Pode confiar que se houver alguém de butuca na tua entrega virtual, vai aparecer um homen exatamente assim. Fantasiado de tudo o que vc pediu e vc vai agradecer aos céus. E vai ser feliz. E depois, quem sabe, cega, ter os olhos arrancados em público. Ou em privadas de diarréias roxas. Mundo besta! Lindo texto.

Tatiana disse...

Anônimo,
Quanto amargor, meu querido, quanta descrença!
Mas existe esse risco mesmo. Existe esse risco em toda entrega, em toda vida vivida mesmo, nossos olhos estão ali, expostos às unhas alheias para serem arrancados, pisados, jogados como bolinhas de gude. E se isso me acontecer vou aprender a caminhar na escuridão, vendo com os cheiros, com minha pele, olhando com meu coração.
Não tenho medo disso não.
Tenho medo de ficar cínica e covarde. Tenho medo de uma vida pela metade, segura, agarrada em coisas pequenas, de ficar sem arroubos e sem loucuras.
E eu também não acredito que sou um prêmio tão bom ao ponto de alguém se fazer passar pelo que não é. Não sei se valho tanto esforço e mentira.
Mas vai saber, né?

Anônimo disse...

Linda reposta.
Viciei nos teus textos.
Nunca te ouvi.
Uma pena!

Anônimo disse...

Queria eu poder ser metade do que uma mulher realmnete quisesse.
Queria eu saber pular de precipícios,saber dividir a minha mulher amada, queria eu saber ir sabendo que deixo uma mulher nua na cama a minha espera.
Não sei se posso tanto.
Mas queria poder ser esse encaixe perfeito nos sonhos de alguma mulher.

Carô disse...

Amore, não existe (olha o tamanho da sua lista!!!) - mas tem similares lá na Leroy Merlin (hahahahahaha)
Beijo!

Tatiana disse...

Estou rodeada de descrentes!
Onde está o romantismo deste povo?
Onde?
Na Leroy Merlin!

Anônimo disse...

Você está tudo querendo pronto. Não se propos, em nenhum momento, a construir junto. Não vai conseguir nunca.

Ronaldo Faria disse...

Jogo xadrez bem... rs.
Cuide-se.
Ronaldo Faria

Claudia disse...

Bom... acho que a gente nunca encontra tudo em uma pessoa só... nem somos tudo o que o outro quer e precisa, mas, ainda assim, queremos ser as únicas de suas vidas. Sei lá... estou casada há 20 anos... tem muito de abnegação nesse tempo todo juntos, de ambas as partes. E se aprende a apreciar o que se tem, em vez de se lamentar o que não se encontra no parceiro...

Pi disse...

Não, meu bem. Você vai conseguir o que você quiser!
É só pedir aos céus, é só clamar bem alto, você está no caminho certo.
Peça, peça, sonhe, fale, avise, lembre, diga, sonhe, escreva,cante.
Seu clamado vai ser ouvido e teu amor vai aparecer porque você quer e está disposta a viver isso.
Tão corajosa! Tão exposta assim! Tão lindamente despudorada nos seus desejos.
Eu acho invejável a sua coragem de dizer o que deseja.
Eu torço por você aqui d elonge, do outro lado do mundo.
Boa sorte, viu?

Anônimo disse...

Boa!

Anônimo disse...

O "tem que " já revela que vc demonstra um tipo de relacionamento muito rígido, até cruel...boa sorte, mesmo assim.

Anônimo disse...

Ah, e é assim que a gente atrai o oposto de tudo que se pediu...

Anônimo disse...

credo! quanto anônimo!

Tatiana disse...

Pois é. anônimos e descrentes.
nem dou bola para eles.

Anônimo disse...

eu seria teu se você quisesse.