quarta-feira, 17 de maio de 2006

GUERRA

Existem muitas formas de padecer pela guerra.
A guerra óbvia, aquela do inimigo que te olha os olhos e te aponta o cano da arma, é uma estupidez absoluta. Não acredito em guerras, não acredito em sangue lavando um novo território, nem limpando alguma honra maculada.
Matar alguém não me parece justificado em hipótese alguma e gosto naquela frase que pedia que se imaginasse uma guerra onde nenhum soldado aparecesse. Quem lutaria? Os governantes? Os políticos? Duvido muito.

Mas existem outras batalhas terrivelmente doloridas. A batalha diária para não morrer de fome. Pra não ver os filhos morrerem de fome. A batalha para ser visto, para se transformar em alguém. A batalha pela instrução. Por comida da alma e do corpo. A guerra diária por dignidade. O tripé saúde-educação- trabalho. Onde se tem estas coisas não tem tanta violência.
A guerra por manter a nossa individualidade. Para aprender a ser indivíduo, ser um no meio da massa.
A guerra interna para não desistir de tudo e jogar a toalha. A constante ilusão da esperança alimentando uma alma exausta. A guerra de se manter agarrado na beirada desta vida e resistir ao impulso insano d epular no nada para dar fim a tudo.
A guerra de conseguir teu lugar ao sol e no Céu. Prestações fixas e baixíssimas. Como as Casas Bahia.
Tantas guerras, tnats batalhas, tantos sofriemntos e tudo isso me indica que viver é sofrer. A vida anda de braços dados com o sofrimento.
Mas criar uma guerra, sair com a intenção de machucar um porque esse um pode vir a te machucar, isso para mim não é guerra.
É estupidez mesmo.

4 comentários:

ariadne disse...

Sabe que ontem estive aqui pra ler o do concurso , fiquei triste com os outros e fui embora sem ler esse. Que bom que voltou a escrever pra nóis. Eu quero comprar um cd qdo sair , ok?
Beijos

Márcia Nestardo disse...

Foram muitos posts que eu perdi. Resolvi ler na sequência em que escreveste, pra entender tanta dor que me parece pesar dentro do estômago, faminto de vida.
Deixo um beijo e vou ler os próximos.

Cristiano disse...

São dias difíceis os que giram aí fora.
Bjs.

Drosofila disse...

Viver, enfim.