terça-feira, 7 de março de 2006

SUGESTÕES DE MÚSICAS PARA FAXINA

Repleta de sabedoria que só a experiência oferece, coloco aqui as minhas sugestões musicais para aquele momento único de faxina.

Varrendo - Nada melhor do que João Bosco. Dá muito ânimo e energia para vassourar a casa toda. Sem falar que dá pra fingir que você a porta badeira, ficar rodando na sala com a vassoura enganchada na cintura, um momento de glória!

Tirando o pó- Neste instante uma coisa mais delicada é indicada. Sugiro Ceumar. O último cd é perfeito. Não tão mole que me dê preguiça nem tão animado que me faça correr e fazer um serviço porco. A música da rã é tudo de bom mesmo.

Passando pano na casa - Descobri que Itamar Assumpção é um excelente estimulador de passagens de pano. Suas músicas têm um ritmo muito bom e o vai-e-vem do rodinho no chão acaba parecendo um bailado. Aproveite e faça deliciosos alongamentos nas costas enquanto requebra o quadril. Aumenta o tônus muscular e aquece.

Lavando o banheiro - Comecei com O ERA, meio zen e não surtiu o efeito desejado. Meus movimentos ficavam lerdos demais e substituí pelas Frenéticas. Melhorou muito. A incoveniência que me emploguei um pouco naquela parte que diz abra as suas asas, fui abrir as minhas e acabei escorregando no chão ensaboado.. Então, cuidado. Ouça, mas não se mexa muito. Pelo menos não durante a lavagem de banheiro.

Colocando roupa na máquina e estendendo no varal - Momento de extrema importância. Elomar me fez uma companhia primorosa. Parece que estava lá no sertão, a saia presa na cintura, o sol ( que hoje não vejo) brilhava no céu e esquentava minhas roupas. Só não coloquei lata d'agua na cabeça porque seria pedir demais. Mas senti vontade de levar as roupas lavadas dentro de um balde equilibrado lá no cocuruto, mas fiquei com vergonha porque uma vizinha que tem a janela para o meu quintal parece se divertir demais me observando. Um dia saio com uma calcinha na cabeça, matando um frango com os dentes, coloco um salto agulha e meu pijama de bolinha. Quero ver se vai voltar a ficar me observando de soslaio.

Fazendo almoço - Um pouco de Nora Jones. Chiquérrimo e o prato vem com sabor de comida internacional. Será perfeito para meu arroz, feijão, purê e hamburguer de frango. Tudo entra sintonia, nada corre, se apressa ou passa do ponto. Simples e gostoso.

Varrendo quintal - O Sítio do Pica Pau Amarelo ficou perfeito. Uma momento assim meio rural, meio campo, meio sítio. Me animei toda, mas quando meus cachorros ouviram a Cássia Elles se fazendo de Cuca começaram a uivar. Eu entrei no coro. A vizinha apareceu na janela, lá do alto. Não tinha frango pra eu matar, mas pude colocar aquela calcinha na cabeça. Não olhei para cima para ver se ela olhava. Mas o porteiro do prédio da frente viu. Me senti ridícula. Depois resolvi me definir como excêntrica e deixei pra lá.

Fumando o cigarrinho derradeiro - Aí silêncio é o mais indicado. Silêncio total faz bem.

Acendi um incenso bem porreta, daqueles de tirar craca mesmo, joguei alfazema pela casa e me preparei para buscar Matheus na escola.

Foi muito bom...

3 comentários:

Ronaldo Faria disse...

Se fosse um romântico do século passado, diria que você é pândegas.
Se fosse um qualquer, falaria que és uma palhaça com direito a nariz vermelho e calça bufão.
Fosse voltado à certeza das coisas como devem ser definidas, sairias por humorista nata.
Acreditasse em reencarnação, te colocaria como a volta de alguém do Cinema Mudo que contracenava com Chaplin. Um escada.
Soubesse escrever prosopopéias, calharia um somente um ha,ha,ha,ha saído de uma pedra qualquer.
Mas como sou apenas um leitor assíduo a ver alguém digna de mais espaço para soltar esta verve de picadeiro mambembe que arma a lona quase todos os dias na internet, neste circo que é o nosso dia-a-dia, te vejo apenas como Tatiana Rocha.
E basta.
Quem sabe a água mole das letras em rocha dura um dia não te faça deixar de vender planos de saúde para investir apenas na saúde mental e emocional dos outros?
Por um site auto-sustentável de auto-ajuda à fuga da mesmice e um riso aqui e outro acolá nos dias de pouco sol e menos céu...
Cuide-se. Sempre. E menos empolgação nos ladrilhos molhados e afins...
Ronaldo Faria

Ronaldo Faria disse...

Baixei as músicas. Vou passar para um CD e ouvir com calma. Mas, a princípio, concordo com Menino. As lágrimas e as emoções são, antes e acima de tudo, pertencentes a nós todos nós, sem dós e nem ais.
Obrigado
Prometo ouvir e escrever algo. E o livro, tem engolido ler? Cada vez mais acho que te engambelei nas trocas...
Ronaldo

Márcia Nestardo disse...

Ai Tatiana!
Você tem sempre que entender dos cantinhos mais secretos de nossa alma de mãe, dona de casa, faxineira, cozinheira, vendedora, lavadeira...
E divide teus achados com um carinho de melhor amiga. Pena eu não ter toda a sonoplastia indicada, mas minha próxima faxina já vai ser muito mais divertida, e eficiente.
Só o descanso, não quero silêncio, vou te ouvir sentindo cheirinho de casa limpa.