domingo, 4 de dezembro de 2005

O outro filho

Tenho dois filhos.
O mais velho aos 7 anos me informou que não acreditava em Deus. Aos 15 descobriu que era agnóstico e teve um namoro rompido porque a namorada era católica e entraram em choque ideológico. Aos 15 foi batizado na igreja católica para deixar a família do pai feliz. Ele é uma tranquilidade só. Nada tá ruim, vai bem na escola, é um que sabe viver com suas escolhas.
Ontem ele estava no MSN conversando com um colega lá de Gôiania e eu fui bisbilhotar as mensagens. Aí eu li e o que o outro rapaz escrevia:
- Você devia experimentar! Acalma, a gente pensa menos, abre a mente!
Na mesma hora disse pra meu filho:
-Que papo de maconheiro. Este moleque tá queimando fumo! Que porra é essa???
Aí meu filho cai na risada e me explica:
-Que nada, mãe! Ele quer me convencer a ser crismado! Tá super envolvido com a Igreja.
CHOQUE!!!
-
É mesmo??? Crisma? Não é maconha???
Eu me metendo na conversa dois dois e meu filho digitando o que eu falava para eles.
- Quer dizer que segue a risca o que a Igreja diz?
O outro lá respondia:
-Sim.
-Então não pode usar camisinha?
-Sem sexo antes do casamento.
- E faz o que?
- Segura até quando aguentar.

Dei meu conselho sábio para meu filho ateu.
- Filho trepe sempre. Antes do casamento, durante o casamento, depois do casamento. Só emborrache o piriquito. E aproveite. Goze sem culpa. Trepe sem culpa. Que merda! Além de ser a geração do medo, do medo de pegar doença, da primeira trepada com camisinha sentindo o peso da morte pairando na cabeça, ter ainda a culpa de estar pecando? Pelamordedeus! Ahh..e bata punheta! Quantas conseguir. Não dá espinha, nem cabelo na palma da mão! Eu garanto. Mas não deixe que esta besteira de pecado entre na sua cabeça!! Pecado é ser infeliz! Pecado é a falta de amor. Pecado é padre comer menininho! Pecado é se matar milhões em guerra santa, isso sim, matar em nome de Deus.

Agora veja se minha mãe falaria uma coisa dessa para mim. Jamais! O medo maior era que eu fumasse maconha ou ficasse grávida na adolecencia. Hoje o meu medo é que meu filho fique assim, pensando menos, cheio de neuroses cristães e pedindo perdão por sua natureza humana. Não quero meu filho um cordeiro. Quero um leão. Um questionador. Um guerreiro que luta por felicidade e deleite. Quero meus filhos felizes e sei que é tão difícil isso. A felicidade são momentos de descaso, quando se vê, passou!
É...Os tempos mudaram. E eu to no meio da virada olhando, atônita, para um caminho que eu não sei onde vai dar.

4 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

Assim tem de ser! Você sabe educar um homem melhor do que qualquer carola de igreja. Não tenha dúvidas de que seu filho será muito mais completo do que se estivesse freqüentado essa besteira de igreja. Tenho certeza de que, se Deus existisse, estaria lá do Céu, dando risada desses crentes, fumando o seu baseadinho e ouvindo o álbum branco dos Beatles. Pra criar um mundo como esse só sendo muito porra louca. Deus é dos nossos, não desses caretas que não sabem trepar direito.

Renata disse...

Pois é. Sou católica, não muito praticante, mas muitas coisas me entristecem bastante e essa culpa inculcada (pecado original, p.e.) é demais pra mim. Mas gosto dos ensinamentos tipo "fazer o bem, sem olhar a quem". É difícil.. nada é perfeito ...

Silo disse...

Pra começar, eu não sou católico embora tenha sido batizado e catequizado pela igreja católica, mas como toda crença, ela tem seus paradigmas inquestionáveis, você acredita se quiser. Não concordo com muita coisa que as instituiçãoes religiosas pregam, mas tem muita gente que parou de beber, ou que parou de fumar o baseadinho para se ligar a Deus, conforme os mandamentos bíblicos. Não sei se é tão ruim assim.

por último, gostaria de salientar que esse papo de querra santa é besteira, o título é só para maquiar a intenção de domínio da prospecção de petróleo.

ariadne disse...

Os tempos mudaram sim Tati, e que bom, algumas mães mudaram junto e estão criando homens melhores e sem culpa , criados para serem felizes. Que lindeza...